agencia

Notícias

Atualizado em 18/04/2017 às 15h37

Prefeitura discute com outros municípios implementação da Política de Saúde do Trabalhador

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

A Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semus), está discutindo com os municípios de Alcântara, Paço do Lumiar, Raposa e São Jose de Ribamar estratégias para a implementação da Política Estadual de Saúde do Trabalhador, na sua área de abrangência regional. Representantes das secretarias de Saúde destes municípios, sob a coordenação do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest Regional São Luís), estão programando ações conjuntas.

O objetivo é aumentar a adesão das empresas e organizações ao cumprimento da legislação preventiva e protetiva da saúde do trabalhador e garantir o acesso deste aos serviços de saúde. A secretária de Saúde de São Luís, Helena Duailibe, diz que a Política de Saúde do Trabalhador prevê a articulação de vários agentes e a estruturação de uma rede de informações, além da prestação de serviços.

"Estamos integrando os municípios nesse esforço de ampliar as ações, capacitar profissionais e sensibilizar os empregadores, pois não se trata apenas de prevenir acidentes e doenças ocupacionais. Devemos fomentar a cultura da gestão de riscos à saúde e segurança dos trabalhadores", explica a secretária.

CEREST

O Cerest Regional São Luís é um órgão ligado à Semus que disponibiliza à rede de serviços do SUS suporte técnico-pedagógico e clínico-assistencial para a atenção integral à saúde dos usuários trabalhadores urbanos e rurais, compreendendo promoção, prevenção, vigilância, diagnóstico, tratamento e reabilitação.

A macrorregional São Luís é composta por 99 municípios que estão distribuídos em oito Regionais de Saúde: Bacabal, Pedreiras, Pinheiro, Rosário, Santa Inês, São Luís, Viana e Zé Doca.

Segundo a coordenadora do Cerest Regional São Luís, Joelma Veras, estas regionais pactuaram, em 2013, a implantação da Notificação dos Acidentes e Agravos em Saúde do Trabalhador em 80% dos seus municípios. "Ficamos com a responsabilidade de apoiar e articular o trabalho, supervisionando as notificações, auxiliando nos protocolos de investigações e no diagnóstico dos agravos à saúde relacionados ao trabalho", afirma Joelma Veras.