agencia

Notícias

Sábado, 27/01/2018 - 09h12

Prefeitura de São Luís vai capacitar ambulantes que comercializam alimentos durante o Carnaval

Treinamento será promovido pela Secretaria Municipal de Saúde, por meio da Vigilância Sanitária, que também realizará fiscalizações durante o período carnavalesco

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Momento de um dos cursos de capacitação de ambulantes promovidos pela Prefeitura A Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semus) e Vigilância Sanitária inicia, na próxima quarta-feira (31), o treinamento dos ambulantes que vão comercializar alimentos durante o Carnaval. O objetivo da ação é garantir a segurança alimentar dos foliões. Todo vendedor ambulante e barraqueiro que quiser trabalhar nas áreas onde haverá programação carnavalesca deverá realizar o treinamento em boas práticas na manipulação de alimentos para obter a autorização junto à Blitz Urbana, órgão ligado à Secretaria Municipal de Habitação e Urbanismo (Semurh).

Além da capacitação, a Vigilância Sanitária também vai realizar fiscalizações durante todo o período carnavalesco nos circuitos da Passarela do Samba (Anel Viário), Madre Deus e Praças Deodoro e Maria Aragão. A ação do órgão será na vistoria das condições de higiene dos produtos, conservação, prazo de validade e formas de manipulação, evitando que alimentos impróprios sejam consumidos.

O secretário municipal de Saúde, Lula Fylho, informa que a Vigilância Sanitária vai atuar com várias equipes. "Teremos fiscais, devidamente identificados, que estarão circulando, e os foliões podem ajudar informando sobre qualquer irregularidade que encontrarem. Essa parceria vai colaborar para que se tenha qualidade dos produtos que estarão sendo oferecidos à população. Isso é muito importante para garantir a segurança alimentar", disse o secretário.

O trabalho será de orientação, mas as irregularidades encontradas estarão passíveis de inutilização e apreensão dos utensílios ou produtos que não estejam de acordo com as normas sanitárias.

CUIDADO

A superintendente de Vigilância Epidemiológica e Sanitária da Semus, Terezinha Lobo, explica que a falta de higiene, o acondicionamento da matéria-prima utilizada na confecção dos alimentos e o preparo inadequado são fatores que facilitam a contaminação e podem trazer problemas à saúde.

"Nos treinamentos são repassadas aos ambulantes orientações sobre normas de manuseio e as boas práticas de manipulação e higiene; com isso, a Prefeitura, na gestão do prefeito Edivaldo, faz uma importante ação para garantir a qualidade final dos alimentos ao consumidor", afirma.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem