agencia

Notícias

Atualizado em 31/05/2017 às 18h46

Mais de 16 mil alunos da rede municipal participam de ações educativas de combate às arboviroses

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Mais de 16 mil alunos da rede municipal participam de ações educativas de combate às arboviroses

Mais de 16 mil alunos da rede pública e privada da capital já foram alcançados este ano pelas ações de informação, educação e saúde desenvolvidas pela Prefeitura de São Luís. O trabalho é realizado por meio do projeto "Cidadania no Enfrentamento das Arboviroses", colocado em prática pela Secretaria Municipal de Saúde (Semus), por meio da Coordenação de Vigilância Sanitária, em parceria com o Governo do Estado. O objetivo ação é o controle de doenças como a dengue, zika, chikungunya e febre amarela, transmitidas pelo Aedes aegypti.

A ideia principal de realizar a ação dentro da sala de aula é aproximar o currículo do aluno a uma realidade muito conhecida, favorecendo o processo ensino-aprendizado e auxiliando na transformação da realidade da comunidade onde a escola está instalada.

O trabalho inclui demonstração do ciclo evolutivo do mosquito Aedes aegypti e palestras onde os estudantes recebem orientações sobre os cuidados para evitar a proliferação do inseto. Para os estudantes do Ensino Fundamental as explicações são repassadas por meio de apresentação de teatro de bonecos.

Estão sendo priorizados alunos de escolas de bairros onde há maior número de casos de dengue. Esta semana a ação foi realizada no Centro Educacional Nerval Lebre Santiago, no bairro da Camboa, envolvendo alunos do Ensino Médio.

"Nós entendemos que ações preventivas são muito amplas, podem acontecer em qualquer lugar e o espaço escolar é ideal para multiplicar conhecimentos sobre as arboviroses e como elas podem ser prevenidas. Com a orientação do prefeito Edivaldo estamos trabalhando para sensibilizar o aluno, pois ele absorve informações com facilidade e certamente vai multiplicar e ampliar esse conhecimento, usando toda a sua criatividade, completando as ações que a Prefeitura tem feito para combater a dengue, a zika e a chikungunya", disse a secretária da Semus, Helena Duailibe.

CONSCIÊNCIA

Tânia Vidigal, que acompanhou a ação representando a Secretaria de Estado da Educação, destacou que um dos pontos importantes da ação é que ela leva os alunos a refletir sobre sua responsabilidade no controle das arboviroses e o que cada um pode fazer para reduzir o número de casos das doenças.

"Eles entendem que é importante não somente usar o repelente, que têm que limpar as caixas d'água, mas porque devemos fazer isso. O que eu ganho? e eu ganhando, quem mais ganha?. São essas questões que suscitamos nos alunos durante a ação", frisou Tânia Vidigal.

A estudante Crisangela dos Santos participou da ação e disse que agora tem um conhecimento maior sobre as doenças que são causadas pelo Aedes aegypti. "Os sintomas das doenças são muito parecidos, nos confundem. A partir das informações que foram repassadas durante a apresentação das agentes de saúde foi possível tirar nossas dúvidas e também nos alertou para os cuidados na prevenção da doença, sobretudo em ficar atento a possíveis criadouros do mosquito. Achei a ação muito positiva", disse a estudante.

Felipe Soares, que também ouviu as explicações sobre o ciclo evolutivo do mosquito e sobre as doenças que ele transmite saiu mais bem informado sobre o assunto. "Eu, graças a Deus, ainda não tive nem uma dessas doenças e ficou agora mais claro o que devo fazer para manter o mosquito longe de casa, da escola e de todos", disse.

O coordenador da unidade de ensino, Ajax Wellington Parente Rocha, disse que o programa reforça o trabalho que é realizado na escola. E é importante por priorizar áreas com maior número de casos da doença. "Essa mobilização é importante para que esses alunos multipliquem o conhecimento dentro da escola e dentro da família", disse.

COMBATE AO MOSQUITO

Com atividades permanentes, o município tem conseguido reduzir de forma significativa os caso de dengue, zika e chikungunya na capital. Estima que este ano o número os casos de dengue sejam 90% menor do que do ano passado. A secretaria de Saúde, Helena Duailibe, disse que a redução do número de caso das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti se deve ao compromisso da gestão do prefeito Edivaldo em enfrentar o mosquito com vigilância e trabalho.

"O controle efetivo da dengue, zika e chikungunya não é responsabilidade exclusiva do poder público. A população tem o papel fundamental de combater o mosquito e evitar que ele se multiplique, adotando os cuidados preventivos. Só vamos vencer essa batalha com o envolvimento de todos", frisou a Helena Duailibe.

O coordenador de vigilância sanitária do município, Pedro Tavares, classificou as ações educativas como uma das mais importantes no controle do Aedes. "Por termos esse entendimento foi que realizamos este ano cursos para todos os agentes tratando dessa abordagem educativa para que eles pudessem melhorar o contato com os moradores durante a vistoria às residências e comércios", contou Pedro Tavares.

As ações realizada nas escolas somam-se a outras atividades permanentes de controle de focos do mosquito como visitas domiciliares, vistorias a borracharias e cemitérios, coleta de pneus, ações de limpeza da cidade por meio do "Mais saúde, Mais limpeza", recolhimento de residuos inserviveis por meio da ação do "Bota fora", entre outras ações.

"Esse é um trabalho permanente, porque o mosquito tem que ser combatido durante todo o ano", enfatizou Cristina Ericeira que está à frente do grupo da Educação e Saúde no Programa da Arboviroses.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem