agencia

Notícias

Atualizado em 06/04/2017 às 14h41

Prefeitura de São Luís promove debate sobre inclusão escolar para estudantes com autismo

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Prefeitura de São Luís promove debate sobre inclusão escolar para estudantes com autismo Em alusão ao dia Mundial da Conscientização do Autismo, comemorado dia 2 de abril, a Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed) realizou a I Conferência sobre o Transtorno do Espectro Autista (TEA), nesta quinta-feira (6), no auditório do Centro de Biologia da Universidade Estadual do Maranhão (Uema). Com o tema "Os desafios da Educação para os estudantes com TEA: pontos e contrapontos para inclusão", a mesa de debate buscou sensibilizar a comunidade escolar, professores, estudantes de pedagogia, gestores e representantes de pais a discutir políticas voltadas para prática pedagógica na sala de aula.

A Prefeitura de São Luís desenvolve diversas políticas voltadas à Educação Especial na perspectiva da inclusão. Segundo dados da Secretaria Municipal de Educação (Semed), aproximadamente 180 estudantes autistas frequentam escolas municipais. O secretário Moacir Feitosa, ressalta que o ingresso de uma criança autista em escola regular é um direito garantido por lei. "As escolas precisam estar atentas às características dos autistas para atender as demandas específicas causadas pelo transtorno. O debate vem para esclarecer ainda mais essas políticas de inclusão tão defendidas pelo prefeito Edivaldo em suas gestões à frente da Prefeitura de São Luís", ressaltou o secretário.

O objetivo da conferência é proporcionar espaços de formação continuada e capacitação de profissionais de educação para atuar na perspectiva da Educação Inclusiva. De acordo com a superintendente de Educação Especial, Dalvina Ayres, nesta primeira edição o tema busca contribuir com embasamentos, problematizações e reflexões críticas. "O acompanhamento regular e plano pedagógico individual são elementos básicos para assegurar a integração e aprendizagem dos estudantes", disse a superintendente.

Para Marilda de Fátima Lopes Rosa, coordenadora do Núcleo de Acessibilidade da Uema e especialista em inclusão, é um desafio a permanência de crianças especiais na escola regular. "Quero parabenizar a gestão da Prefeitura por oportunizar continuamente a sociedade através da Semed, serviços, palestras, cursos gratuitamente para capacitação e alternativas para melhor desenvolver o estudante com TEA", disse.

A professora da Unidade de Educação Básica (U.E.B.) Neiva Moreira, Edna Dias Oliveira, destaca que a conferência é de fundamental importância para as práticas do dia a dia com os estudantes com TEA. "Esse debate vai contemplar e conscientizar ainda mais nós, professores, e todos que estão presentes que os alunos com TEA são capazes de aprender. A conferência vem abrir mais um leque para que possamos acreditar na inclusão não só dos estudantes autistas, mas de todos os alunos com deficiência que estão na rede municipal de ensino", disse a professora.

Estiveram presentes na mesa de abertura da conferência representando o secretário de educação, Moacir Feitosa, a superintendente da Área de Educação Especial, Dalvina Ayres; a coordenadora do evento do núcleo especial, Tereza Pinho; a coordenadora do Núcleo de Acessibilidade da Universidade Estadual do Maranhão (Uema), Marilda Rosa; a conferencista Thelma Charhini; a promotora de Educação, Luciane Bello; e ainda Darly Machado, representando a Associação dos Amigos Autistas (AMA) e Márcio de Souza, ex-presidente do Conselho Municipal das Pessoas com Deficiência (Condef).

 Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem