agencia

Notícias

Quinta-feira, 27/09/2018 - 10h04

Campanha "Conte até Dez" é lançada com objetivo de prevenir violência nas escolas públicas

As Unidades de Educação Básica da rede municipal Ana Lúcia Chaves Fecury e Leonel Brizola, além de outras duas escolas da rede estadual serão as primeiras a receber o projeto

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Campanha ″Conte até Dez″ foi lançada com a presença da Prefeitura, Ministério Público e Secretaria de Segurança PúblicaFoi lançada na tarde desta quarta-feira (25), no auditório do Comando Geral da Polícia Militar do Maranhão (PM-MA), no Calhau, a Campanha "Conte até Dez", da Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed) em parceria com Ministério Público e Secretaria de Segurança Pública – instituições participantes da Comissão Integrada de Prevenção e Repressão Qualificada à Violência no Ambiente Escolar. O projeto piloto acontecerá inicialmente nas Unidades de Educação Básica da rede municipal Ana Lúcia Chaves Fecury (São Bernardo) e Leonel Brizola (Vila Luizão), e em outras duas escolas da rede estadual.

"Ao longo da gestão do prefeito Edivaldo, programas e projetos têm sido executados, em parceria com instituições públicas e privadas, com o fim de combater e prevenir situações de violência no ambiente escolar e comunidade, ocasionadas por bullying, discriminação, racismo, drogas, desrespeito, tráfico e outras que envolvem toda a comunidade escolar e familiares dos estudantes. O projeto Operários da Paz e as ações do Programa Educacional de Prevenção às Drogas e à Violência (Proerd) são exemplos de ações conjuntas que têm sido trabalhadas como forma de prevenir o uso de drogas e a violência", informa o titular da Semed, Moacir Feitosa.

Os investimentos também em vigilância noturna e diurna, o trabalho da Ronda Escolar, e um maior controle de entrada e saída de pessoas das escolas da rede pública municipal também têm contribuído para a redução do número da violência, furto, roubo qualificado e danos ao patrimônio público, assegura Moacir Feitosa, destacando o relatório recente divulgado pela Superintendência da Área de Segurança Escolar da Semed. "As ações estabelecidas pela gestão do prefeito Edivaldo têm garantido maior proteção às escolas e, consequentemente, um ambiente mais acolhedor e propício à aprendizagem", destaca o titular da Semed.

Na abertura da campanha "Conte até Dez" estiveram presentes o subsecretário de Segurança Pública, delegado Saulo de Tarso; o subcomandante geral da Polícia Militar do Maranhão, coronel Pedro de Jesus Ribeiro dos Reis; a secretária adjunta de Ensino da Semed, Maria de Jesus Gaspar Leite; o superintende da Área de Segurança Escolar da Semed, coronel Marcos Paiva; o promotor de Justiça de Defesa da Educação, Paulo Avelar; e o secretário adjunto de Programas e Projetos Especiais da Secretaria Estadual de Educação (Seduc). Prestigiaram ainda o evento outras representantes da Semed, Seduc, polícias Militar e Civil, Conselho Tutelar, Guarda Municipal e Secretaria Municipal da Criança e Assistência Social (Semcas).

ENCONTROS FORMATIVOS

O projeto está dividido em oito encontros formativos com a presença de 20 alunos do 9º ano de cada uma das escolas, além de professores, representantes de pais e gestores. Os encontros acontecerão nas escolas até 13 de novembro, no contraturno das aulas. Realizado pela Comissão Integrada de Prevenção e Repressão Qualificada à Violência no Ambiente Escolar, do qual a Semed também faz parte, inicialmente o projeto acontecerá nas unidades municipais Leonel Brizola e Ana Lúcia Chaves Fecury, com perspectivas de expansão para outras escolas em 2019.

Durante os encontros, os estudantes terão acesso a materiais e palestras que tratam sobre a valorização da vida, os direitos e deveres de cada cidadão, o Estatuto da Criança e do Adolescente, ato infracional, Tribunal do Júri, homicídio, direitos humanos, bullying, entre outros assuntos que envolvem cultura de paz e combate à violência. Alguns slogans serão utilizados para divulgar a campanha, a exemplo de "Valente mesmo é quem não briga" e "Paz nas escolas. Essa é a atitude".

A campanha original foi idealizada em 2012 pelo Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) e agora está sendo remodelada para atender às escolas municipais e estaduais de São Luís. A mensagem que vem sendo transmitida desde então e que ganhou espaço até nas redes sociais é de tolerância, paciência e reflexão ao combate à violência.

O TRABALHO NAS ESCOLAS

A especialista em Educação Solange Cordeiro, que está à frente da campanha pela Semed, ressalta que os membros da Comissão Integrada já analisam a ampliação da Campanha para o próximo ano. "Nossa expectativa é levar o trabalho para, pelo menos, mais cinco escolas da rede municipal e da rede estadual", assinala. O coronel Marcos Paiva diz que as ações da campanha chegam para se somar aos projetos já existentes nas escolas. "E tudo isso corrobora para que o processo de ensino e aprendizagem aconteça da melhor maneira", assegura.

O promotor de justiça, Paulo Avelar, foi categórico em declarar que violência não resolve violência e que os jovens devem ser levados a refletir ante a qualquer provocação. A professora de História do 8º a 9º ano, Luzia Maria Pereira Cunha Silva, da U.E.B. Ana Lúcia Chaves Fecury, presente ao lançamento, disse que esse tipo de ação melhora a relação estudante, escola e família. "Com a participação desses alunos na campanha, com certeza eles vão refletir as ações e agir da melhor maneira", garante.

Lucas Diogo Sousa Pereira, 13 anos, alunos da U.E.B. Ana Lúcia, diz que o projeto melhora até nos estudos. "Quando participamos de um projeto como esse, ficamos mais atentos, estudamos mais e buscamos também ajudar outros colegas", relata. Todo o trabalho que será realizado nas escolas por meio da campanha foi apresentado, por meio de slides, pelo tenente coronel Marcos David Costa, que é o coordenador local da Comissão Integrada de Prevenção e Repressão Qualificada à Violência no Ambiente Escolar.

PADRINHOS DA CAMPANHA

A Campanha Nacional "Conte até Dez" tem a participação de figuras ilustres, como os ex-campeões mundiais do UFC, Anderson Silva e Júnior Cigano, que ajudaram a alavancar a repercussão do projeto. O principal objetivo é sensibilizar a todos para a prevenção de homicídios cometidos por impulso, já que os números recentes preocupam muito.

De acordo com o mapa da violência de 2012, ano da criação do projeto, foram registrados 49.932 homicídios no Brasil em 2010, nos anos de 2011 e 2012 as mortes por assassinato por impulso ou motivos fúteis representavam de 25% a 80% dos crimes cometidos, dependendo de estado. Os números atualmente continuam alarmantes com o Brasil ultrapassando toda a Europa em até 30 vezes no número de mortes por motivos fúteis, com um número maior de vítimas entre os homens, jovens, com a faixa etária entre 15 a 19 anos.

Os números ilustram bem que boa parte da população que é afetada por essa violência ainda está frequentando a escola, fazendo assim as escolas ótimos locais de implementação de iniciativas que combatam essa cultura de ódio que se alastra pelo país.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem