agencia

Notícias

Quinta-feira, 29/11/2018 - 18h44

Diretrizes para uso do Complexo Cais Santo Ângelo, da Prefeitura, serão apresentadas à comunidade

Resultados das atividades realizadas pelo Laboratório Urbano Efêmero - LAB SLZ, em setembro, serão demonstrados à comunidade neste sábado (1º), às 18h, no prédio da Galeria Trapiche

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Comunidade participa de uma das ações realizadas pelo LAB SLZ durante processo de discussão para uso de galpõesNeste sábado (1º), serão apresentadas as diretrizes de uso do Complexo Cais Santo Ângelo, que inclui pelo menos cinco edificações pertencentes à Prefeitura de São Luís na região da Praia Grande, entre as quais o prédio da sede da Secretaria Municipal de Administração (Semad) e Galeria Trapiche. O levantamento foi realizado em setembro pela empresa Translab Urb contratada por meio do projeto Laboratório Urbano Efêmero - LAB SLZ com a participação da comunidade. A apresentação, que acontece a partir das 18h, na Galeria Trapiche (Praia Grande), será aberta ao público e conta com um mini documentário. Os prédios do Complexo Cais Santo Ângelo serão revitalizados e requalificados pela gestão municipal a partir de financiamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Constitui mais uma ação da gestão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior na política de valorização do Centro Histórico e revitalização de áreas urbanas degradadas.

O trabalho resulta das oficinas realizadas pelo Laboratório Urbano Efêmero durante três semanas no mês setembro e indicará a utilização para o espaço cultural que vai ocupar uma parte do complexo. A outra parte será ocupada por órgãos do município e terão destinos a partir de sugestões colegiadas. O pensamento coletivo sobre as novas funções para o espaço serão apresentadas nesta primeira exposição pública do LAB SL que inclui aspectos sociais, educacionais, culturais, artísticos e políticos.

O relatório qualitativo contendo as manifestações sobre os desejos e vocações levantadas junto às populações residentes e comunidades diversas foi apresentada nesta semana ao secretário municipal de Governo, Pablo Rebouças, e ao secretário municipal de Projetos Especiais, Gustavo Marques.

"Precisamos cada vez mais vivenciar uma democracia participativa onde os cidadãos estejam diretamente envolvidos nas decisões que cercam a nossa cidade. Ocupar o espaço público é trabalhar em favor da cultura, segurança e educação da população", ressalta o secretário municipal de Projetos Especiais, Gustavo Marques. Para o secretário Gustavo Marques, por São Luís ser uma cidade pulsante, repleta de influências e culturas diversas, "fazer com que essa heterogeneidade faça parte do nosso cotidiano, foi o grande desafio do LAB SLZ". Marques observa a necessidade que "as identidades que formam nossa sociedade, estejam distribuídas na arquitetura, na organização e nas manifestações culturais de nossa cidade".

A diretora da Galeria Trapiche, Camila Grimaldi, explica a ação. "Ao longo de três semanas os Galpões foram transformados em um espaço de encontro para que projetos e iniciativas de São Luís pudessem estar em rede e ajudar a construir juntos ações para uma cidade melhor. Foram realizadas programações de ativação com palestras, debates, oficinas, placemaking, urbanismo tático e escuta da população no LAB SLZ, que resultou neste mini documentário que será apresentado sábado (1º) como resultado. Esta foi a primeira etapa e, a partir disso, será construído o projeto de revitalização com as ideias levantadas em conjunto".

LAB SLZ

As atividades realizadas em setembro giraram em torno do tema inovação social urbana. Neste período foram visitadas as universidades e outras instituições instaladas no entorno dos prédios. As atividades ligadas ao tema da inovação social urbana tiveram o objetivo de gerar diretrizes de uso deste espaço público, criando caminhos a serem utilizados na construção do programa de requalificação dos dois galpões, sendo um deles a Galeria Trapiche.

A ideia de realizar o laboratório foi desenvolver, através deste, o sentimento de pertencimento, identificando os desejos de ocupação e desenvolvimento de programa de interesse público. O LAB SLZ pode ser considerado o primeiro estágio para elaboração do projeto de requalificação do complexo de prédios históricos localizados na Praia Grande. Por recomendação do BID, foram ouvidas as populações residentes no entorno dos prédios e em seu raio de influência, como as comunidades universitárias públicas.

A ocupação deste território com um Laboratório Urbano Efêmero durou 21 dias. A participação era aberta a qualquer um que desejasse contribuir para uma cidade melhor, dando sugestões do que poderia ser feito. Foram ouvidos artistas, ativistas, líderes comunitários, integrantes de coletivos, estudantes, governo, comerciantes, empreendedores, empresários e moradores.

A previsão de entrega da reforma dos galpões é em 2020, enquanto isso será feito um projeto transversal permanente de mapeamento de iniciativas e projetos. "O que estamos começando irá ficar até o final do projeto de reforma. É uma maneira de levantarmos dados, uma cocriação de processo. Funciona como uma colcha de retalhos, de onde irá sair um relatório qualitativo de coisas que já existem, desejos e vocações de todas as soluções criativas que a população pode levantar. Isso será compilado e virará preceitos para uso e gestão deste espaço para um projeto de reforma", destacou um dos membros do Translab.urb, Leonardo Brawl.

Outras informações podem ser adquiridas pelo e-mail labslz.ma@gmail.com; telefone (98) 991432178 (p/ ligações, whatsapp, telegram, sms) ou redes sociais: @labslz (Facebook e Instagram).

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem