agencia

Notícias

Quarta-feira, 26/09/2018 - 06h43

Gestão do prefeito Edivaldo assegura direitos a pessoas surdas com ações de política inclusiva

No Dia Nacional dos Surdos, 26 de setembro, destacam-se iniciativas da gestão do prefeito Edivaldo nas áreas da educação, saúde e assistência social que possibilitam a inclusão e melhoria da qualidade de vida de pessoas com deficiência

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Evento reuniu alunos e professores que celebraram os dois anos da unidade bilíngue da Prefeitura de São LuísA gestão do prefeito Edivaldo tem investido na promoção de ações e projetos com foco na inclusão para tornar mais acessíveis serviços diversos às pessoas com alguma deficiência. São iniciativas na educação, assistência social, capacitação e saúde, que proporcionam melhores condições e qualidade de vida ao segmento. Este mês marca o Dia Nacional dos Surdos – 26 de setembro - e nesta área, a gestão consolida uma política que se fortalece agregando cada vez mais pessoas.

O titular da Semed, Moacir Feitosa, reforçou que os projetos da Prefeitura são abrangentes e beneficiam pessoas surdas, autistas, com Síndrome de Down e problemas de neurodesenvolvimento. "É um direcionamento do prefeito Edivaldo que todos os esforços sejam reunidos para consolidar a política inclusiva, e isso passa pela educação", enfatizou. Feitosa destaca que a qualificação do ensino voltado para esse público também é resultado das capacitações que vêm sendo desenvolvidas ao longo dos anos com professores, coordenadores, gestores e técnicos. "Em cinco anos da gestão do prefeito Edivaldo, somam diversos os serviços e ações desenvolvidas na rede municipal de ensino e que qualificam as equipes para desenvolver um trabalho eficaz e de resultados com este público", ressaltou o secretário.

Neste conjunto de iniciativas do poder público municipal na área da Educação Especial está o investimento na unidade bilíngue (Libras e Educação Formal), a disponibilização de intérpretes de libras nas escolas da rede e formação especifica dos profissionais da educação. As ações integram a Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva.

UNIDADE

Uma das destacadas iniciativas é a unidade de educação para pessoas com surdez que funciona na U.E.B. Luís Viana, na Alemanha. São cerca de 80 alunos entre crianças, jovens e adultos, distribuídos em quatro salas. A unidade oferece Educação Infantil, Fundamental e Educação de Jovens e Adultos (EJA) beneficiando alunos com idades a partir de quatro anos até 16 anos.

São dois anos de atividades e os professores, pais e alunos comemoram a existência da instituição. "Minha filha desenvolveu muito e em pouco tempo na escola. Ela era bem tímida e quase não se comunicava. Hoje, a gente vê o quanto ela melhorou. É super comunicativa e participa de tudo. Faz questão de ir à escola. Os professores até elogiam essa disposição dela. Eu só tenho a agradecer e parabenizar essa equipe pelo esforço e carinho com nossos filhos", ressalta a dona de casa Djaci da Costa de Castro, 28 anos, mãe da Tainara da Costa, nove anos e que cursa a 2ª série na unidade.

Djaci de Castro é mãe de Tainara da Costa, aluna com deficiência auditiva que frequenta a unidade bilíngue municipal

Para a dona de casa Gleiça Maria Cardoso, 30 anos, mãe de Carla Bianca, sete anos e que também está na 2ª série, a vivência na escola é um grande aprendizado. "Minha filha está mais esperta, mais comunicativa e mais alegre. Os dias de aula são os mais animados. Ela mesma organiza os materiais, acorda cedo e faz questão de estar presente. A equipe é um amor e todas cuidam muito bem deles. São pessoas capacitadas e sensíveis à realidade destas crianças", pontua a mãe.

Amor, dedicação e compromisso é o que move quem trabalha com a área de Educação Especial, avalia a professora Silvane Corrêa, 49 anos. São quatro anos atuando com alunos especiais e um ano na unidade de educação para surdos. "É um ato de amor e muita perseverança. Tenho alunos maravilhosos e me sinto grata por estar com eles, por ter essa experiência que é muito rica para minha profissão e vida", enfatiza.

"A política inclusiva da rede municipal de ensino está avançando e se ampliando com a adequação de unidades, formação dos educadores e todos os esforços reunidos para que a inclusão contemple todo o segmento", pontua a coordenadora da unidade bilíngue, Erlene Régia.

A gestão municipal já promoveu 470 horas de formação continuada para profissionais do magistério e de outras categorias, nas áreas de Educação Especial; 78 matrículas de estudantes com surdez e com deficiência auditiva nas salas bilíngues (libras e português), quatro salas bilíngues (libras e português) e 66 salas de recursos multifuncionais na rede municipal de ensino.

AÇÕES INCLUSIVAS

O trabalho é executado pela Secretaria Municipal de Educação (Semed), por meio da Superintendência da Área de Educação Especial, e alcança mais de duas mil crianças com deficiência matriculadas no ensino regular. Os investimentos da Prefeitura beneficiam crianças surdas, com autismo, Síndrome de Down e problemas de neurodesenvolvimento.

Servidores da Prefeitura durante treinamento em Libras realizado pela Escola de Governo e Gestão Municipal

Fortalecendo as ações para as pessoas com deficiência auditiva na gestão municipal, equipes da Secretaria Municipal de Saúde (Semus) e Escola de Governo e Gestão Municipal (EGGEM) firmaram parceria que já garantiu a capacitação de 139 agentes comunitários de saúde em Libras. "Todos os agentes serão qualificados para esta habilidade que é importante para que possam se comunicar e compreender. A gestão está sempre oferecendo esse e outros cursos com fins a promover a inclusão", reforça a diretora da EGGEM, Maria Eugênia.

Na área da saúde, agentes complementam formação nos cursos de libras oferecidos pela EGGEM. A meta é capacitar todos os agentes comunitários de saúde. Já estão em andamento as primeiras turmas. "Pessoas com deficiência auditiva têm atendimento prioritário na rede de saúde, mas isso não basta. Os servidores precisam estar sensibilizados às necessidades especiais desses usuários e capacitados para atendê-los e por isso, oferecemos o curso de libras para o corpo funcional. Assim estamos garantindo a acessibilidade e humanizando o atendimento", reforça o titular da Semus, Lula Fylho.

DATA

O Brasil comemora, em 26 de setembro, o Dia Nacional dos Surdos, criado pela Lei nº 11.796/2008, com fins a reflexão da inclusão das pessoas com deficiência auditiva na sociedade brasileira. O Decreto 5.626/2005 determina o ensino da Língua Brasileira de Sinais (Libras) nos cursos de formação de professores e a educação bilíngue nas escolas onde estejam matriculados alunos com deficiência auditiva. Também determina a disponibilidade de intérpretes de Libras para facilitar o atendimento aos cidadãos surdos.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem