agencia

Notícias

Atualizado em 04/04/2017 às 15h53

Equipamentos culturais da Prefeitura recebem três edições de projeto literário em abril

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Equipamentos culturais da Prefeitura recebem três edições de projeto literário em abrilA Galeria Trapiche Santo Ângelo e a Biblioteca Municipal José Sarney, equipamentos culturais da Prefeitura de São Luís, recebem neste mês de abril três edições do projeto Literatura Mútua, que traz rodas de conversa entre autores maranhenses para comentar experiências de leitura e escrita com o público. A programação inicia nesta quarta-feira (5), a partir das 19h30, com o ator e poeta Dyl Pires na Galeria Trapiche, localizada na Avenida Vitorino Freire – Praia Grande, em frente ao Terminal de Integração.

No dia 19, o projeto conversa com a poeta Thayná Rosa, também às 19h30, na Galeria Trapiche, e no dia 28 a Biblioteca Municipal recebe a autora Déa Alhadeff para um bate-papo às 15h, com estudantes da rede pública. A Biblioteca fica localizada na Rua do Correio, s/n – Bairro de Fátima. A entrada é gratuita em todas as edições e a mediação é feita pela jornalista Talita Guimarães, idealizadora do projeto.

"O Literatura Mútua iniciou no ano passado como resultado de uma parceria com a Galeria Trapiche, sendo pensado e realizado primeiramente neste equipamento. Depois resolvemos expandir para a 10ª Feira do Livro de São Luís e o projeto ganhou uma maior proporção. Para este ano ele já se estende para a Biblioteca Municipal ressaltando o papel dos equipamentos municipais de cultura de fomentar a literatura e arte local, além de incentivar outros jovens a praticar a leitura e escrita, pois o projeto tem essa proposta de trazer jovens escritores maranhenses para rodas de conversas e isso acaba criando um atrativo para o público de todas as idades, em especial a juventude", destacou a diretora da Galeria, Camila Grimaldi.

Para o mês de abril, o projeto promove uma roda de conversa especial com o poeta Dyl Pires por ocasião do lançamento de seu novo livro de poesia, "Éguas!" em São Luís, além das edições previstas com as autoras Thayná Rosa (Galeria Trapiche) e Déa Alhadeff (Biblioteca Municipal).

LITERATURA MÚTUA

Projeto literário sem fins lucrativos, idealizado pela escritora e jornalista Talita Guimarães, que visa reunir escritores contemporâneos publicados ou não, em rodas de conversa mensais sobre experiências de leitura e escrita. Em 2016, o Literatura Mútua promoveu 11 edições entre agosto e dezembro na Galeria Trapiche e na Feira do Livro de São Luís (FeliS).

Em 2017, o projeto amplia atividades com edições mensais sendo realizadas também na Biblioteca Municipal José Sarney (Rua do Correio, s/n – Bairro de Fátima) e em visitas a escolas, como o Centro de Ensino São Cristóvão.

Entre poetas, cronistas, romancistas, jornalistas e dramaturgos, já compartilharam suas experiências com o projeto os escritores Felipe Castro (MA), Sabryna Mendes (MA), Jônatas (MA), Júlia Emília (MA), Thalita Rebouças (RJ), Ferréz (SP), Duda Veloso (MA), Igor Nascimento (MA), Gustavo Lacombe (RJ), Zema Ribeiro (MA), Manu Marques Barbosa (MA), Laísa Couto (MA), Elizeu Cardoso (MA) e Aurora da Graça.

Em 2017, passarão pelo projeto ainda Beto Scanssete (MA), Fernando Abreu (MA), Jorgeana Braga (MA), Bruno Azevêdo (MA), Frederick Brandão (MA), Sharlene Serra (MA), Rose Panet (PB) e Júnior Lobo (MA).

PERFIS

Dyl Pires - Dyl Pires, ator, poeta. Graduado em teatro pela Universidade Federal do Maranhão. Mora há quase 10 anos em São Paulo. Trabalhou nos espetáculos "Viva El Rei D. Sebastião", "Paixão Segundo nós", "Morte e Vida Severina", "Nós, o fragmento que nos resta", "Auto de Natal" e "Auto do boi" (todos em São Luís); em SP, atuou pela Cia Os Satyros durante seis anos nas montagens de Roberto Zucco, Satyricon, Édipo na Praça, Edifício London, Não saberás e Não vencerás. Trabalhou ainda na encenação de "Você está livre", com a Cia Teatro sem Censura. Recentemente fundou, com os atores Katia Calsavara, Tadeu Ibarra e Vanessa Guillen, a Abominável Companhia, que está em cartaz com o espetáculo "Subterrâneo". Tem publicado três livros de poesia "O círculo das pálpebras", "O perdedor de tempo" e "O torcedor". Dia 8 de abril lançará "Éguas" (Pitomba!) no Chico Discos.

Thayná Rosa - Natural de São Luís, nasceu em 1997, acadêmica do curso de Ciências Sociais na UFMA e pesquisadora na área da ciência política. Começou a escrever por volta dos 12 anos, sempre influenciada pela poesia mais clássica. Possuiu poesias publicadas em revistas, como a Acre, mas suas participações com a poesia sempre foram mais em saraus poéticos organizados por produtores e músicos em eventos de São Luís e no Movimento Sebo no Chão. Sem livro publicado, Thayná expõe suas poesias em uma página pública no facebook chamada "A Rosa" (facebook.com/thaynarosapoesia). Seus trabalhos são quase sempre carregados de rimas e versos bem definidos, com descrição da realidade de forma contemplativa, romântica e conturbada, em uma relação entre o concreto e o abstrato, permeado por indagações que a realidade traz a tona.

Déa Alhadeff – A ludovicense, que atualmente cursa faculdade de Direito, começou a escrever aos 17 anos, concluindo seu primeiro livro aos 19 anos de idade. "Os segredos de uma jovem espiã" é o primeiro de quatro livros resultantes da série "Forever a Young Spy" que superou dois milhões de acessos na internet. Com uma narrativa bem-humorada e romântica, a série aborda o universo da espionagem protagonizado por personagens femininas perspicazes e misteriosas.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem