agencia

Notícias

Terça-feira, 04/12/2018 - 15h32

Prefeitura apresenta resultados do LAB SLZ com as diretrizes para uso do Complexo Santo Ângelo

Levantamento apresentado ao público foi realizado pela empresa Translab Urb contratada por meio do projeto Laboratório Urbano Efêmero e integra as ações da gestão do prefeito Edivaldo para o Centro Histórico

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Comunidade participou do processo que deu origem a uma exposição e minidocumentário com resultados do LAB SLZ As diretrizes para uso do Complexo Cais Santo Ângelo, que inclui cinco edificações pertencentes à Prefeitura de São Luís na região da Praia Grande, entre as quais o prédio da sede da Secretaria Municipal de Administração (Semad) e Galeria Trapiche, foram apresentadas à comunidade semana passada. Os prédios serão revitalizados e requalificados pela gestão municipal a partir de financiamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) como mais uma ação da gestão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior, que tem investido na política de valorização do Centro Histórico.

O levantamento apresentado ao público foi realizado em setembro pela empresa Translab Urb contratada por meio do projeto Laboratório Urbano Efêmero - LAB SLZ com a participação da comunidade. Na programação estavam a divulgação dos resultados e a exibição de um minidocumentário com uma espécie de balanço de todas as ações que foram realizadas nos Galpões Santo Ângelo durante os 21 dias de intervenções, oficinas e apresentações de trabalho que fizeram parte do projeto.

Ao longo de três semanas, os Galpões foram transformados em um espaço acolhedor para a realização de ações que tinham como foco a vivência da cidade, de forma que os atores sociais foram instigados a compartilharem a sua experiência enquanto moradores, artistas e promotores de cultura em São Luís.

"O LAB SLZ foi bem recebido porque estamos fazendo parte do processo de elaboração do projeto e da reforma do complexo desde o início. Este evento foi importante porque a gente está dizendo o que queremos. A exposição com as diretrizes vai ficar em cartaz até o dia 11 de dezembro na Galeria Trapiche. Depois será exibida na faculdade de Arquitetura e em outros espaços", destaca a diretora da Galeria Trapiche, Camila Grimaldi. A Galeria é um equipamento administrado pela Secretaria Municipal de Cultura (Secult).

Para Leonardo Brawl, articulador de atividades e membro do Translab.urb, o projeto tem superado as expectativas. "A experiência foi incrível. Nossas expectativas foram superadas tanto com o BID quanto com os órgãos públicos gestores. Fomos aos poucos coexistindo com a Galeria Trapiche e interagindo com toda a cadeia produtiva existente no local. Ao longo do processo foi sendo construída uma relação sensível de experiência e cidadania", disse.

O trabalho indica a utilização para o espaço cultural que vai ocupar uma parte do complexo. A outra parte será ocupada por órgãos do município e terão destinos a partir de sugestões colegiadas. O pensamento coletivo sobre as novas funções para o espaço foram apresentadas nesta primeira exposição pública do LAB SL, que inclui aspectos sociais, educacionais, culturais, artísticos e políticos.

Para o ator Cláudio Marconcine e dançarina Márcia de Aquino, que moram no Centro de São Luís, as atividades do Laboratório Urbano Efêmero foram um marco na utilização dos espaços públicos da capital. "O que mais destacamos em todo processo foi o diálogo com a população. Conversar com o cidadão antes de qualquer modificação proposta para o espaço, demonstra uma preocupação em não ser invasivo, mas sim participativo e democrático", disse o ator. "Participamos de oficinas e apresentamos trabalhos no Laboratório, o que nos enriqueceu tanto como profissionais da Cultura como moradores de São Luís", pontuou a dançarina.

LAB SLZ

As atividades realizadas em setembro giraram em torno do tema inovação social urbana. Neste período foram visitadas as universidades e outras instituições instaladas no entorno dos prédios. As atividades ligadas ao tema da inovação social urbana tiveram o objetivo de gerar diretrizes de uso deste espaço público, criando caminhos a serem utilizados na construção do programa de requalificação dos dois galpões, sendo um deles a Galeria Trapiche.

O LAB SLZ realizou uma coleta de informação com inovação, com a proposta de novos repertórios de equipamentos culturais em que o público é também proponente, participando em todas as etapas: identificar o problema, criar as perguntas e responder coletivamente. Os 21 dias de evento foram baseados no urbanismo participativo, com contribuição de atores da sociedade civil ou organizada, academia, setor privado e governamental.

Foram estabelecidas diretrizes em três linhas: espaço físico, usos e programas e autogestão. O BID, junto à Prefeitura, abriu licitação para uma empresa fazer a obra. De acordo com Leonardo Brawl, as diretrizes já foram encaminhadas para a empresa que vai fazer o projeto arquitetônico. "Este tipo de iniciativa de laboratório cidadão é um fenômeno novo, com iniciativas em Madri, Barcelona, Portugal e América do Sul. Aqui no Brasil, temos em Santos (SP) e Porto Alegre (RS). Este é o primeiro laboratório do tipo no Nordeste e tem um diferencial que é o apoio de uma entidade internacional", pontua.

Outras informações podem ser adquiridas pelo e-mail labslz.ma@gmail.com; telefone (98) 991432178 (p/ ligações, whatsapp, telegram, sms) ou redes sociais: @labslz (Facebook e Instagram).

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem