agencia

Notícias

Quarta-feira, 31/10/2018 - 14h01

Alunos da U.E.B Agostino Vasconcelos da rede municipal de São Luís ganham biblioteca revitalizada

A ação é fruto de uma parceria do curso de Pedagogia e do mestrado profissional em Gestão da Educação Básica da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) com a Prefeitura de São Luís

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

O projeto "Observatório das Práticas de Leitura e Escrita" é desenvolvido por um grupo de pesquisadores da UFMA

Os estudantes da Unidade de Educação Básica (U.E.B.) Agostinho Vasconcelos, no Pão de Açúcar (Anil), começaram a semana com a biblioteca da escola completamente revitalizada. Pintura nova, armários e prateleiras com novo acabamento, móveis restaurados e todo um ambiente organizado e preparado, com o 'Cantinho da Leitura', para que os alunos possam ler, escrever, fazer pesquisas e participar das atividades que serão realizadas no espaço a partir da reinauguração.

A ação é fruto de uma parceria do curso de Pedagogia e do mestrado profissional em Gestão da Educação Básica da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) com a Prefeitura de São Luís, por meio da U.E.B. Agostinho Vasconcelos, que levou para a unidade o projeto "Observatório das Práticas de Leitura e Escrita", desenvolvido atualmente por um grupo de aproximadamente trinta pesquisadores da UFMA, entre os quais bibliotecários e pedagogos.

O professor Moacir Feitosa, titular da Secretaria Municipal de Educação (Semed), fala da importância das parcerias que têm sido seladas na gestão do prefeito Edivaldo entre a pasta da Educação e várias instituições públicas e privadas, seja diretamente com a Prefeitura ou por meio da gestão escolar, em cada unidade de ensino, e que têm como propósito o desenvolvimento e aprendizagem do estudante.

"São inúmeros os projetos nas áreas de leitura, escrita e alfabetização desenvolvidos hoje nas escolas da Rede, alguns de iniciativa do próprio município e outros frutos da sensibilidade de instituições que apostam na Educação como arma para mudar toda uma geração, mudar os rumos da nossa história. Só com Educação, e uma Educação de qualidade, teremos uma cidade livre do analfabetismo, e com jovens mais conscientes e protagonistas do seu futuro. Nos orgulhamos por fazer parte dessa construção. Muito obrigado a cada um dos nossos parceiros", destaca Moacir Feitosa.

Na reinauguração, quase todos os alunos da unidade Agostinho Vasconcelos, do turno da tarde, visitaram a biblioteca revitalizada. Na oportunidade, as professoras e pesquisadoras do curso de Pedagogia da UFMA, que estão à frente do projeto "Observatório das Práticas de Leitura e Escrita" na U.E.B., apresentaram a proposta de intervenção que será iniciada ainda este mês, com práticas de mediação de leitura e escrita para todo o Ensino Fundamental (estudantes do 1º ao 9º ano).

A professora Edith Ferreira, do curso de Pedagogia da UFMA, explica que as ações de intervenção serão realizadas diariamente, uma turma por vez, durante todo este ano letivo, e com a perspectiva de continuidade do trabalho também no ano de 2019. "O nosso foco é contribuir não só para a formação de estudantes leitores, mas para a formação de produtores de texto", ressalta Edith, informando que paralelamente serão realizadas formações com os professores da escola, pelo menos uma vez ao mês. "Queremos estudar leitura e escrita com os professores para, juntos, planejarmos atividades de mais impacto na vida dos estudantes", assinalou.

Do grupo de 30 pesquisadores, 10 estão diretamente ligados às ações do projeto na U.E.B. Agostinho Vasconcelos, iniciadas em fevereiro deste ano. A coordenadora pedagógica da escola, Karyna Tavares, conta que além do trabalho de revitalização, as professoras pesquisadoras da UFMA conseguiram, por meio de doações, praticamente duplicar o acervo de livros da biblioteca, que passou de 350 para cerca de 600 exemplares, sendo agora a maioria de livros literários.

O aluno Jaaziel Santos, 15 anos, do 9º ano, diz que todos estão na expectativa de participar das ações de mediação de leitura e escrita na biblioteca revitalizada. "Quero me desenvolver mais nessa área de leitura e escrita, ter mais argumentos para também melhorar minhas redações, pois quero fazer um seletivo para o próximo ano", conta.

A bibliotecária Michelle Pinto, do grupo de pesquisa, fala que a leitura é uma necessidade humana de desenvolvimento que precisa ser aprimorada a cada dia. "Vamos promover ainda mais a leitura entre os estudantes desta unidade, mostrando a eles que precisam se apropriar da leitura, mostrando as diferentes formas de ler, e propondo algo a mais, que eles possam se tornam escritores", destacou Michelle Pinto.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem