agencia

Notícias

Sábado, 29/12/2018 - 09h45

Prefeitura recolheu este ano mais de 94 mil toneladas de resíduos sólidos descartados irregularmente

Gestão do prefeito Edivaldo tem avançado com a política de resíduos sólidos na capital e, assim, combate o descarte irregular de lixo, um problema que se reflete em entupimento de bueiros e galerias causando transtornos à população especialmente no período chuvoso

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Agentes de limpeza durante trabalho de remoção em terreno de resíduos baldio na capital A Prefeitura de São Luís já recolheu este ano mais de 94 mil toneladas de resíduos sólidos descartados irregularmente nas vias públicas da cidade. O serviço está sendo intensificado durante o período chuvoso porque o descarte inadequado do lixo é um dos fatores para o entupimento de bueiros, o que provoca acúmulo de água em alguns pontos da cidade. Para evitar transtornos, a população deve descartar o lixo domiciliar corretamente e encaminhar os recicláveis para um dos 11 Ecopontos construídos na gestão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior e em pleno funcionamento na capital. Para coibir ainda mais o descarte incorreto, o prefeito assinou, em outubro, a ordem de serviço para a construção de mais cinco Ecopontos e em dois deles as obras já foram iniciadas.

Por meio do Comitê Gestor de Limpeza Urbana, a gestão municipal faz ações de remoções em pontos de descarte irregular de resíduos sólidos pela cidade. Este recolhimento é feito por meio dos serviços de remoção manual e mecanizada, que ocorrem de segunda à sábado, das 7h às 23h, para garantir a limpeza desses locais. Por meio das remoções são eliminados pontos de descarte irregular, conhecidos popularmente como "lixões" na cidade.

Somente em dezembro já receberam os serviços de remoção manual ou mecanizada os bairros Anil, Liberdade, Camboa, Itapiracó, Ilhinha, São Francisco, Areinha, Cidade Olímpica, Centro, Cohaserma, Altos do Calhau, Turu, Chácara Brasil, Renascença, Cohab, Anjo da Guarda entre outros. Diariamente também são feitas ações de remoção na faixa de areia das praias da cidade para recolher o lixo descartado indevidamente na orla da cidade.

Por dia, são recolhidos em média, 300 toneladas de lixo jogados indevidamente nas ruas da cidade. Entretanto, segundo a presidente do Comitê Gestor de Limpeza Urbana, Carolina Moraes Estrela, o volume de recolhimento poderia ser maior. "Nem todo o lixo que é produzido em São Luís é recolhido porque muita coisa acaba se perdendo por causa dos descartes irregulares, apesar de termos ações diárias para coibir essa prática e coletar o que é decorrente dela. Esta perda ocorre porque muitos resíduos acabam indo parar nos rios da cidade e levados pela correnteza, impossibilitando seu recolhimento", disse. Ela destaca ainda que o dimensionamento do serviço de coleta domiciliar em São Luís, que segue orientação do prefeito Edivaldo, conseguiria atender toda a demanda de lixo gerado na cidade, não fossem os descartes irregulares.

REMOÇÕES

O lixo descartado de forma irregular, em São Luís, é gerado em reformas de pequeno porte, restos de poda e capina de origem domiciliar, ou ainda, móveis e eletrodomésticos velhos que normalmente são descartados nas vias públicas, além de recicláveis como papel, plástico e vidro. Há ainda o descarte ilegal feitos por empresas dos mais diversos setores que descarregam seus resíduos nos pontos de descarte irregular quando o correto, segundo a Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei Federal Nº 12.305/2015), seria que elas tivessem um plano de gerenciamento dos resíduos por eles produzidos.

Geralmente os locais usados para o descarte irregular de resíduos são terrenos baldios muitos deles particulares onde o proprietário não cuida da limpeza, poda e capina. Estes locais acabam sendo usados pela população para o descarte indevido do lixo doméstico bem como para o depósito de restos de construção civil, poda e capina domiciliar, móveis e eletrodomésticos sem serventia.

PROBLEMAS

O descarte irregular de resíduos sólidos pode causar uma série de problemas que podem ser potencializados no período chuvoso, pois o lixo jogado irregularmente na rua vai para as bocas de lobo, de onde seguem para as galerias de águas pluviais, canais rios da cidade. Isso afeta a rede de drenagem, pois diminui a vazão das galerias de águas das chuvas, provocando alagamentos pela cidade.

Com isso, a água pode invadir as casas, causando prejuízos materiais como a perda de móveis e eletrodomésticos e até mesmo danos na estrutura. Esses alagamentos provocam ainda problemas de locomoção por toda a cidade e ainda causa a degradação do asfalto das ruas e avenidas da capital.

O lixo pode ainda contaminar a água das chuvas, provocando a proliferação de doenças porque atrai animais como moscas, ratos, baratas e facilita a reprodução de mosquitos transmissores de doenças como a dengue, chikungunya, zika e a febre amarela. O descarte irregular causa também problemas ambientais e prejudica o paisagismo urbano, pois cria "lixões" dentro dos bairros.

POPULAÇÃO

O Comitê Gestor de Limpeza Urbana sempre pede o apoio da população de São Luís para garantir a limpeza da cidade. "A limpeza urbana abrange diversas áreas. Com ela garantimos a melhoria da saúde pública, a proteção do meio ambiente, uma paisagem urbana mais agradável e o bem-estar dos moradores, por isso, a população deve fazer sua parte neste processo. É fundamental que cada morador cuide do seu lixo da forma correta", frisa Carolina Moraes Estrela.

À população cabe acondicionar o lixo domiciliar em sacos plásticos bem fechados, evitando que este lixo se espalhe pelas vias públicas, entupindo galerias e bueiros. Também é necessário descartar o lixo apenas nos dias de coleta de cada bairro, observando o horário em que o caminhão de coleta passa para fazer o recolhimento.

ECOPONTOS

Para coibir o descarte irregular e garantir à população espaços adequados para o descarte dos resíduos não recolhidos pelo serviço de coleta domiciliar, a Prefeitura de São Luís, na gestão do prefeito Edivaldo, tem implantado Ecopontos. Já são 11 em pleno funcionamento, beneficiando toda a cidade e mais diretamente 380 mil pessoas em 104 bairros da capital que ficam no entorno dos Ecopontos.

Toneladas de materiais recicláveis, entulhos e outros resíduos que eram descartados irregularmente nas ruas da cidade, causando prejuízos à população, já foram recebidos nos Ecopontos que estão localizados no Parque Amazonas, Angelim, Bequimão, Habitacional Turu, Jardim América, Jardim Renascença, Residencial Esperança, Cidade Operária, São Francisco, Anil e São Raimundo.

Dando continuidade a esta política, em outubro deste ano foi assinada a ordem de serviço para a construção de mais cinco Ecopontos. As obras dos Ecopontos Centro, que conta com galpão de triagem anexo, e Mata Roma (Cidade Operária) já foram iniciadas. Também serão construídos os Ecopontos Sacavém, Itapiracó e Vila Isabel.

Como a população pode colaborar com a limpeza urbana?
- Não jogue lixo ou entulho nas vias públicas, córregos, terrenos baldios, bueiros e encostas. Além de poluir a cidade, o lixo nas ruas entope bocas de lobo e pode provocar enchentes;
- No trânsito, respeite os cones de sinalização. Eles estão ali para proteger os varredores, que estão trabalhando para deixar a cidade mais limpa;
- Respeite os dias e horários de descarte do lixo para coleta, evite deixar seu lixo na rua por mais tempo que o necessário;
- Embale corretamente seu lixo, em sacolas resistentes, bem fechadas e de tamanho adequado, para evitar que elas se abram e espalhem o lixo nas vias públicas. Lixo não embalado, além de exalar mau cheiro, atrai animais que podem ser portadores de doenças;
- Proteja o vidro e outros materiais perfurocortantes (estiletes, pregos, lâminas etc) com material resistente antes de colocá-lo na sacola e pressione as tampas das latas para dentro. Esses materiais desprotegidos podem ferir o agente de limpeza, mesmo ele usando as luvas protetoras.

Denúncias
A população de São Luís pode denunciar casos de descarte irregular de lixo e terrenos baldios usados como "lixões" por meio da Central de Atendimento do Comitê Gestor de Limpeza Urbana pelo telefone 0800 098 1636.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem