agencia

Notícias

Sexta-feira, 14/12/2018 - 08h41

Estudantes da rede municipal da Prefeitura participam da 12ª Mostra Cinema e Direitos Humanos

Participaram cerca de 260 alunos das U.E.Bs Justo Jansen e Bandeira Tribuzzi, ambas no Centro; evento teve como objetivo fortalecer o entendimento dos alunos no que diz respeito às temáticas ligadas aos direitos humanos

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Estudantes da rede municipal participam da 12ª Mostra Cinema e Direitos HumanosA Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), levou mais de 260 estudantes da rede municipal de São Luís para participarem da 12ª Mostra Cinema e Direitos Humanos, realizada no Cine Teatro Aldo Leite, no Palacete Gentil Braga, Centro. A programação teve como objetivo, fortalecer o entendimento dos alunos no que diz respeito ao direito à liberdade básica, no que abrange os direitos civis, políticos, econômicos, sociais e culturais. Temas como raça, gênero, idade, violência, deficiência, mobilidade, religião, orientação sexual e diversas condições que fazem parte dos Direitos Humanos, foram abordados em mais dos 40 curtas-metragens exibidos ao longo do Festival que encerrou nesta quarta-feira (12). Participaram da mostra as U.E.Bs Justo Jansen e Bandeira Tribuzzi, ambas no Centro.

Para o secretário de Educação Moacir Feitosa, falar sobre direitos humanos é reforçar o que é ensinado em sala de aula. ''Possibilitar a participação dos alunos da rede municipal nesse evento só vem corroborar com aquilo que já estamos propagando em sala de aula. É uma forma de reforçar os caminhos apontados, ampliar o conhecimento'', disse o titular da Semed.

Cerca de 70 estudantes do 9º ano da U.E.B. Alberto Pinheiro, Centro, participaram da mostra, assistindo ao curta-metragem ''A bicicleta do vovô''. O filme aborda a infância e o direito da pessoa idosa e traz em seu enredo a relação entre avô e neto. O avô narra a história do personagem, homem-morcego, que captura lendas antigas através de televisores e tabletes e luta contra a feiticeira Mabá. A história fala da ressignificação de personagens folclóricos por meio de um olhar mais lúdico sobre as coisas da vida, fazendo o neto se desconectar do mundo virtual e entrar um pouco mais no mundo da imaginação, permitindo transformar a infância em um universo de venturas e fantasias.

''Sempre nos preocupamos em dialogar com os alunos sobre assuntos referentes aos Direitos Humanos. Com isso eles estão aprendendo sobre os seus direitos e sobre o que podem ou não fazer. Todo esse conhecimento eles compartilham com os seus familiares, refletindo diretamente na sociedade e nos meio onde eles vivem'', relatou a gestora adjunta da U.E.B Alberto Pinheiro, Júlia Sousa.

Ana Beatriz Costa Campos, 14 anos, falou sobre o que achou de interessante sobre a história do filme. ''A historia é bonita e muito divertida. Percebi que o filme é uma critica social, e faz um paralelo sobre o tempo que estamos conectados na internet e o tempo que poderíamos estar aprendendo coisas novas, ou até mesmo, relembrando coisas que já conhecemos'', falou a estudante do 9º ano.

A estudante Cintia Rafaela Campos Ribeiro, 9º ano, 14 anos, falou sobre o que entendeu do filme. ''Achei bonito o modo que o filme fez um resgate de personagens do nosso folclore. Também, achei interessante como eles abordaram o quanto a TV tem dominado a sociedade, porém, o que mais me chamou atenção foi o fato de aprendermos a respeitar o diferente, respeitar as pessoas, por mais que elas não tenham pensamentos semelhantes ao nosso'', explicou.

Nat Maciel, produtora local do Festival, compartilhou a relevância de levar os estudantes para um espaço de cultura para visualizar no audiovisual o quanto os temas dos direitos humanos estão disponíveis para todos. ''Infelizmente, a temática sobre direitos humanos ainda é um tabu. Muitos ainda não sabem muito bem do que se trata. No entanto, tirar o aluno da instituição formal, e inserir ele em um espaço de cultura, e fazê-lo apreciar curtas-metragens que trazem em suas narrativas panorâmicas de acesso a informações sobre os direitos humanos, só vem a calhar com a proposta do festival, pois é uma porta de amadurecimento ao respeito com o diferente e, sobretudo, uma fonte de apropriação do assunto'', compartilhou. 

O FESTIVAL

A Mostra é realizada pelo Governo Federal, Secretaria de Direitos Humanos (SDH) da Presidência da República, e produzida pelo Instituto Cultura em Movimento (ICEM). A mostra acontece em todas as capitais do pais entre os dias 15 de novembro à 15 de dezembro. Em São Luís foi do dia 5 a 12 de dezembro.

Na 12ª edição o tema é a celebração dos 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos e inspirada nos seus 30 artigos. O festival aborda os mais diversos temas: cidadania LGBT e enfrentamento da LGBTfobia, direitos de crianças e adolescentes, direitos das mulheres, democracia e participação política, imigração, direitos das pessoas com deficiência, diversidade religiosa, direitos da população indígena e de comunidades e povos tradicionais, direito humano à alimentação adequada, dentre tantos outros.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem