agencia

Notícias

Atualizado em 26/11/2016 às 12h17

Estádio Cardosão sedia final da Taça Ilha da Favela, população elogia obra executada pela Prefeitura

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Estádio Cardosão sedia final da Taça Ilha da Favela, população elogia obra executada pela PrefeituraApós passar por requalificação, o Estádio Cardosão sediou neste fim de semana o encerramento da I Taça Ilha Favela. Os jogos contaram com a participação de grande público, que elogiou a obra realizada pela Prefeitura de São Luís, por meio do programa Bacia do Bacanga, executado pela Secretaria Municipal de Projetos Especiais (Sempe).

"Está uma maravilha. Depois que a Prefeitura reformou o estádio, ficou uma beleza. E a pavimentação das ruas no entorno vai ajudar a deixar ainda melhor o bairro, mais seguro. Aqui antes não havia oportunidade de lazer nem para crianças, nem para jovens ou adultos. Agora temos as praças ao redor do estádio onde as crianças podem brincar com segurança. Espero que mais serviços asssim cheguem a outros bairros", disse Dinalva Cardoso, dona de casa, moradora há doze anos da rua São Francisco, no Jambeiro.

Acompanhada dos filhos, Dinalva esteve na manhã deste sábado (26), no estádio, para acompanhar o encerramento do campeonato realizado em São Luís pela Central Única das Favelas (Cufa), com o apoio do Governo do Estado e da Prefeitura. O evento, que tem como objetivo integrar as comunidades da região metropolitana de São Luís, reuniu moradores de bairros como Cidade Operária, Sá Viana, Coroado, Coroadinho e de toda a área Itaqui Bacanga. 

O campeonato movimentou o estádio, que já está sendo utilizado pela comunidade em diversos eventos e tem recebido aprovação quase unânime dos moradores dos bairros Jambeiro e Sá Viana, vizinhos à praça esportiva. Os moradores estão mobilizados para conservar o espaço de lazer e práticas esportivas. Na avaliação dos moradores, o envolvimento dos jovens e dos atletas locais dará uma grande contribuição para a conservação, além de aglutinar comunidades em competições regulares.

Para dezembro, já está previso um campeonato de futebol com equipes da área Itaqui-Bacanga, com o apoio da Prefeitura por meio da Secretaria Municipal de Desportos e Lazer (Semdel). "Esse estádio já está mexendo com a comunidade. Não tenho dúvidas de que daqui a um ano, a realidade em torno dessa região será outra", afirmou o Secretário Júlio França, destacando também as obras de urbanização que estão sendo feitas nas vias próximas ao Cardosão. 

O espaço esportivo deverá ser administrado por um conselho gestor ainda a ser formado. Enquanto isso, o departamento de esporte do bairro acompanha a utilização da praça esportiva. Escolhido pela comunidade, o Conselho terá assento reservado para um representante da Semdel.

APROVAÇÃO


Luís Cardoso, 66 anos, mora há muitos anos no Jambeiro e é o filho mais velho do morador que deu nome ao estádio. Além de aprovar a reforma, elogiou os serviços de infraestrutura e urbanísticos realizados pela Prefeitura no entorno da praça. "Foi um serviço muito bom. Minha preocupação é para que as pessoas saibam utilizar o espaço sem bagunçar", disse Cardoso. Ele destaca que a dedicação do pai em conservar o campo de futebol, anteriormente chamado estádio São Paulo, está sendo finalmente reconhecida pelo poder público.

Os campeonatos serão organizados pelo departamento em parceria com um comitê gestor, que será criado especialmente para zelar pela conservação do local, e também contarão com o apoio e parceria da Semdel. A ideia é integrar as comunidades vizinhas ao Cardosão em eventos esportivos, envolvendo principalmente as escolinhas de futebol existentes na região e equipes da rede pública de ensino. "Graças a Deus, a Prefeitura fez esse estádio, que é um projeto antigo dos moradores do Jambeiro Sá Viana", afirmou Marlon Rodrigues, presidente do departamento.

REFORMA

 A reforma e ampliação do Estádio Cardosão, no Jambeiro, é parte do programa Bacia do Bacanga, executado pela Prefeitura de São Luís por meio da Secretaria Municipal de Projetos Especiais (Sempe), em parceria com o Banco Mundial. O campo de futebol foi ampliado e recebeu grama natural.

Os serviços incluíram ainda a reestruturação do alambrado e ampliação da arquibancada, que atualmente tem capacidade para 500 pessoas. Com a obra, o Estádio Cardosão recebeu vestiário para atletas, salas administrativas, banheiros, lanchonetes e um sistema de iluminação que possibilita também a realização de eventos noturnos.

         Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem