agencia

Notícias

Atualizado em 06/01/2017 às 17h04

Galeria Trapiche inicia os trabalhos de 2017 debatendo a relação arte e violência

Galeria Trapiche inicia os trabalhos de 2017 debatendo a relação arte e violência

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Galeria Trapiche inicia os trabalhos de 2017 debatendo a relação arte e violênciaAbrindo as atividades de 2017 na Galeria Trapiche Santo Ângelo, a roda de conversa "Zona de Perigo", abordou arte e violência por meio de palestra, nesta quarta-feira (4), com o curador e artista visual Divino Sobral, em parceria com o Chão SLZ.

"É a primeira conversa de 2017 e já iniciamos o ano com um tema de relevância para a sociedade, abordando esse recorte da produção contemporânea brasileira que problematiza violência e criminalidade. Essa ação dá continuidade às ações formativas que a Galeria vem propiciando no campo das artes visuais contemporâneas e estamos com boas expectativas para o ano que se inicia", ressaltou a diretora da Galeria Trapiche, Camila Grimaldi.

Divino Sobral, que foi membro da Comissão de Premiação de duas edições (4ª e 5ª) do Salão de Artes Visuais de São Luís, em sua palestra falou como a arte se relaciona com a violência citando exemplos de vários artistas, como Clarice Lispector, Hélio Oiticica, Cildo Meireles e Alberto Bitar, entre outros.

"Um país tão rico como o Brasil enfrenta uma onda enorme de violência do seu próprio cidadão. A pesquisa que desenvolvi retrata como esse quadro de violência responde na produção artística contemporânea, independente da sua linguagem. A arte que registra o cotidiano tem por diversas vezes retratado as violências brasileiras, sendo na fotografia, na pintura, escultura, poesia e entre outras", disse o pesquisador.

METAS

Camila Grimaldi também falou sobre as metas do equipamento cultural para este ano. "Estamos em diálogo com a comunidade artística e em paralelo a isso temos o edital aberto até o dia 30 de janeiro de uma chamada pública para artistas brasileiros e estrangeiros residentes no país interessados em expor trabalhos na Galeria em qualquer modalidade do campo das artes visuais. Com isso estamos expandindo o equipamento a nível nacional, a partir deste ano todas as chamadas serão abertas e não ficarão restritas apenas a maranhenses". Ela ressalta ainda a realização de mais uma edição do Salão de Artes Visuais que já tem agendada uma roda de conversa aberta ao público no próximo dia 10, às 19h.

A proposta da chamada pública é abrir a galeria para que artistas de outros estados possam participar e promover o intercâmbio e circulação de obras. As inscrições são gratuitas e vão até o dia 30 de janeiro. Os interessados em participar deverão preencher formulário disponibilizado no documento da chamada pública e enviar em formato PDF para o e-mail galeriatrapicheslz@gmail.com com anexos do currículo, portfólio, documentos que comprovam atividade artística, fotos em alta resolução da proposta e projeto expográfico.

Serão avaliadas a criatividade, originalidade, contemporaneidade e qualidade técnica de cada proposta, bem como adequação da proposta às instalações da Galeria Trapiche, o estímulo ao conhecimento e à valorização da pluralidade social e cultural, e o currículo artística do proponente.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem