agencia

Notícias

Atualizado em 10/11/2017 às 16h17

Cortes federais na área da Assistência Social são discutidos em audiência na Câmara

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Secretária Andréia Lauande explica que avanços na área da assistência sofrerão com o corteA Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal da Criança e Assistência Social (Semcas) participou, nesta sexta-feira (10), da audiência pública que teve como tema "Corte do Orçamento da Assistência Social pelo Governo Federal e suas consequências para São Luís", realizada na Câmara Municipal. De acordo com a proposta do Governo Federal, o corte no orçamento da política de Assistência Social para 2018 é de 98%.

Durante a audiência, a secretária municipal da Criança e Assistência Social, Andréia Launde, apresentou dados sobre os serviços e projetos mantidos pela Semcas. "Nacionalmente nós precisamos de três bilhões para manter o que já existe hoje. O Governo propôs 75 milhões. Atualmente, os recursos destinados para manter a estrutura em São Luís são de pouco mais de 35 milhões de reais. Foram mais de 40 mil pessoas atendidas pela Semcas somente em 2016". No município de São Luís, um dos maiores impactos será no Serviço de Acolhimento Institucional, assinalou a titular da pasta.

No decorrer da audiência, diversos pontos foram destacados, entre eles, as graves consequências tanto para quem necessita da política de Assistência como para a classe trabalhadora, devido aos desmontes previstos e o possível recuo nos avanços alcançados ao longo da gestão do prefeito Edivaldo, caso se concretize a proposta Federal.

O vereador Raimundo Penha, que requereu a audiência pública, pontuou o grave momento para a política da Assistência. "Esta audiência nasceu de uma solicitação de vocês que aqui estão, trabalhadores, gestores e sociedade civil. Mas a defesa dessa política não acaba aqui. Nós entramos com o requerimento para a criação da Frente Parlamentar em defesa do Sistema Único da Assistência Social (Suas), que tem por objetivo mobilizar parlamentares e congregar forças", declarou o vereador.

A representante do Fórum dos Usuários do Suas, Marcelina Soares convidou os vereadores para permanecerem na luta em defesa da política. "Eu vim andando da Vila Embratel, cheguei aqui com os pés queimando, mas não poderia perder esta oportunidade. Aproveito para conclamar os vereadores a destinarem emendas parlamentares para a Assistência Social e que nós possamos permanecer juntos", pediu Marcelina Soares.

Participaram ainda da audiência, os vereadores, Ricardo Diniz (PCdoB), Sá Marques (PHS), Genival Alves (PRTB) e Marquinhos (PRB ); as instituições Conselho Regional do Serviço Social, Fórum Municipal dos Usuários do Suas, Fórum dos Trabalhadores do Suas, Fórum Estadual das Entidades Sócioassistenciais, Conselhos Estadual e Municipal da Assistência Social, Sindicato Estadual da Assistência Social, Conselho Regional de Psicologia, Conselhos Tutelares, entre outras.

SAIBA MAIS
Conheça melhor a estrutura mantida pela Semcas
- São 20 Centros de Referência de Assistência Social (Cras); três Centros de Convivência (Circo Escola, Casa do Bairro e Vila Luizão), cinco Centros de Referência Especializado de Assistência Social (Creas); dois Centros de Referência Especializado no Atendimento à População em situação de Rua (Centro Pop) Centro e Anil; cinco abrigos executados diretamente, sendo: um Residência Inclusiva para pessoas com Deficiência, um para pessoas em situação rua; um para adolescentes; um para crianças; um Casa de Acolhida Temporária para pessoas adultas e famílias e mais cinco executados indiretamente por instituições conveniadas; um Centro Dia (Serviço de Proteção Social Especial para pessoas com Deficiência com dependência); um Centro - Dia para criança até 06 anos com microcefalia (em processo de implantação). Além da estrutura física, são desenvolvidos diversos programas e projetos que atenderam mais de 40 mil pessoas em 2016.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem