agencia

Notícias

Atualizado em 06/04/2017 às 15h39

Servidores da Prefeitura de São Luís são capacitados na Língua Brasileira de Sinais

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Servidores da Prefeitura de São Luís são capacitados na Língua Brasileira de SinaisA Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal da Criança e Assistência Social (Semcas) e a Escola de Governo e Gestão (Eggem) estão capacitando os servidores da Semcas na Língua Brasileira de Sinais (Libras). O treinamento, iniciado no último dia (4), se estende até 9 de maio e irá treinar as equipes para utilizar a língua nos equipamentos da secretaria. Esta é a sétima turma a ser capacitada de um total de 10.

De acordo com a secretária municipal da Criança e Assistência Social, Andreia Lauande, a Semcas está capacitando um técnico que será instrutor em cada um dos equipamentos sociais. "Seguimos a recomendação do prefeito Edivaldo de trabalharmos a política de inclusão, assim nossas equipes estão recebendo orientações básicas para realizar o acolhimento inicial do público com deficiência auditiva e garantir seus direitos dentro dos nossos equipamentos sociais", disse a titular da Semcas, Andreia Lauande.

Participam desta sétima turma, servidores do Serviço de Abordagem Social, Centros de Referência da Assistência Social (Cras) e Acolhimento. As turmas iniciais são de Libras Básicas para, em seguida, serem ofertados os cursos intermediários e avançado. A Secretaria faz, em média, 150 atendimentos mensais de pessoas com deficiência auditiva.

"Na nossa rotina, encontramos pessoas com surdez e o curso irá facilitar nosso diálogo junto delas, nos fazendo compreender melhor sua história de vida, e tornado nosso trabalho ainda mais eficiente. Eu me identifiquei muito com a Língua Brasileira de Sinais e pretendo me especializar", disse a orientadora social, Tatiana Cordeiro, que trabalha no Serviço de Abordagem Social.

O CURSO

O curso básico de 40 horas está sendo ministrado por instrutores da Eggem a 30 servidores da Semcas nas manhãs das terças e quintas, das 8h às 12h. O conteúdo contempla 15% de teoria e o restante de prática e inclui o alfabeto de libras, números, saudações, entre outras coisas. Serão aplicadas avaliações práticas com um dos instrutores que possui deficiência auditiva e ao final os aprovados receberão certificado de conclusão de curso.

A Língua Brasileira de Sinais é a segunda língua mais utilizada no Brasil. A professora e interprete de libras, Angelina Freitas ressalta a importância das pessoas se habilitarem para este atendimento. "A qualquer momento, um servidor pode encontrar uma pessoa com surdez, então o objetivo é prepara-los compreender e saber encaminhar melhor as demandas desse público", explicou a professora.

SAIBA MAIS

Língua Brasileira de Sinais

No Brasil, a Língua Brasileira de Sinais é oficial para surdos desde a edição da Lei nº 10.436/2002. A lei garante às pessoas com deficiência auditiva o acesso à educação e à saúde e determina que o poder público e concessionárias do serviço público devem assegurar o atendimento diferenciado em Libras para os deficientes auditivos, realizado por, pelo menos, 5% dos servidores e funcionários capacitados para uso e interpretação da língua.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem