agencia

Notícias

Atualizado em 03/06/2016 às 19h38

Condutores da Tocha Olímpica falam da emoção em carregar o símbolo maior das Olímpiadas

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Condutores da Tocha Olímpica falam da emoção em carregar o símbolo maior das Olímpiadas"Esse é um grande acontecimento na minha vida. O que é um sonho para muitas garotas da minha idade está sendo uma realidade para mim. Estou feliz e ansiosa para viver esse dia que vai entrar para a história do nosso país e para minha". Com apenas 13 anos, Jaqueline Maria Gomes Caldas, moradora do bairro Vila Janaina, fala com entusiasmo sobre a oportunidade que está tendo de conduzir a Tocha Olímpica durante o tour em São Luís. A adolescente integra o Programa "Movimento e Resgate" - executado pela Prefeitura de São Luís por meio da Secretaria de Desportos e Lazer (Semdel) - e deverá conduzir a chama olímpica no revezamento que será realizado na capital maranhense neste domingo (12).

A adolescente, que por meio do esporte melhorou seu desempenho escolar e as relações interpessoais com os amigos de sua idade, será a primeira a conduzir a tocha. Ela receberá o símbolo olímpico em cerimônia que acontecerá em frente à prefeitura no dia 12 de junho (domingo) . De lá a tocha segue por várias ruas e avenidas da capital, percorrendo um trecho de 39 quilômetros e abrangendo cerca de 20 bairros. Ao todo serão 143 pessoas que a conduzir a chama olímpica em São Luís. O símbolo dos jogos olímpicos desembarca no Aeroporto Internacional Marechal Hugo da Cunha Machado às 9h45 e segue em comboio até a Prefeitura.

A alegria de Jaqueline só não é maior do que a da mãe dela, Jaciane Maria Gomes Caldas. "Se ela está feliz, imagine eu que sou mãe. Estou feliz e orgulhosa de ver minha filha participar desse momento tão importante que será visto não só no Brasil, mas em todo mundo", disse Jaciane. Ela contou que a filha sempre gostou de esporte e que prática futebol desde os sete anos. "Imagina o que isso representa pra ela?", completou Jaciane.

 Entre os 143 condutores da tocha olímpica em São Luís, estão representantes dos programas "Movimento e Resgate" e "São Luís Saudável". O programa "Movimento e Resgate", do qual participa Jaqueline, foi reforçado na gestão do prefeito Edivaldo e hoje atende a mais de cinco mil crianças e adolescentes de 10 a 17 anos em 68 escolinhas esportivas organizadas pela Semdel. São oferecidas oficinas esportivas de futsal, futebol, basquete, vôlei, handebol, karatê, judô, futebol de campo, atletismo e capoeira. 

O projeto São Luís Saudável, também executado pela Prefeitura de São Luís, fomenta a prática de atividades físicas em diversos espaços da cidade, estimulando hábitos saudáveis e cuidados preventivos em saúde. Dez núcleos do programa  oferecem atendimento a idosos: Parque do Bom Menino, Vila Nova, Cohab Faculdade Estácio, Bequimão, Parque dos Sabiás, Divinéia e Bairro de Fátima. Com acompanhamento de profissionais da área de Educação Física, o projeto oferece opções de atividades físicas em espaços públicos e proporciona ações esportivas, recreativas e de lazer, contribuindo para a inclusão social na terceira idade. 

O secretário municipal de Desportos e Lazer, Júlio França, destacou a importância de incluir, no revezamento da tocha olímpica em São Luís, adolescentes, jovens e idosos atendidos nesses programas sociais desenvolvidos pela Prefeitura de São Luís.

"A tocha olímpica será conduzida por uma adolescente de 13 anos da área da Cidade Olímpica. Isso tem uma simbologia muito grande para ela, para sua família e para todos que acreditam no esporte como fator de inclusão social. Indicar esses adolescentes e idosos para conduzir o símbolo maior dos jogos é uma maneira de estender esse momento inesquecível para a cidade de São Luís à população beneficiada com os programas sociais executados na gestão do prefeito Edivaldo", disse o secretário Júlio França.   

INCLUSÃO SOCIAL

O adolescente Gustavo Maciel da Silva Souza, 13 anos, morador do Bairro Vila Embratel, também foi indicado pela Prefeitura. Ele contou que se sente muito alegre em participar do projeto da Semdel e da cerimônia de passagem da Tocha Olímpica em São Luís. "Participar da escolinha me abriu essa porta. Vai ser muito bacana levar a tocha e custo a acreditar que isso vai acontecer comigo. Todos os meus amigos gostariam de estar no meu lugar", contou Gustavo que representará os alunos da área Itaqui-Bacanga.

Júlio França destacou ainda que a participação dos adolescentes do projeto Movimento e Resgate no revezamento contribui para agregar valor para o esporte amador em São Luís. "É orientação do prefeito Edivaldo que incentivemos o esporte de base da capital. Aqui temos muitos atletas em potencial, podemos ter atletas de destaque no futuro", disse o titular da Semdel.

ROTEIRO

O símbolo maior das Olímpiadas fica durante todo o dia na capital maranhense, onde também pernoita. São Luís é uma das Cidades Celebração. O Palco Celebração será montado na praça Maria Aragão onde a pira Olímpica vai ser acesa em meio a uma grande festa, organizada pela Prefeitura de São Luís e Governo do Estado.

São pontos de parada do revezamento a Praça da Ressureição (Anjo da Guarda), a Praça Nossa Senhora de Nazaré (Cohatrac), Praça Irmã Gabriela Torselli (Habitacional Turu), Nissan da Avenida dos Holandeses, Avenida Litorânea e a Praça Maria Aragão, onde será acesa a Pira Olímpica e haverá uma prrogramação cultural em comemoração à passagem da tocha por São Luís. Outros oito pontos do revezamento receberão atividades culturais e esportivas ao longo do dia 12 de junho.

Quem também vai conduzir a tocha olímpica é o professor José Augusto Santos. Com 65 anos de idade e mais de 30 de trabalho com escolinhas de futebol, semore em bairros com altos índices de violência, José Augusto contabiliza no currículko a ajuda na revelação de grandes talentos como o atleta Marco Araújo, que atua no Flamengo. "Esse momento tem um significado maior para mim quando penso que há dois anos estava em cadeira de rodas por conta de um problema de saúde. Superei o problema e é com grande alegria que represento os agentes de esporte do Projeto Movimento e Resgate", disse, satisfeito.

 

Já Fernando Antônio da Silva, 75 anos, irá representar os idosos atendidos pelo programa "São Luís Saudável". Ele contou que sempre gostou de esporte, principalmente futebol e atletismo, mas que ficou afastado das modalidades esportivas pela dificuldade de conciliar a vida esportiva e o trabalho. "Retomei a prática de atividades físicas há dois anos no projeto São Luís Saudável e agora tenho essa grande satisfação de participar desse importante evento esportivo", disse Fernando.

Entre os condutores estão ainda o esportista, amante do atletismo, Valdir Simão de Souza, que é cadeirante; o coronel Carlos Frederico de Azevedo Pires, comandante do 24ª Batalhão de Infantaria Leve (BIL), que representará o exército; Jackeline Maria Gomes Caldas, também integrante do Movimento Resgate; Pedro Victo Fonseca Rezende, atleta de Judô; Tiago dos Reis Cruz, Thiago Correia da Silva Arezzo, Gustavo Maciel da Silva Souza e Paulo Roberto Moraes, corredor de bicicross.

"Será um grande momento de homenagens ao esporte, aos atletas profissionais e amadores, aos mais novos e também aos que já passaram um pouco da idade de competir. É o reconhecimento da importância do esporte não só para uma vida saudável, mas como fator de inclusão social e capaz de impulsionar uma mudança de vida para muitas pessoas. Estamos numa expectativa grande e nos sentindo homenageados e honrados de participar de uma parte da programação que levará aos Jogos Olímpicos", contou Paulo Roberto.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem