agencia

Notícias

Atualizado em 13/01/2017 às 16h04

Prefeitura abre cadastro para o serviço de Família Acolhedora

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís


A Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal da Criança e Assistência Social (Semcas), está cadastrando pessoas interessadas em participar do serviço de Família Acolhedora. O objetivo é oferecer acolhimento temporário a crianças e adolescentes em situação de violação de direitos, cujas famílias estejam temporariamente impossibilitadas de exercer sua função de proteção e cuidado.

O serviço em São Luís conta atualmente com 10 famílias cadastradas e aptas para o acolhimento, tendo quatro adolescentes inseridos em famílias acolhedoras.Para se habilitar, é preciso ter moradia fixa na capital; disponibilidade de tempo para cuidar da criança ou adolescente; ter mais de 21 anos; ser saudável para zelar pelo acolhido; garantir a frequência na escola e a convivência familiar e ter a concordância de todos os membros da família para o possível acolhimento. Além disso, é necessário não ter interesse em adoção, já que uma das principais características do serviço é promover o retorno do acolhido a seu núcleo familiar de origem ou extenso.

De acordo com a titular da Semcas, Andreia Lauande, o serviço oferece à crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social e violação de direitos, a oportunidade de uma convivência familiar e comunitária. "O Família Acolhedora é um serviço que possibilita respostas mais humanas e personalizadas no atendimento a crianças que, temporariamente, precisam ficar afastadas de sua família de origem. Todos os esforços são empenhados pelas equipes da Semcas, conforme orientação dada pelo prefeito Edivaldo, de garantir eficiência no serviço e proporcionar convivência familiar e comunitária, além de promover mudanças na realidade dos acolhidos", disse.

CADASTRO

O cadastro deve ser feito na Secretaria Municipal da Criança e Assistência Social (Semcas), na Avenida Senador Vitorino Freire, Edifício Cesário, n° 29 – Anel Viário. Mais informações podem ser obtidas pelos contatos da coordenação do serviço (98) 98865-0288 ou (98) 98735-7371.

É necessário ainda apresentar os seguintes documentos: RG e CPF (cópia autenticada); comprovantes de renda e residência (cópia); atestado de Idoneidade Moral (original com firma reconhecida); atestado médico físico e mental; certidão negativa de antecedentes criminais estadual e certidão negativa de antecedentes criminais federal (originais).

Durante o período de acolhimento, a família cadastrada recebe ajuda de custo mensal de um salário mínimo para despesas com alimentação, higiene pessoal, lazer, material de consumo e vestuário. Além disso, a família e o acolhido receberão acompanhamento pela equipe técnica do serviço, composta por psicólogos e assistentes sociais.

O acompanhamento será realizado através de rodas de conversas entre as famílias acolhedoras e as de origem. Se for o caso, equipes técnicas também realizarão acompanhamento individual e visitas domiciliares.

SERVIÇO

O Família Acolhedora, é uma modalidade de atendimento inserida no Plano Municipal de Acolhimento Institucional e Familiar para Crianças e Adolescentes da capital, com o objetivo de proporcionar às crianças e adolescentes vítimas de violação de direitos o acolhimento temporário por famílias cadastradas no serviço.

O serviço não deve ser confundido com adoção e a criança ou adolescente deve permanecer com a família acolhedora no prazo máximo de dois anos. No entanto, dependendo da situação de violação e constatada a falta de condições da retomada do convívio com a família de origem, o prazo pode se estender.