agencia

Notícias

Atualizado em 12/05/2017 às 16h04

Reggae como produto turístico é discutido em seminário promovido pela Prefeitura

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Reggae como produto turístico é discutido em seminário promovido pela PrefeituraProdutores, donos de radiolas, dançarinos, donos de bares, DJs, grupos de dança e pesquisadores se reuniram nesta quinta-feira (11), dia em que se celebra o Dia Nacional do Reggae, no "Seminário Reggae e Turismo", promovido pela Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Turismo (Setur) e pela Comissão Integrada do Reggae e Turismo (CIRT). A 9ª edição do evento teve como tema "Economia solidária e a cadeia produtiva do reggae de São Luís".

Para a titular da Setur, Socorro Araújo, uma das criadoras da CIRT, o setor precisa discutir maneiras de se fortalecer cada vez mais. Ela conta que o reggae tem uma importância cultural e um potencial turístico muito forte, pois já é uma marca característica da cidade, que carrega o título de "Jamaica Brasileira".

"O reggae precisa de um trabalho continuado para que seja um produto turístico de qualidade. O seminário é o momento ideal para que possamos debater com o segmento os avanços já conseguidos nestes mais de 10 anos de Comissão Integrada do Reggae e Turismo e, claro, o que ainda precisamos melhorar", analisa a secretária.

Além formatar o reggae como produto turístico, no seminário também foram discutidas possíveis formas de trabalho solidário. Para isso, o diretor superintendente do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Maranhão (Sebrae-MA), João Martins, estimulou que a cadeia produtiva do reggae buscasse formas de captação de recursos para colocar em prática os diversos projetos que já existem na área.

Outro objetivo do seminário foi de desmistificar a ideia de que o reggae ludovicense é apenas dança e lazer, considerando também os aspectos sociais, políticos, econômicos e culturais. Segundo Fábio Araújo, presidente da CIRT, o reggae é fonte geradora de emprego e renda. "Não somos regueiros guerreiros. Somos guerreiros regueiros. Quem faz o reggae se orgulha e corre atrás para que se tenha mais prestígio. Por isso, agradecemos muito o apoio da Setur, que sempre nos deu a mão", agradece.

A 9ª edição do evento teve também participação do deputado estadual Bira do Pindaré; do consultor-inteligência de mercado do Sebrae-MA, Jader de Oliveira Junior; da assessora técnica da União Nacional de Empreendimentos da Economia Solidária (Unisol), Mariana Nascimento; da professora e pesquisadora Thalisse Ramos; e da relações públicas da Secretaria de Estado do Trabalho e Economia Solidária (Setres).

COMISSÃO 

Criada e em plena atividade desde 2006, a CIRT de São Luís, vinculada a Setur, é a união de um grupo formado por membros eleitos representantes de vários segmentos da cadeia produtiva do reggae organizada envolvendo: bandas, cantores, DJs, grupos de dança, radiolas, equipes de vinil, bares, comunicadores, mídias alternativas, produtores, colecionadores, pesquisadores, artesãos, gastronomia, torcida organizada e outros.

O grupo se reúne para discutir projetos culturais, sociais e educacionais, buscando melhorias e parcerias para todos que compõem e simpatizam com o "Movimento Reggae" confirmando-o como força de expressão cultural, fonte geradora de emprego e renda.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem