agencia

Notícias

Segunda-feira, 03/09/2018 - 14h55

Prefeitura discute com população ocupação dos galpões do Trapiche Santo Ângelo

Laboratório Urbano Efêmero - LAB SLZ está debatendo uso dos espaços após reforma que será feita com recursos do BID, em convênio com a Prefeitura de São Luís

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

LAB SLZ reúne diversos segmentos para discutir usos para os galpões do Trapiche Santo ÂngeloDesde o dia 27 de agosto, o Centro Histórico de São Luís tem recebido diversas oficinas, palestras, mostras e debates ressaltando conceitos e tendências de inovação social urbana. O projeto "Laboratório Urbano Efêmero" (LAB SLZ) é uma iniciativa do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) que viu a oportunidade de realizá-lo em São Luis em decorrência do Programa de Revitalização do Centro Histórico realizado pela Prefeitura de São Luis, por meio da Secretaria Municipal de Projetos Especiais (Sempe). As atividades ocorrem na Avenida Vitorino Freire, s/n°, no Centro Histórico de São Luís, com ênfase para a galeria Trapiche Santo Ângelo (Galpões do Complexo Santo Ângelo), espaço que já vivencia a revitalização do seu patrimônio.

Iniciando as atividades de setembro, tem-se o grupo "Urbanismo Vivo", que conta com a programação do Grupo de Trabalho (GT) – Derivas e Cartografias Afetivas, realizado nesta segunda-feira, 3, às 18h. Já na terça-feira, 4, propõe-se a atividade "Mapeamento em Construção", às 10h. Além da roda de conversa "Fala Local" – PechaKucha, que destaca iniciativas locais de mudanças culturais e patrimoniais, às 19h. Na quarta-feira, 5, a programação começa com uma caminhada de "Exploração Sensorial", às 17h, seguida de uma mesa temática no Galpão Aberto, às 19h.

Para o secretário da Sempe, Gustavo Marques, as atividades do LAB SLZ representam um esforço da gestão do prefeito Edivaldo em trabalhar em sintonia com as demandas apontadas pela sociedade, sobretudo no que diz respeito ao patrimônio cultural. "Precisamos cada vez mais vivenciar uma democracia participativa onde os cidadãos estejam diretamente envolvidos nas decisões que cercam a nossa cidade. Ocupar o espaço público com atividades de capacitação e criatividade é trabalhar em favor da cultura, segurança e educação da população", disse.

Para participar do processo de discussão que norteará o relatório constando as principais ideias para melhor ocupação dos galpões do Trapiche Santo Ângelo, foram convocados diversos agentes urbanos, como movimentos sociais de ativistas urbanos relacionados ao tema, organismos do setor público e privado, cooperativas de músicos, lideranças comunitárias, artistas das mais variadas expressões, artesãos, eventos alternativos, empreendedores, escolas tecnológicas, entre outros setores afins à construção de cidades socialmente justas e ambientalmente viáveis para todos.

INOVAÇÃO SOCIAL

O LAB SLZ pretende fazer um levantamento, dentro do conceito de inovação social e com participação popular, sobre o que de melhor pode ser feito para a utilização dos galpões, envolvendo diversos atores sociais no processo de discussão. "É comum acontecer no país a reforma de prédios de alto valor histórico, como assim são os de São Luís, e após isso não se dá lógica correta de ocupação, ou ficam fechados e voltam a se deteriorar ou mesmo são mal utilizados como depósitos. Isso é exatamente o que não queremos que aconteça com os galpões do Centro Histórico de São Luís", afirmou um dos coordenadores do LAB SLZ, Leonardo Brawl.

O Laboratório Urbano Efêmero - LAB SLZ busca ainda estimular nos atores participantes do projeto o sentido de pertencimento e reconhecimento do próprio lugar, possibilitando a identificação de vontades e desejos coletivos para o codesenho de espaços de programas de interesse público e de uso comum por todos os moradores e visitantes, em um panorama democrático de novas governanças, desenvolvimento da economia criativa, o cruzamento de artes, ciências e tecnologias sociais.

 Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem