agencia

Notícias

Atualizado em 23/09/2017 às 12h23

Alunos da rede municipal de ensino participam de roda de conversa na Biblioteca José Sarney

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Alunos da rede municipal de ensino participam de roda de conversa na Biblioteca José SarneyOs alunos do 9º ano do Centro de Ensino Estado do Amazonas, no bairro de Fátima, em São Luís, tiveram uma aula diferente na sexta-feira (22). Eles participaram do projeto Literatura Mútua, que realizou uma roda de conversa com o escritor maranhense Frederick Brandão, na Biblioteca Municipal José Sarney, equipamento municipal de cultura localizado na Rua do Correio, s/n, Bairro de Fátima. A mediação foi da jornalista Talita Guimarães.

A Biblioteca Municipal José Sarney tem uma programação de eventos de incentivo à leitura que dura todo o ano. "O projeto Literatura Mútua vem somar com este objetivo porque aproxima o escritor de alunos que muitas vezes não têm contato com a literatura, motivando esse aluno a ser um leitor", disse a diretora da Biblioteca, Rita Oliveira.

Cientista social graduado pela Universidade Federal do Maranhão em 2006 e natural de Codó (MA), Frederick Brandão falou de suas experiências enquanto pesquisador e 'leitor de mundo'. Ele atuou como assistente de direção do cineasta e antropólogo espanhol Iban Ayesta no interior do Maranhão para a produção do longa-metragem "Pedra, peixe, rio". A partir dessa vivência, nasceu o romance "O Encontro do Adeus".

O livro faz parte do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) de Brandão, que foi escrito a partir de sua experiência de campo antropológica na comunidade Itamatatiua, em Alcântara, durante a produção do filme. As gravações duraram três anos neste lugarejo. No livro, há um jogo entre a ficção e realidade vista pela própria vivência do autor, mesclando relatos e fragmentos do roteiro.

O adolescente Júlio Bispo, de 15 anos, foi um dos estudantes que participaram da roda de conversa e conta que foi muito gratificante aprender mais sobre um autor maranhense. "Serve como inspiração porque podemos nos tornar grandes pessoas como ele, adquirir conhecimento e transmitir para outras pessoas. Além disso, surte efeito porque através desse incentivo, do contato com o próprio autor, temos oportunidade de começar a pensar em que área profissional queremos atuar", explica.

GALERIA

O público da Galeria Trapiche Santo Ângelo também conheceu mais sobre o escritor maranhense Frederick Brandão, que participou do projeto Literatura Mútua, na quarta-feira (20), às 19h30. A Galeria é um equipamento municipal de cultura e localiza-se na Praia Grande, em frente ao Terminal de Integração.

A escritora e idealizadora do Literatura Mútua, Talita Guimarães, explicou que geralmente são escolhidos escritores diferentes, pois o público dos equipamentos culturais é diferente. Na Galeria é um público mais maduro, já na Biblioteca são adolescentes que ainda não são leitores ou estão iniciando suas experiências literárias.

"Neste mês resolvemos fazer uma maratona com o mesmo autor nos espaços em que o projeto acontece e possibilitar a mesma experiência para os diferentes públicos. Esta troca da leitura de mundo do Frederick, enquanto cientista social, mostra que todos somos leitores ou podemos nos tornar um. É uma forma de valorizar a literatura", disse a jornalista. Ainda este ano, a Galeria Trapiche recebe em outubro a escritora Charlene Serra, em novembro Rose Panet e em dezembro Júnior Lobo.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem