agencia

Notícias

Quarta-feira, 11/04/2018 - 18h43

Prefeitura capacita profissionais da Educação sobre Distrofia Muscular de Duchenne

Palestra alertou para importância de diagnosticar doença degenerativa cujo principal sintoma é a fraqueza muscular severa

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

O encontro teve como principal objetivo disseminar informações sobre como identificar os possíveis pacientes com DMD
A Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), realizou, nesta quarta-feira (11), na Faculdade Pitágoras, em parceria com a empresa Azimute Med, palestra sobre Distrofia Muscular de Duchenne (DMD), doença degenerativa cujo principal sintoma é a fraqueza muscular severa que começa em membros inferiores. Participaram do evento professores, cuidadores, gestores, técnicos da rede pública de ensino e pais de alunos.

O encontro teve como principal objetivo disseminar informações para os profissionais e aprendizado sobre como identificar os possíveis pacientes com DMD, princípios de tratamento e, além de tudo, a quebra de paradigmas. A palestra faz parte da formação continuada para os profissionais da educação, por meio do programa Educar Mais, que integra a política do prefeito Edivaldo para a área.

Para o secretário de Educação, Moacir Feitosa, a capacitação é importante na medida em que dá aos educadores elementos para lidar com as crianças que necessitem de cuidados especiais. "O nosso plano de gestão municipal tem várias ações focadas na educação inclusiva e esta palestra vem reforçar o nosso compromisso em valorizar e capacitar o profissional da rede pública de ensino para ofertar uma melhor educação e atenção aos nossos estudantes", disse o titular da Semed.

INFORMAÇÕES

Para a superintendente da Área da Educação Especial (SAEE), profª Drª. Dalvina Ayres as orientações são essenciais para o desenvolvimento das atividades dos profissionais da rede. "Nós temos estudantes com essa distrofia degenerativa na rede, precisamos compreender mais sobre o assunto que ainda é pouco conhecido pela sociedade de modo geral. A palestra veio em um momento muito oportuno para a identificação dos possíveis estudantes com DMD. É importante aprender as técnicas e as características e assim saber separar de outros tipos de doenças, sobretudo ajudar e apoiar essas crianças", disse.

A palestra foi ministrada pela fisioterapeuta e neuropediatra de Brasília (DF), Ayanne Castro, que apresentou as fases do desenvolvimento de uma criança e quais os sinais podem identificar a presença da doença. "O objetivo da palestra é ensinar o que é a distrofia muscular e como o professor pode ter um olhar diferenciado sobre esse estudante em sala de aula para ajudar os pais a procurarem especialistas e chegarem ao diagnóstico, além de garantir a inclusão das crianças junto aos demais", explicou a palestrante.

Segundo ainda Ayanne Castro, pessoas diagnosticadas com a DMD terão suas vidas normais, poderão estudar e trabalhar. O principal sintoma da Distrofia Muscular de Duchenne, que deve ser observado pelos professores na criança, é a fraqueza muscular severa que começa em membros inferiores e evolui. "Crianças que têm quedas frequentes, só andam ou correm na ponta dos pés, crianças com dificuldades para subir escadas, para se levantar do chão e para acompanhar os coleguinhas nas atividades diárias podem ser diagnosticadas com a doença", apontou.

Albenniza Pereira de Melo, mãe do Breno Felipe, 7 anos, criança com Distrofia Muscular de Duchenne, considerou a iniciativa significativa já que a DMD é uma doença geneticamente rara e pouco conhecida. "Quanto mais divulgações tivermos, melhor será o diagnóstico precoce para todas as crianças. O tratamento adequado se inicia por este olhar atento. As escolas e a sociedade em geral ainda não entendem o que é a doença e, por conta disso, nós que somos pais, sofremos pela falta de conhecimento", disse a mãe.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem