agencia

Notícias

Atualizado em 29/12/2015 às 22h59

Prefeitura discute parceria com a UFMA para uso de espaços turísticos como campo de estudo

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Ampliar as ações de revitalização do Centro Histórico da capital e contribuir para a conservação dos casarões seculares e monumentos históricos. Esse é um dos objetivos de uma parceria que vem sendo construída entre a Prefeitura de São Luís e a Universidade Federal do Maranhã (UFMA).

As instituições traçaram os primeiros passos para firmar convênios de cooperação técnica. As conversam definem a utilização de espaços turísticos como campo de estudo e atuação dos universitários, a criação de uma rádio e a construção de uma casa do estudante. "Tivemos um primeiro momento de conversas apresentando algumas propostas de parceria com a universidade e temos como finalidade, gerar investimentos no Centro da capital", ressaltou o subprefeito de São Luís, Fábio Henrique Carvalho.

O principal item da proposta de parceria sugere convênio com a Faculdade de Turismo e Hotelaria para adoção da Fonte das Pedras. Pela proposta, a universidade assumiria a gestão deste espaço garantindo a segurança, manutenção e conservação de seus monumentos. À Prefeitura caberia os cuidados com a iluminação e a limpeza da área. O subprefeito explica que a ideia é abrir os portões da Fonte das Pedras, que há muitos anos estão fechados. Com isso, será feita a ligação deste monumento com a faculdade, que vai funcionar no prédio da antiga Fábrica Santa Amélia. A reunião ocorreu na última semana, no gabinete da Reitoria da UFMA, com participação da reitora Nair Portela.

O prédio da Fábrica Santa Amélia foi todo reformado recentemente pela Prefeitura e passa a abrigar os universitários, a partir de janeiro do próximo ano. "A UFMA adotaria a Fonte das Pedras, anexando-a à fábrica que fica bem atrás, unindo estes dois prédios e assim, reativa esse espaço de turismo e lazer", reitera Fábio Henrique Carvalho.

Outro ponto da parceria é a apresentação de trabalhos dos alunos dos cursos de Teatro, Música e Artes em espaços no Centro Histórico e também nas praças públicas do Centro da cidade. Dessa forma, os grupos teriam uma gama de locais públicos e de tradição em entretenimento para mostrar o que assimilam na graduação. "A universidade desenvolve bastante ações no campo cultural e teríamos uma programação diferenciada nos espaços públicos da capital", avalia. O Mercado da Praia Grande também foi pauta dos debates com a proposição da instalação de uma emissora de rádio com apoio do curso de Comunicação Social. A programação será compartilhada com a Rádio Universidade, sendo especifica para a feira e incluindo música, publicidade e informação para comerciantes e público geral.

CASA DO ESTUDANTE

A construção de uma Casa do Estudante no Centro Histórico é outro ponto da proposta de convênio. "Vamos escolher um destes casarões históricos para ser revitalizado e adequado a uma moradia estudantil", explica Fábio Henrique. O espaço abrigaria, prioritariamente, estudante vindos das cidades do interior do Estado. "Essas propostas foram apresentadas durante reunião com a reitora Nair Portela. São ideias nas quais serão dadas a continuidade para chegar a uma parceria", enfatizou o subprefeito Fábio Henrique. As instituições voltam a reunir na primeira quinzena de janeiro.