agencia

Notícias

Domingo, 22/07/2018 - 10h37

Roda de conversa sobre autismo encerra programação da Ocupação Trapiche #8

Ocupação Trapiche #8 exibiu a mostra "Eu e/em meus primeiros passos", da artista Milena Vale Chiacchio

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

O evento marcou o encerramento da Ocupação Trapiche #8 que exibiu a mostra "Eu e/em meus primeiros passos"

"É importante inserir a pessoa com autismo nos diversos espaços para que ele entenda que pode ser independente". Foi com essa fala da Solange Nascimento Mendonça, uma das fundadoras do Grupo Ilha Azul, que se iniciou a roda de conversa com pais de filhos com autismo na tarde de sexta-feira (20), na Galeria Trapiche Santo Ângelo, equipamento de cultura da Prefeitura de São Luís. O evento marcou o encerramento da Ocupação Trapiche #8 que exibiu a mostra "Eu e/em meus primeiros passos", da artista Milena Vale Chiacchio, que possui deficiência mental.

Durante a roda de conversa, os presentes puderam contar como lidaram com o diagnóstico dos filhos e como isso mudou a maneira de enxergar o mundo e as pessoas. Também foi um momento para troca de experiências, onde puderam partilhar suas dificuldades e superações, principalmente quando se trata da busca por profissionais qualificados para trabalhar com crianças diagnosticadas dentro do espectro autista.

"É importante encontrar uma equipe multidisciplinar com fisioterapeutas, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais, dentre outros, que entenda dos diversos graus do autismo e saiba trabalhar de forma integrada a fim de desenvolver as habilidades necessárias para o convívio social, acadêmico e profissional, porque tudo isso é possível", comentou Mendonça que é mãe de um rapaz com autismo.

Além disso, Mendonça também frisou a importância de inserir pessoas com autismo nos mais diversos espaços. "Precisamos encontrar um equilíbrio, pois a tendência dos pais é querer superproteger, mas é necessário dar independência para nossos filhos assim como damos para os que não tem nenhum tipo de deficiência. É importante incentivá-los a estudar, entrar na faculdade, trabalhar, fazer cursos, pois é um direito deles de frequentar os mais diversos espaços e ter vivência com pessoas que não tem autismo", contou.

Camila Grimaldi, diretora da Galeria Trapiche, falou sobre o encerramento da Ocupação Trapiche #8 e parabenizou a mãe da artista Milena Vale Chiacchio, Serenilha Vale, por ter inscrito o trabalho de sua filha no edital da Ocupação. "Estamos encerrando a Ocupação Trapiche #8 e só tenho a agradecer à Serenilha por ter nos dado a oportunidade de conhecermos o trabalho da Milena e de suscitar todas essas discussões na programação da Galeria. Eu acredito que a arte nos humaniza, esse é seu objetivo, então é incrível ver os diversos temas e discussões que uma exposição pode gerar", finalizou.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem