agencia

Notícias

Terça-feira, 06/02/2018 - 08h04

Biblioteca Municipal promove roda de conversa sobre Carnaval com alunos do Bairro de Fátima

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

O combate à violência foi tema de palestra voltada para estudantes do Ensino MédioA semana iniciou de um modo diferente para os alunos da C. E. Estado do Amazonas, no Bairro de Fátima. Na tarde de segunda-feira (5), eles participaram da roda de conversa "Brincar sem brigar", com o coordenador-adjunto da Associação de Conselheiros Tutelares do Estado do Maranhão e representante do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) do Bairro de Fátima, Carlos Sérgio Sousa Araújo, que abordou a violência no período carnavalesco. O evento marcou o início do projeto "Carnaval Cultural: Leitura e Folia", que realiza uma série de atividades até a próxima quinta-feira (8) e é promovido pela Prefeitura de São Luís por meio da Biblioteca Municipal José Sarney. A Biblioteca fica localizada na Rua do Correio, s/n, Bairro de Fátima.

Participaram também da roda de conversa a coordenadora pedagógica do C. E. Estado do Amazonas, professora Paula Rosa; a gestora do Educandário Manoel da Conceição, professora Kennia Pereira; e o representante do Conselho Pacto pela Paz, pastor Ribamar Silva.

O coordenador-adjunto da Associação de Conselheiros Tutelares do Estado do Maranhão e representante do Cras do Bairro de Fátima, Carlos Sérgio Sousa Araújo, iniciou sua fala observando que toda pessoa a partir de 12 anos já é adolescente e, se cometer ato infracional, vai cumprir medidas socioeducativas nas unidades da Fundação da Criança e do Adolescente (Funac) do Maranhão.

"Violência é coisa séria, não é brincadeira. Brincar no carnaval é curtir a folia em paz com o próximo, dizer não às drogas e informar aos pais onde vai, porque muitos adolescentes desaparecem nesse período. É preciso também aprender a dizer não às más companhias que podem levar o jovem para o mundo das drogas e da marginalidade. É preferível que vocês sejam corrigidos pelos pais do que pela polícia", alertou o coordenador.

Iasmin Nayane Weknee Amorim, 16 anos, é aluna do 3º ano do Ensino Médio e enfatizou que a roda de conversa foi importante para mostrar essa realidade para os adolescentes. "Gostei da fala do Sérgio, porque ele foi claro sobre as consequências dos nossos atos, tanto com relação à violência e criminalidade, quanto sobre a gravidez na adolescência, usando inclusive exemplos. Eu não saio muito de casa, a não ser para a escola e para praticar balé e ginástica, e sempre aviso minha mãe aonde vou", explica.

acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem