agencia

Notícias

Sábado, 18/11/2017 - 09h14

Prefeitura de São Luís garante moradia com apoio para a autonomia financeira e geração de renda

Quem é contemplado dos programas habitacionais da Prefeitura de São Luís, além de um local digno para morar, tem a chance de se capacitar com os cursos do Trabalho Social

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

A manicure Mariana Abreu está aumentando a renda familiar com artesanatoUma nova alternativa de trabalho e renda surgiu para a manicure Mariana Abreu, 40 anos, quando participou de uma oficina de artesanato. Ela conta que já gostava de trabalhos manuais e ao saber da capacitação decidiu se aperfeiçoar. A capacitação é uma das mais de 30 modalidades de curso que aconteceram em mais de 200 ações oferecidas pela Prefeitura de São Luís, a partir do Trabalho Social, que integra as ações habitacionais da gestão do prefeito Edivaldo dentro do programa do Governo Federal 'Minha Casa, Minha Vida', executado pela Prefeitura de São Luís.

O Trabalho Social já realizou mais de 14 mil atendimentos desde palestras até atendimentos de plantão social. Somente no que diz respeito aos cursos, foram entregues 7.288 certificados até o dia 16 de outubro. Além dos cursos, há ainda a oferta de oficinas.

Quem é contemplado dos programas habitacionais da Prefeitura de São Luís, além de um local digno para morar, tem a chance de se capacitar com os cursos do Trabalho Social. O aprendizado ajudou Mariana a ampliar a renda da família com os produtos artesanais que confecciona. São bonecos, itens para cama, mesa e banho, arranjos de decoração e outros.

"Eu já gostava de artesanato e sempre quis aprender. Quando surgiu essa chance eu logo me inscrevi e gostei muito. Eu já consigo ter uma renda a mais com esse trabalho aqui onde moro", disse ela que mora no Residencial Ribeira V.

O secretário municipal de Urbanismo e Habitação (Semurh), Mádison Leonardo Andrade, ressaltou que a Prefeitura de São Luís dá ênfase às atividades de capacitação e renda seguindo a determinação do eixo de Desenvolvimento Sustentável, conforme portaria do Ministério das Cidades. "É um pioneirismo da gestão do prefeito Edivaldo e que fortalece a relação com os beneficiários, além de garantir a eles oportunidades de profissionalização e busca a outros direitos. É moradia com dignidade e cidadania", destacou o titular da Semurh.

Para Neilsen Nascimento Passinho, 25 anos, a capacitação garantiu emprego formal. Aluno de vários cursos na área de beleza, hoje é monitor do projeto. "Fiz um, após outro e a cada curso eu estava mais estimulado a ir em frente. Hoje divido meu tempo entre os atendimentos no espaço que montei em casa e nas aulas que ministro no projeto habitacional. Foi muito importante na minha vida", diz ele, que é morador do Residencial Ribeira IX.

"Eu queria aprender algo novo e os cursos que ofereceram a nós foram um atrativo para mim. Quando vi os trabalhos em feltro me apaixonei e decidi que queria participar dessa oficina. Hoje, consigo ter uma renda extra com meus trabalhos por encomenda", destaca a artesã Darlene Alves, 49 anos, moradora do Residencial Ribeira IV. Estão em andamento capacitações nos habitacionais Santo Antônio e Amendoeira.

CIDADANIA

Pelo Trabalho Social são promovidas dezenas de ações contemplando os residenciais do município. O projeto inclui cursos e oficinas que estimulam o empreendedorismo e a autonomia financeira das famílias, além do acompanhamento social de cada contemplado.

Na lista são mais de 30 capacitações, definidas junto às comunidades. Entre os mais solicitados estão decoração de sandálias, artesanato, corte e costura, agente de portaria, promotor de vendas, pintura em vidro e confecção de tapetes. Um total de 14 mil moradores dos residenciais Piancó 7 e 8, Ribeira de 1 a 9 e Santo Antônio 1 e Amendoeira, participou das atividades do Trabalho Social.

Somado às capacitações, o Trabalho Social inclui acompanhamento das famílias em palestras, com o atendimento em plantão social e visitas domiciliares. São abordados temas como organização comunitária, preservação ambiental, identidade de gênero, raça e regionalismo, além de orientação socioassistencial. O Plano de Desenvolvimento Socioterritorial (PDST) integra o Trabalho Social e é voltado para contemplados no programa 'Minha Casa, Minha Vida', do Governo Federal executado pela Prefeitura de São Luís.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem