agencia

Notícias

Atualizado em 09/02/2017 às 18h08

Prefeitura realiza sorteio de endereços do Residencial Piancó I

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Prefeitura realiza sorteio de endereços do Residencial Piancó IA felicidade estampada no rosto da dona de casa Tatiane Coelho Ferreira, 30 anos, era visível. Casada e mãe de três crianças pequenas, ela pode agora comemorar a conquista da casa própria e vislumbrar um futuro melhor para a família. A dona de casa foi uma das 224 contempladas com um apartamento no Residencial Piancó I, na área Itaqui-Bacanga. Em sorteio realizado nesta quinta-feira (9), ela teve acesso ao endereço de seu imóvel. O residencial integra o programa habitacional Minha Casa, Minha Vida, do Governo Federal, executado pela Prefeitura de São Luís.

Nesta sexta-feira (10), na Central de Habitação, situada à Avenida Marechal Castelo Branco, São Francisco, serão sorteados os endereços de mais 224 imóveis localizados no Piancó II, também na área Itaqui-Bacanga. O Residencial Piancó é formado por conjuntos de I a VIII, totalizando mais de  duas mil unidades habitacionais.

Nos últimos anos, a Prefeitura também já entregou unidades dos residenciais Vila Maranhão I, II, III e IV de apartamentos com dois quartos, sala, cozinha, banheiro e área de serviço. Foram entregues também pela Prefeitura unidades do Residencial Ribeira I a IX; Residencial Amendoeira; Luiz Bacelar I e II; Apartamentos do Recanto Verde; Residencial São José V; apartamentos do Piancó VII e VIII; e casas do Residencial Santo Antônio. Desde 2013, a Prefeitura de São Luís já entregou mais de 11 mil unidades habitacionais. O programa, considerado um dos maiores do Norte e Nordeste do país, já garantiu moradia digna para milhares de famílias. 

O secretário municipal de Habitação e Urbanismo (Semurh), Mádison Leonardo Andrade Silva, destacou que esta é uma etapa importante e representa um esforço da Prefeitura no intuito de diminuir o déficit no setor de habitação da capital. "É mais um residencial a ser entregue, concretizando mais um compromisso do prefeito Edivaldo com a população de São Luís.  A expectativa para todos estes beneficiados é grande, pois vão ter sua casa própria", reforçou.

Tatiane Ferreira destacou o momento como muito especial para ela e a família. "A gente estava esperando ansiosamente por isso e estamos contando o tempo para chegar ao nosso apartamento e poder dar toda segurança de um teto para nossos filhos. Não vejo a hora de mudar e poder dar uma tranquilidade para minhas filhas", ressaltou.

Jailson da Silva Bezerra, 32 anos, marido de Tatiane e que trabalha como vigilante, já faz planos para o novo lar. "É uma vida muito melhor que a gente vai ter, dentro do que é nosso. Hoje em dia, que tudo é tão difícil, ter a casa própria é um sonho que todo mundo corre atrás e nós conseguimos", festejou. Ele e a família moram de aluguel há mais de cinco anos.

CONTEMPLADOS

Na ocasião, foram contempladas 200 famílias da área Itaqui-Bacanga, cadastradas no remanejamento voluntário do Programa de Recuperação Núcleo Ambiental e Melhoria de Qualidade de Vida da Bacia do Bacanga. O programa é executado pela Prefeitura em parceria com o Banco Mundial e beneficia pessoas que moravam em área de risco nas localidades do Jambeiro e Sá Viana. "Eram pessoas em situação de risco, morando em casas às margens do mangue e em locais com alto grau de insalubridade, que foram resgatadas e têm agora a oportunidade de morar com segurança", enfatizou o titular da Semurh.

"Ter onde morar é mais que um projeto de vida realizado. Para mim, é poder garantir segurança para minha família e minhas meninas, que queriam tanto ter o próprio espaço", enfatizou o pintor Ozivaldo Diniz Almeida, 25, que é casado e pai de duas meninas, uma de dois anos e outra de nove meses.

Concluída a fase de divulgação dos endereços, será feita a vistoria. A definição da data é de responsabilidade da Caixa Econômica Federal e feita com o acompanhamento do morador; por fim, ocorre a entrega dos apartamentos aos beneficiados.

CAPACITAÇÃO E RENDA

Os sorteados com imóveis do programa habitacional da Prefeitura têm ainda a oportunidade de se capacitar e somar na renda da família com as ações do Trabalho Técnico Social, que disponibiliza cursos, oficinas, ações sociais e palestras educativas.

O projeto de habitação executado pela Prefeitura de São Luís, conforme destaca o secretário da Semurh, tem como um dos diferenciais a contratação e construção de equipamentos sociais como creche, escola, área de lazer e posto de saúde. "É marca da gestão do prefeito Edivaldo aliar a moradia digna à geração de emprego e renda com fins a melhorar a qualidade de vida destas famílias", reiterou o titular da Semurh, Mádison Andrade.

As unidades habitacionais são destinadas a pessoas de baixa renda, que não tenham residência própria. Cada empreendimento do Programa Minha Casa, Minha Vida em São Luís reserva ainda cerca de 3% a 5% das moradias para pessoas residentes em áreas de risco, desabrigadas ou que sejam benefíciárias do Aluguel Social. O trabalho de identificação desse público, que tem prioridade no programa, é realizado por equipes técnicas da Semurh.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem