agencia

Notícias

Atualizado em 02/02/2018 às 14h14

Prefeitura de São Luís inicia Trabalho Social no Residencial Amendoeira

Bairro integra o programa federal 'Minha Casa, Minha Vida' executado pela gestão municipal; ação visa a geração de emprego e renda

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

O município de São Luís já alcançou 11 mil pessoas com o Trabalho SocialAprimoramento profissional, estímulo ao empreendedorismo e mais oportunidade no campo de trabalho são os principais aspectos do Trabalho Social desenvolvido pela Prefeitura de São Luís com os moradores de empreendimentos residenciais do programa federal 'Minha Casa, Minha Vida', na capital. Nesta sexta-feira (2), foi dado início a mais uma etapa da ação, no Residencial Amendoeira 3 e 4. Serão ofertados mais de 60 cursos profissionalizantes para beneficiar cerca de dois mil moradores do residencial. O ato de lançamento da ação aconteceu na Associação de Moradores do Amendoeira e segue a política do prefeito Edivaldo de fomento ao emprendedorismo e geração de renda.

Com essa fase do projeto, o município chega ao número de 11 mil pessoas contempladas pela ação.Entre os cursos ofertados pelo projeto estão os de elaboração de doces e salgados, artesanatos, secretariado, cabeleireiro, garçom, agente de portaria, design de sobrancelha, jardinagem, decoração de sandálias, confecções de bijuterias, almofadas, entre outros. Também são realizadas palestras abordando temas como sustentabilidade ambiental, desenvolvimento socioterritorial, educação patrimonial, igualdade racial e de gênero, além de ações de incentivo à leitura e práticas esportivas para as crianças e adolescentes moradores dos residenciais beneficiados pelo projeto.

O trabalho é coordenado pela Secretaria Municipal de Urbanismo e Habitação (Semurh). "A ação busca apoiar os novos moradores desses residenciais a terem mais oportunidade de trabalho e renda, por meio das capacitações ministradas; exercerem sua cidadania, estimular o empreendedorismo e terem maior participação comunitária, como orienta o prefeito Edivaldo", destacou o secretário da Semurh, Leonardo Andrade.

"O Trabalho Social também estimula a organização da população e a gestão comunitária dos espaços comuns, na perspectiva de contribuir com a harmonia entre os moradores, a melhoria da qualidade de vida das famílias beneficiárias e a sustentabilidade dos empreendimentos", completou o secretário.

Na ocasião, foram entregues os certificados de conclusão dos cursos ministrados aos moradores do Residencial Amendoeira 1 e 2, onde o Trabalho Social já foi concluído, beneficiando a cerca de 1.800 pessoas. O projeto também já foi executado nos residenciais Santo Antônio I e II, Piancó 7 e 8 e Ribeira de 1 a 9.

Segundo a coordenadora do 'Minha Casa, Minha Vida', em São Luís, Gabriela Melo, o programa habitacional na capital não contempla apenas as edificações físicas. Nesse sentido, após a entrega das unidades, até 12 meses depois, a Prefeitura realiza um conjunto de ações de caráter educativo e informativo junto aos beneficiários, para promover o exercício da participação cidadã. Ela explica, ainda, que o trabalho visa desenvolver ações de apoio e fortalecimento à participação efetiva das famílias beneficiárias, através de atividades que promovam a inclusão social e produtiva, garantam a geração de renda e a convivência social.

CAPACITAÇÃO

O Trabalho Social desenvolve ações de capacitação profissional e de caráter educativas, voltadas ao aumento da empregabilidade e a geração de renda; além de educação ambiental, sanitária e patrimonial. As ações são realizadas por meio de cursos, oficinas, palestras nas áreas de sustentabilidade, saúde, alimentação, atendimento, embelezamento, informática, artes, educação, entre outras áreas.

Uma dos beneficiários do Trabalho Social é a auxiliar administrativa Franciele Santos Nunes, 42 anos, que participou do curso de secretariado ministrado para os moradores do Amendoeira I e II. "Como eu já trabalho na área, aproveitei a oportunidade para me aprimorar um pouco mais com essa capacitação. Foi uma experiência grandiosa na minha vida", disse ela.

A dona de casa Ildeane Cutrim Rodrigues, 33 anos, concluiu os curso de decoração de sandálias e confecções de biscuit

Também beneficiária da ação, a dona de casa Natália Lisboa, 32 anos, enaltece a realização dos cursos. "Eu me inscrevi em seis capacitações e conclui todas. Tive e a possibilidade de fazer e não perdi a oportunidade. Agora pretendo reproduzir os artesanatos que aprendi a fazer para ter um ganho extra", relatou.

Quem também não perdeu a oportunidade foi a dona de casa Ildeane Cutrim Rodrigues, 33 anos. "Fiz o curso de decoração de sandálias e confecções de biscuit, artes que quero praticar a partir agora e tentar ganhar um dinheiro a mais com venda dos meus produtos", concluiu ela.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem