agencia

Notícias

Quinta-feira, 22/03/2018 - 18h21

Centro-Dia entregue pela Prefeitura apoia e orienta famílias com crianças com deficiências

São Luís é um dos primeiros municípios do país a desenvolver este tipo de atendimento específico, servindo de referência nacional nessa modalidade de assistência

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

O casal Edilene Soares e Valdino Dutra com o filho que tem microcefalia O Centro-Dia Infantil, entregue à população pelo prefeito Edivaldo em fevereiro deste ano, vem atuando como um importante espaço de apoio e orientação para famílias de crianças com microcefalia e outras deficiências. São histórias como a do Felipe Rocha, diagnosticado aos cinco meses de idade com microcefalia e Síndrome de Hiperinsulinismo (síndrome metabólica rara), e de seus pais, Edilene Soares, 35 anos, e Valdino Dutra, de 50. A família é uma das que está recebendo o auxílio e que destaca o diferencial do atendimento ofertado no equipamento social da Prefeitura de São Luís localizado na Cidade Operária.

"Quando soubemos do Centro-Dia Infantil pensamos que seria mais um local, mas, pelo contrário, o objetivo aqui é outro. Temos quem nos ouça. Nos outros locais eles não perguntam como estamos. Não estou reclamando porque meu filho é bem cuidado, mas é como se os pais fossem invisíveis. Aqui é diferente", disse Edilene.

O pai da criança conta que a relação do casal se fortaleceu após o diagnóstico do filho. "Não é fácil, mas temos encontrado apoio em Deus e um no outro. Éramos autônomos, já tínhamos um filho, o Lucas, de seis anos, e com a chegada do Felipe nossa vida mudou completamente. Tivemos que fechar o empreendimento que tínhamos para nos dedicarmos a cuidar dele. Nosso filho já chegou a ficar internado por oito meses e o que ouvimos da equipe médica é que ele não sobreviveria", lembrou Valdino Dutra. O casal adequou à sua rotina semanal levar o filho para receber atendimento com terapeuta ocupacional, oftalmologista, otorrinolaringologista, pediatra, entre outras especialidades.

Assim como a vida de Edilene, Valdino e do pequeno Felipe, várias outras pessoas estão ganhando novas oportunidades a partir do Centro-Dia Infantil. O equipamento da Prefeitura de São Luís, de responsabilidade da Secretaria Municipal da Criança e Assistência Social (Semcas), tem como público alvo crianças de 0 a 6 anos com microcefalia e outras deficiências. O espaço é fruto de parceria entre dos governos municipal, estadual e federal e o Instituto Pobres Servos da Divina Providência.

Para o prefeito Edivaldo, o Centro-Dia Infantil promove o fortalecimento de vínculos entre as crianças, suas famílias e os cuidadores. "O serviço oferecido permite, principalmente, a autonomia dessas famílias. O equipamento dá o suporte para que elas tenham a proteção social especial que necessitam para o bom desenvolvimento desses meninos e meninas", afirmou. Ele ressaltou que a Prefeitura de São Luís é um dos primeiros municípios do país a desenvolver esse tipo de atendimento específico, servindo, inclusive, de referência nacional nessa modalidade de assistência.

Segundo a gestora da Semcas, Andréia Lauande, o Centro-Dia Infantil também é fundamental para ajudar na rotina familiar. "O equipamento permite que as crianças fiquem sob o cuidado de uma equipe multidisciplinar, permitindo que os pais e responsáveis pelas crianças possam trabalhar, estudar, fazer coisas básicas, pois que só quem cuida entende quais são as limitações diárias", analisou a secretária.

CUIDADOS

O Centro-Dia Infantil trabalha na perspectiva de ofertar cuidados complementares aos da família, incluindo higiene, alimentação, vestir, apoio de acessibilidade de comunicação, compreensão, visão, audição, locomoção e cuidados instrumentais de participação social, importantes para a qualificação do desenvolvimento infantil.

O equipamento constitui-se também, como um espaço de descanso nos intervalos para os cuidadores familiares que precisam se deslocar para mais de um atendimento na cidade ao longo do dia. Até o momento, foram atendidas 46 famílias (sendo 17 com diagnóstico de autismo) por demanda espontânea e 15 visitas domiciliares, bem como encaminhamentos para outras instituições.

"É importante destacar que o Centro-Dia não é um espaço de reabilitação, e sim de apoio aos cuidadores familiares. Por meio de uma escuta qualificada, construímos o Plano de Atendimento Individual e Familiar, assim definimos uma rotina para a criança, como a frequência, atividades, estratégias e metodologias de avaliação. O objetivo do serviço é ampliar a rede de cuidados e atendimentos especializados", explicou a coordenadora do equipamento social, Maiany Sousa.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem