agencia

Notícias

Sexta-feira, 21/09/2018 - 08h13

Aquarelas sobre o Brasil Colônia marcam a abertura da mostra Ocupação Trapiche #10

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Mostra fica em cartaz na Galeria Trapiche, equipamento cultural da Prefeitura de São Luís, até o dia 19 de outubro Telas em aquarela que replicam gravuras de Jean-Baptiste Debret com uma pegada contemporânea compõem a Ocupação Trapiche #10, que traz a mostra 'Missão Artística Maranhense', do artista Alexandre Mourão. A exposição foi aberta na quarta-feira (19), às 18h, na Galeria Trapiche, equipamento cultural da Prefeitura de São Luís, localizada na Praia Grande, em frente ao Terminal de Integração. A mostra fica em cartaz até 19 de outubro, aberta para visitação de segunda a sexta, das 14h às 19h.

'Missão Artística Maranhense' relaciona passado e presente com apropriações de imagens do livro "O Universo: Brasil, Colômbia e Guianas" de 1837, do autor francês Ferdinand Denis (1789-1890). A rara edição inclui 83 gravuras em preto e branco de diversos artistas, entre eles Jean-Baptiste Debret que aborda como tema o Brasil colônia, descrevendo o povo e costumes da época. A curadoria é da Dra. Regiane Caire Silva. Alexandre Mourão convidou o grupo Urban Sketchers São Luís para participar da mostra. O grupo reúne pessoas que gostam de desenhar à mão livre e duas vezes ao mês fazem registros artísticos da cidade.

Na mostra, lado a lado, estão as obras originais impressas de Debret, destacadas do livro, e as aquarelas de Alexandre Mourão cuja reinterpretação recebe forte influência da cultura maranhense, provocando um diálogo entre a história e o momento presente.

O artista é cearense, com formação em Artes Visuais e Psicologia, e mora há um ano e meio em São Luís. O tema da mostra faz um trocadilho com a Missão Artística Francesa, que trouxe um grupo de artistas e artífices franceses para dar início ao ensino regular das artes no Brasil. Assim como os artistas franceses retrataram em suas obras essa nova terra que conheciam, Mourão reproduziu as gravuras de Debret com sua sensibilidade artística, evidenciando um momento de descoberta pessoal do Maranhão.

"As aquarelas fazem uma releitura das gravuras de Debret para o presente, com um toque de imaginação, subjetivo por minha parte. Trazem à tona as memórias de matrizes africana, indígena e portuguesa", explica Mourão.

PARTICIPAÇÕES

A designer Regina Borba, 50 anos, faz parte do grupo Urban Sketchers e tem uma tela em exibição, pintada em aquarela e nanquim sob o título 'Pátio da Galeria Trapiche'. "Participei do LAB SLZ aqui na Galeria e então veio a minha inspiração para produzir a tela. Convido as pessoas para apreciar os autores maranhenses, além de conhecer um pouco da nossa história com o trabalho do Alexandre", diz.

A artista plástica Patrícia Menezes veio visitar a mostra Ocupação Trapiche #10 e achou as telas bem atrativas, pois resgata fatos históricos. "Os registros feitos pelo Debret mostram prédios antigos, que muitas pessoas daqui não conhecem. Eu já expus minhas telas na Galeria e sempre venho prestigiar o trabalho de outros artistas", compartilha.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem