agencia

Notícias

Sábado, 03/11/2018 - 08h54

Prefeitura encerra 1ª fase do programa São Luís de Ponto a Ponto com visita de alunos ao grupo Grita

Programa levou estudantes da rede municipal de ensino para conhecer sete espaços que integram a Rede São Luís de Pontos de Cultura, aproximando os alunos das entidades artísticas e culturais da cidade

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Alunos puderam conhecer mais sobre o trabalho desenvolvido pelo grupo Grita no Anjo da GuardaAlunos da Unidade de Educação Básica (U.E.B.) Ministro Carlos Madeira, localizada no  Anjo da Guarda, participaram de uma aula diferente esta semana. Eles foram conhecer a sede do Grupo Independente de Teatro Amador (Grita), situado no mesmo bairro. A visita ao Grita marcou o encerramento da primeira fase do programa São Luís de Ponto a Ponto, que levou estudantes da rede municipal de ensino para conhecer sete pontos de cultura da Rede São Luís de Pontos de Cultura. O programa é uma iniciativa da gestão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior por meio das secretarias de Cultura (Secult) e Educação (Semed).

As escolas são escolhidas por proximidade da sede dos Pontos de Cultura, para que os alunos possam voltar outras vezes e criem um vínculo com a entidade cultural. "Como a escola está localizada no mesmo bairro do ponto de cultura, os alunos vieram andando com os professores. Isso mostra aos nossos jovens que eles podem ter acesso à cultura perto de casa, além de fortalecer o trabalho artístico e social que já é realizado pelo Grita", destaca o secretário municipal de Cultura, Marlon Botão.

Com mais de 40 anos de história, o Grita atua na comunidade do eixo Itaqui-Bacanga com a produção de espetáculos, cursos, oficinas e capacitação para jovens, com destaque para a metodologia do teatro popular. Considerado o maior espetáculo ao ar livre no estado do Maranhão, a Via Sacra é o principal evento realizado pelo Grita, que acontece nas ruas do bairro Anjo da Guarda, durante a Semana Santa e atrai um público de 250 mil pessoas.

PONTO DE CULTURA

Os alunos conheceram as dependências da sede do Grita, que conta com teatro arena, sala de dança, escritório e ateliê de confecção de figurinos. Simoney Mascarenhas, é cenógrafo do ponto de cultura e fala sobre a importância de os jovens da comunidade conhecerem o Grita.

"Realizamos atividades o ano inteiro, como cursos de teatro, cenografia, iluminação e dança. Mas muitas pessoas não conhecem. Então, trazer crianças e adolescentes daqui para conhecer nosso trabalho faz com que eles se apropriem deste espaço comunitário. Incentivamos o protagonismo juvenil, que se reflete na grande quantidade de jovens envolvidos na Via Sacra. A gente consegue, através da arte, educar", revela.

Foi a primeira vez que Antônio Luis Barbosa Neto, aluno do 7º ano da U.E.B. Ministro Carlos Madeira, visitou o ponto de cultura. Ele conta que gosta de apresentações teatrais, principalmente as que tratam sobre temáticas como preconceito e criminalidade. "Tenho interesse em voltar. Como o Grita fica aqui no Anjo da Guarda, facilita o acesso", planeja.

A professora Aricélia Cantanhede foi uma das docentes que acompanhou o grupo de alunos. Ela comenta que a visita é uma forma diferenciada de os alunos se interessarem pelo assunto. "Como sou professora de arte, esse momento me proporciona subsídios necessários para trabalhar a linguagem do teatro em sala de aula. Realizamos também visitas aos museus do Centro Histórico. Tudo isso é bom para que eles compreendam as disciplinas de uma forma mais crítica", explica.

Além do Grita, nesta primeira fase do Programa São Luís de Ponto a Ponto, foram visitados os seguintes pontos de cultura: Barracão do Bumba-Meu Boi de Leonardo (Liberdade), Grupo de Dança Afro Malungos - GDAM (Parque do Bom Menino, Centro), Laborarte (Centro) e Boi da União da Vila Mauro Fecury I.

REDE SÃO LUÍS DE PONTOS DE CULTURA

Desde 2015, por meio de edital de seleção, 40 iniciativas culturais dos mais diversos segmentos artísticos da capital foram selecionadas para receber premiação e participar de um programa de capacitação, formando a Rede São Luís de Pontos de Cultura. O projeto é uma das ações efetivas da Política Nacional de Cultura Viva, programa do Governo Federal executado pela Prefeitura de São Luís por convênio.

Em 2017 foram realizadas sete oficinas de diversos temas para 80 pessoas de grupos culturais, para atuarem como multiplicadoras em suas regiões de atuação. A consolidação da Rede aconteceu no final de 2017 com um Fórum para apresentar os resultados.

A rede maranhense tem 14 diferentes segmentos culturais: teatro, dança, tambor de crioula, bumba meu boi, centro cultural, capoeira, cultura e educação, escola de samba, bloco tradicional, mídia livre, moda, Festa do Divino, música e ocupação cultural. No projeto, os alunos conhecem diferentes territórios culturais e os Pontos de Cultura que integram aquele espaço. O intuito é olhar a cidade através de grupos culturais, dando visibilidade para a Rede e para a cultura espalhada por toda a cidade.

CONHEÇA OS PONTOS DE CULTURA

Centro de Cultura e socialização Comunidade Viva;

Instituto Mariana;

Sociedade Junina Bumba meu Boi da Liberdade;

Casa das Minas Gege do Maranhão;

Clube Cultural de Bumba meu boi de Zabumba e Tambor de Crioula do Maranhão;
Coteatro;

Centro educacional e profissional do Coroadinho;

Grêmio Recreativo Escola de Samba Flor do Samba;

Bloco Carnavalesco Tradicional os Foliões;

Grupo Folclórico União da Baixada;

Grupo Grita;

Formação Centro de Apoio a Educação Básica;

Laborarte - Laboratório de Expressões Artísticas;

Associação Cultural Beneficente Junina Pindareense;

Centro de Atividades Rosa Branca;

Associação Folclórica Brilho da União da Vila Mauro Fecury I;

Associação Folclórica Cultural e Beneficente Oriente;

Grupo Folclórico Lírio do Sertão;

Associação Recreativa e Beneficente Folclórica e Cultural de Maracanã;

Associação de Cultura da Capoeira e da Raça;

União dos Moradores da Vila dos Frades;

Grupo de Danças Afro Malungos-GDAM;

Sociedade de Boa União;

Associação Folclórica Tambor de Crioula Arte Nossa;

Associação Cultural Tambor de Crioula Manto de São Benedito;

Associação Folclórica Tambor de Crioula Mimo de São Benedito;

Tramando Teatro;

União dos Moradores da Vila Embratel II;

Sociedade Maranhense de Mídia Alternativa Mutuca;

Xama Teatro;

A capoeira e as Danças de Matriz Africana;

Casa do Coreiro do Maranhão;

M@trizes.Com Cartografia Cultural Colaborativa;

Coroado de Natal Fortalecendo a Identidade Cultural do polo Coroadinho;

Festa do Tambor de Crioula Proteção de São Benedito II;

Grupo Bumba Ópera Brasil Cantatas;

Grupo de capoeira Tombo da Ladeira;

Lizzi Fashion Artistique Collectif;

Movimento Sebo no Chão;

Tambor de Crioula Mestre Amaral Centro Cultural.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem