agencia

Notícias

Quarta-feira, 10/01/2018 - 09h18

Prefeitura de São Luís recolheu mais de 85 mil pneus inservíveis em 2017

Ação é resultado do compromisso do prefeito Edivaldo com a preservação ambiental; trabalho já garantiu a Prefeitura o troféu Destaque Ambiental

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Funcionários da Prefeitura recolhem pneus diariamente na cidadeMais de 85 mil pneus foram recolhidos pela Prefeitura de São Luís, em 2017. São itens considerados inservíveis e coletados em oficinas mecânicas, borracharias e ferros-velhos na capital. A coleta foi realizada em mais de 920 estabelecimentos na capital, ao longo do ano. A coleta é diária e todo o montante recolhido é destinado à reciclagem. A ação é resultado do compromisso do prefeito Edivaldo com a preservação ambiental.

O trabalho que segue na segunda gestão do prefeito Edivaldo,  já garantiu a Prefeitura o troféu Destaque Ambiental de 2014. O reconhecimento ocorreu durante a solenidade de entrega do Prêmio Melhoria da Qualidade do Ar, da Federação das Empresas de Transportes Rodoviários dos Estados do Ceará, Piauí e Maranhão (Cepimar) em parceria com o Serviço Social do Transporte (Sest) e o Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Senat).

"É uma política ambiental que busca administrar os processos, desde o recolhimento de um material que já cumpriu a sua utilidade e garantir a destinação correta. Além disso, tem gerado benefícios para a cidade em diversas áreas como saúde, meio ambiente. Com esta iniciativa o prefeito Edivaldo soma no equilíbrio ambiental e na qualidade de vida das pessoas. Importante esforço para manter a cidade limpa, o ambiente preservado e a saúde da população", destaca o secretário de Obras e Serviços Públicos (Semosp), Antonio Araújo.

O recolhimento de pneus inservíveis para o reaproveitamento contribui para a preservação do meio ambiente e para a melhoria da saúde pública. A queima dos pneus dispostos inadequadamente produz um resíduo oleoso que contamina o solo e o lençol freático, além de intensa fumaça preta contendo produtos químicos responsáveis pela poluição do ar. A borracha vulcanizada que compõe o pneu demora cerca de 600 anos para se decompor.

ECOLOGICAMENTE REUTILIZADO 

Os pneus são recolhidos das ruas, terrenos baldios e de pequenos geradores como borracharias, oficinas de lanternagens e empresas de transportes. Depois o material é ecologicamente reutilizado, sem oferecer danos ao meio ambiente e evitando o armazenamento inadequado, que provoca o acúmulo de água e a proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue.

Por meio de parceria, todo o material é reaproveitado pela Reciclanip, empresa ligada à Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos. O convênio prevê que os pneus coletados sejam transportados para usinas de fabricação de cimento em João Pessoa (PB), Feira de Santana (BA) e Sobral (CE).

São retirados das vias urbanas pelo poder público municipal a média de sete mil pneus por mês e entregues à empresa Reciclanip, que recicla os itens. A matéria-prima que compõe o pneu é separada, o aço é retirado e a borracha triturada para servir de combustível em fornos de fábricas de cal e cimento de várias cidades do Nordeste.

A coleta contribui para o combate ao mosquito Aedes aegypti, causador da dengue, chikungunya e zyca. "Com essa ação de recolhimento estamos eliminando do meio ambiente possíveis criadouros do mosquito", alerta o secretário de Obras e Serviços Públicos. A Semosp mantém ainda um comitê interno que atua no controle dos materiais recebidos na sede, orienta funcionários no armazenamento adequado de água e vistoria regularmente a caixa d'água da secretaria.

A ação ambiental de reciclagem foi criada pela Prefeitura como forma de incentivar a sustentabilidade por meio da coleta seletiva de pneus que não têm mais utilidade. A medida aliou tanto os benefícios para a limpeza pública quanto os cuidados necessários ao meio ambiente e à saúde, uma vez que os materiais podem se transformar em criadouros do mosquito transmissor da dengue, o Aedes Aegypti, caso sejam descartados de forma inadequada.

PREOCUPAÇÃO AMBIENTAL

Os pneus em desuso são enquadrados como inertes na classe de resíduos, ou seja, materiais não inflamáveis ou que não apresentam perigo aparente, porém, o tempo mínimo que leva para se decompor na natureza é de 600 anos. Por este tempo, o descarte inadequado gera vários impactos para a saúde humana e meio ambiente como a proliferação do mosquito da dengue, acúmulo de lixo entupindo bueiros e prejudicando o escoamento de águas pluviais.

Os pneus também podem ser entregues pela população em um dos oito Ecopontos da capital, localizados no Angelim, Parque Amazonas, Bequimão, Habitacional Turu, Jardim América, Jardim Renascença, Residencial Esperança e Cidade Operária, das 7h às 19h. A entrega pode ser feita ainda na sede da Semosp, no São Cristóvão, que tem capacidade para armazenar até 15 mil pneus.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem