agencia

Notícias

Segunda-feira, 23/04/2018 - 14h56

Unidades de Saúde da Prefeitura registram grande movimento no primeiro dia de vacina contra gripe

A vacina contra gripe é segura e tem eficácia de seis a 12 meses; podem se vacinar idosos, crianças de seis meses a menores de cinco anos, gestantes e professores, entre outros do grupo prioritário

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Raimundo Nonato Silva, 65 anos, compareceu ao Centro de Saúde Paulo Ramos no primeiro dia de campanha

No primeiro dia da campanha nacional de vacinação contra a influenza (gripe), os postos de vacinação da  rede municipal de São Luís registraram grande movimentação de pessoas interessadas em tomar a vacina. A Prefeitura de São Luís disponibilizou todas as unidades de saúde da capital, para a campanha iniciada nesta segunda-feira (23). A meta da Secretaria Municipal de Saúde (Semus) é vacinar 236.457 pessoas pertencentes aos grupos prioritários definidos pelo Ministério da Saúde. A campanha se estenderá até o dia 1º de junho, sendo que o 'Dia D' da mobilização nacional será realizado no dia 12 de maio, visando reforçar a adesão à campanha.

O idoso Raimundo Nonato Silva, 65 anos, foi um dos primeiros a receber a vacina na manhã desta segunda-feira em uma das unidades de saúde do município. Ele contou que vacina todos os anos e disse saber da importância da imunização contra  doença. "Nós, idosos, precisamos estar atentos a qualquer problema de saúde. Quando nos vacinamos nos previmos não apenas contra as gripes comuns, mas evitamos também agravamentos como as pneumonias que são tão penosas e, às vezes, até letais para os idosos", relatou ele.

Entre o público específico da campanha estão idosos a partir de 60 anos, crianças de seis meses a menores de cinco anos; gestantes; puérperas (até 45 dias após o parto); trabalhadores da área da saúde; professores das escolas públicas e privadas; povos indígenas; portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais; população privada de liberdade, jovens cumprindo medidas socioeducativas e funcionários do sistema prisional.

O secretário municipal de Saúde, Lula Fylho, alertou para o comparecimento do público prioritário da campanha aos postos de saúde. "Todas as nossas unidades de saúde estão estruturadas e com vacina suficiente para atender a demanda da capital. É importante que a pessoa procure imunizar-se o quanto antes para ficar protegido das complicações decorrentes do vírus influenza", observou Lula Fylho.

Uma das unidades de saúde do município que teve uma procura grande pela vacina foi o Centro de Saúde Paulo Ramos, no Centro da cidade, onde a procura iniciou desde as primeiras horas da manhã. "Já vacinamos, hoje, pessoas de todos os públicos prioritários da campanha, o que considero muito relevante porque dá uma mostra positiva da adesão à mobilização de prevenção contra a influenza", afirmou a coordenadora do Setor de Enfermagem do Centro de Saúde, Rita de Cássia Santos Carneiro. Além do Centro de Saúde Paulo Ramos, outras 61 unidades do município estão vacinando contra a gripe. 

A Semus orienta as pessoas a levarem o cartão de vacina aos postos e, no caso de pacientes com doenças crônicas, é necessário apresentar comprovação, bem como professores e profissionais da saúde precisam apresentar identificação que atuam na área.

Segundo o Ministério da Saúde, a vacina contra gripe é segura e tem eficácia de seis a 12 meses. A dose reduz as complicações que podem gerar casos mais graves da doença, internações ou até mesmo óbitos. Informa ainda que a vacina disponibilizada pelo Sistema Único de Saúde (SUS) é trivalente, pois protege contra os três subtipos do vírus da gripe que mais circularam no último ano, no Hemisfério Sul, de acordo a Organização Mundial da Saúde (OMS): o A/H1N1; A/H3N2 e influenza B.

TRANSMISSÃO

A transmissão dos vírus influenza acontece por meio do contato com secreções das vias respiratórias, eliminadas pela pessoa contaminada ao falar, tossir ou espirrar. Também ocorre por meio das mãos e objetos contaminados, quando entram em contato com mucosas (boca, olhos, nariz). O Ministério da Saúde orienta à população em geral, a adoção de cuidados simples como medida de prevenção para evitar a doença, como: lavar as mãos várias vezes ao dia; cobrir o nariz e a boca com lenço descartável ao tossir ou espirrar; não compartilhar objetos de uso pessoal; além de evitar locais com aglomeração de pessoas.

Ainda conforme o Ministério da Saúde, a vacina é contraindicada para pessoas com história de reação anafilática prévia em doses anteriores ou para pessoas que tenham alergia grave relacionada a ovo de galinha e seus derivados.

Após a aplicação da vacina podem ocorrer, de forma rara, dor, vermelhidão e endurecimento no local da injeção. São manifestações consideradas benignas, cujos efeitos costumam passar em 48 horas.

A estudante Daniele Cristine Ferreira Leal, 17 anos, grávida de quatro meses, sabe da importância da prevenção contra a influenza durante a gestação. "Eu vim logo no primeiro dia da campanha porque acho importante me prevenir para proteger também o meu bebê. Eu gripo com muita facilidade, por isso não vou vacilar com essa doença principalmente agora que espero meu primeiro filho", disse ela.

A estudante Daniele Cristine Ferreira Leal, grávida do primeiro filho, destacou a importância da imunização

O agente de saúde Armíndio Costa, 59 anos, também considera a prevenção importante para o grupo profissional ao qual pertence. "Estamos sempre muito expostos à doença porque lidamos com muitas pessoas no nosso trabalho. Então, ao nos protegermos estamos também evitando que outras pessoas sejam contaminadas", observou.

                              Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem