agencia

Notícias

Sexta-feira, 29/06/2018 - 08h40

Escolas da rede municipal promovem atividades em comemoração às festas juninas

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Alunos da escola Justo Jansen durante apresentações Quando se fala em tradição folclórica no Maranhão, os primeiros exemplos que vem à cabeça são as brincadeiras juninas, tais como o bumba meu boi, a quadrilha e o cacuriá. Como forma de manter viva as tradições culturais, durante a semana, escolas da  rede municipal da Prefeitura de São Luís realizaram diversas atividades culturais alusivas aos festejos juninos.

Para o secretário municipal de Educação, Moacir Feitosa, a festa junina representa uma importante marca cultural da cidade. "O São João é uma das maiores festas populares. Para nós é de suma importância fortalecer a cultura maranhense no dia a dia das crianças, para a formação completa do estudante, ajudando a compreender as manifestações e respeitar as suas raízes culturais", disse o titular da Semed.

A Unidade de Educação Básica (U.E.B.) Justo Jansen, bairro Centro, realizou a sua festividade. De acordo com a gestora, Soraya de Fátima Nunes Pinheiro, o trabalho na escola foi feito pelos professores com os estudantes e apoio dos familiares das crianças e demais funcionários que enfeitaram a Rua Cândido Ribeiro, local onde ocorreram as apresentações.

Na programação da escola, as crianças apresentaram o espetáculo 'A farra do Boi Bumbá'; dança de fita; quadrilha; forró e o Boi "Encanto Justo Jansen". Ainda, ocorreu a premiação para rainhas e princesas caipiras da escola e o sorteio de uma rifa com kits da Copa do Mundo.

Layan William Mendes Penha, 10 anos, participou de duas danças, uma como vaqueiro e a outra experiência como miolo do boi. "Eu amo São João, é uma das minhas festas preferidas. Ter sido o miolo do boi foi muito legal, me diverti muito", contou.

A professora do 3º ano, Fabiane de Jesus Reis Ribeiro, explicou o planejamento em sala de aula, destacando a importância das festas folclóricas para a cultura de um povo. "Cada turma realizou um trabalho de excelência durante o mês de junho com atividades voltadas para a festividade, buscando sempre inovar nas aulas e transmitir o conteúdo de forma prazerosa e cativante para os estudantes. Proporcionando dessa forma aulas enriquecedoras em prol de uma educação de qualidade", disse a professora.

Sheila Farias Silva, mãe do pequeno João de Deus Silva Neto, 10 anos, parabenizou a escola por permanecer com as festas tradicionais e de fomento à cultura do nosso estado. "Meu filho adora participar e eu incentivo ele sempre nas atividades extras da escola. Acho muito importante este processo porque desenvolve a aprendizagem, o conhecimento, são novas descobertas o que enriquece e ensina a valorizarem a nossa cultura. A direção está de parabéns, João é o meu terceiro filho que estuda na escola, eu só tenho de agradecer por toda dedicação e carinho", ressaltou a mãe.

APRESENTAÇÕES

Na Unidade de Educação Básica (U.E.B.) Rosário Nina, bairro de Fátima, as apresentações culturais dos estudantes seguiram o planejamento letivo da escola elaborado pelos professores para desenvolver o projeto "Brincadeiras de São João: Construindo o Saber", no período das festividades juninas. Durante o planejamento, cada turma ficou responsável por apresentar um projeto junino com aspectos histórico, econômico e cultural da manifestação escolhida.

As atividades foram danças, jogos e história que ajudaram os alunos a aprender de forma lúdica sobre a cultura maranhense. "A programação da escola está sendo realizada desde o início do mês de junho, com atividades sendo desenvolvidas em sala de aula e a culminância com as apresentações. Os estudantes do 1º e 2º ano confeccionaram os jogos. Já as turmas do 3º a 5º ano produziram sobre brincadeiras e danças, entre as mais desejadas pelas crianças, a quadrilha, cacuriá e o auto do bumba meu boi", explicou a gestora Gilmara Mesquita Carneiro.

João Gabriel de Brito Reis, 10 anos, estudante do 5º ano, aprendeu sobre os sotaques do bumba meu boi, cinco ritmos que caracterizam uma das principais manifestações folclóricas maranhenses. "O que mais gostei foi o de matraca porque o som é bem legal", disse o garoto. Para Ícaro Gustavo Silva Matos, 10 anos, também estudante do 5º ano, as brincadeiras típicas dos arraiais são fantásticas. "Gosto muito de São João, sempre visito os arraiais com minha família. De todas as danças o que eu mais gosto de assistir é a parte em que o boi é ressuscitado, o auto do bumba meu boi", contou.

A professora Kátia Cilene Amorim Gomes, ressaltou que as atividades têm como principal objetivo o resgate de valores culturais com foco na aprendizagem dos estudantes em leitura e escrita. "Os meninos adoram o tema. São João é maravilhoso de trabalhar, fizemos diversas produções de textos voltados para aperfeiçoar a habilidade da escrita nos estudantes. A leitura da história e dos contos desperta muita curiosidade e eles aprendem se divertindo", explicou.

Os estudantes fizeram a apresentação dos temas em sala de aula para os demais colegas e também a apresentação das danças no salão da escola. Marcos Vinícius Moraes Penha, 8 anos, estudante do 3º ano, apresentou na turma o surgimento da dança quadrilha. "Fiquei na parte da apresentação para os colegas da sala e eu falei para eles que a quadrilha surgiu na Europa e se transformou no Brasil. Os passos da quadrilha também são muito legais e divertidos. São repetidos algumas vezes, por exemplo, 'Anariê', que é usado como grito de incentivo para sair do lugar. É muito legal", contou o garoto.

PROJETO

Na U.E.B. Emir Justino a festa junina aconteceu com encerramento do 1º semestre com a culminância do projeto 'Preservar também é atitude de criança, danças e dramatização'. Na U.E.B. Mário Andreazza, no bairro Liberdade, a festança foi realizada com muitas comidas típicas, danças e bastante alegria.

A comemoração para São João foi alusiva ao aniversário de 100 anos do bairro. Atividades sustentáveis, maquiagem relacionadas a copa do mundo, apresentação de um jornal sobre atividades folclóricas, músicas de tradição juninas e uma apresentação inovadora de fit dance caipira, fizeram parte da programação que apontou para os três grandes momentos: a Copa do Mundo, as festas de São João e o centenário do bairro. Tudo organizado pelos alunos, com ajuda dos coordenadores e professores da escola.

A gestora, Ana Rute, falou da participação dos alunos para a realização desta programação, e pontuou sobre a importância dos professores neste processo. "Os alunos se envolveram bastante. Uns contribuindo com sugestão de figurinos para serem utilizados nas danças, outros trouxeram alguns ingredientes para fazermos comidas típicas, outros ajudaram a montar as barracas, enfim, todos participaram de alguma forma. O que me deixa mais feliz é saber que os alunos têm interesse em perpetuar a cultura maranhense. E isso se dá também pelo apoio maravilhoso dos professores que tornam isso mais fácil, que ensaiaram com eles, e até mesmo dentro da sala de aula, ensinando a relevância da cultura maranhense", pontuou.

A professora Ana Grei, da disciplina de Filosofia, falou como agregou a matéria nesse momento de comemorativo. "Tentamos associar de alguma forma todas as matérias dentro da programação, foi um desafio, mas, no final deu tudo certo. Inicialmente, discutimos com os alunos a importância da filosofia para este momento, então, passamos por alguns tipos de conhecimentos, e após isso eles mesmos optaram pelo conhecimento do senso comum, bem apropriado para a temática. Escolhido o tipo de conhecimento que iriamos trabalhar, todos começaram a verificar alguns ditos populares, simpatias e expressões cotidianas que todos nós usamos. Para fortalecer o nosso trabalho, pedimos que eles pesquisassem, principalmente, com os avós e com os seus pais, pois eles eram os que mais usavam essas expressões. Com os dados apurados em mãos, montamos um mural com todos esses dizeres e algumas explicações da origem desses ditos. O mural ficou lindo", pontuou a professora.

COMIDAS TÍPICAS

Mingau e bolo de milho, torta de camarão, arroz de cuxá, cocada e pé de moleque foram algumas das guloseimas que os estudante do 9º ano estavam vendendo na barraca de comidas típicas. Com o dinheiro arrecadado, eles organizarão a festa de formatura no fim do ano, é o que explica o estudante Carlos Henrique. "Decidimos organizar essa barraca para a nossa formatura. Até porque no ano passado os alunos que estudavam o 9º ano fizeram um trabalho semelhante a esse, e deu muito certo, então estamos fazendo o mesmo, para angariarmos recursos e aplicar na nossa festa de formatura. Cada um trouxe algum prato típico, toda a turma se empenhou para esse momento. O legal de tudo isso, foi o fato de aprendermos mais sobre a nossa cultura. Não podemos de forma alguma parar com essa manifestação, por que além de ser muito bonita, também nos faz relembrar dos nossos ancestrais. Está tudo perfeito", falou.

Yasmim Akíra, do 7º ano, que foi a noiva da quadrilha junina nos falou da emoção de participar dessa que é uma das mais conhecidas danças nesta época. "Estou muito feliz por ter sido escolhida a noiva da quadrilha, porém, é muita responsabilidade, porque eu fico na frente e tenho que desempenhar um papel de orientação para os demais. Mas, também estou apreensiva pois nunca dancei antes".

Raissa Bianca, do 9º ano, foi uma das participantes do Baile de Caixa, que dançou o cacuriá e a dança do coco. "Estou bastante feliz. Gosto de apresentar em momentos como esse, porque é um momento onde a nossa cultura é mostrada para todos. Esse ano danço mais feliz, por que estamos homenageando o nosso bairro, que é tão grande é tão lindo", disse.

DANÇAS

Bandeiras coloridas, danças da época, baião, quadrilha, carimbó e forró pé de serra foram algumas das atrações que as criança da U.E.B. José Cupertino, do bairro João Paulo, apresentaram na festa junina da escola, que esse ano teve um diferencial: homenagem a João do Vale, um dos mais fortes nomes da cultura maranhense.

A gestora Elma Pereira, relatou como estava feliz com mais uma festa que a escola estava realizando. "Amo realizar essas festa para as nossas crianças, é muitíssimo gratificante, ainda mais essa festa que fala bem da nossa cultura e cultura é história e história é vida. Ainda mais este ano, que nós escolhemos para fazer uma homenagem ao saudoso João do Vale, um grande representante da cultura do nosso estado. O São João em são Luís, é um berço efervescente da cultura, então não trabalhamos só as danças ou as comidas típicas, mais a leitura, a escrita, a diversidades e a parceria entre eles, isso tudo nos fortalece enquanto sociedade", disse.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem