agencia

Notícias

Quarta-feira, 19/12/2018 - 14h57

Primeira etapa das obras da Rua Grande e requalificação do Complexo Deodoro serão entregues dia 22

A obra, executada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em parceria com a Prefeitura de São Luís, contou com soluções urbanísticas e arquitetônicas que resgatam a importância histórica do local

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

A requalificação urbana desse espaço essencial para o desenvolvimento de São Luís é a maior entre as obras que vem sendo realizadas pelo Iphan na capital maranhense

Um espaço público de qualidade, priorizando os pedestres, com urbanismo ordenado, e possibilitando às pessoas vontade de permanecer, usufruir e conviver. Essa foi a premissa que conduziu a primeira etapa das obras de requalificação urbana da Rua Grande, em São Luís (MA), a partir da reestruturação de todo o Complexo Deodoro, que agora permite aos visitantes e moradores uma nova dimensão e percepção das Praças Deodoro e Panteon e das alamedas Silva Maia e Gomes de Castro.

No dia 22 de dezembro, esse espaço, que também inclui as quatro primeiras quadras concluídas da Rua Grande, será reaberto. Para que isso ocorresse, o Governo Federal, por meio do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), investiu quase R$ 20 milhões nas intervenções, executadas em parceria com a Prefeitura Municipal de São Luís, em um ano de obras. Os resultados desse empenho serão conhecidos em evento aberto ao público, marcado para as 17h30, com a presença da presidente do Iphan, Kátia Bogéa; do prefeito Edivaldo Holanda Junior; do diretor do Departamento de Projetos Especiais do Iphan, Robson de Almeida; do superintendente do Iphan no Maranhão, Maurício Itapary; entre outras autoridades locais.

Além de toda a fiação ter sido embutida nesse primeiro trecho da Rua Grande, outro grande impacto para quem chega ao local é a dimensão das novas praças. O projeto executado contou com soluções urbanísticas e arquitetônicas que resgatam a importância histórica do local, antes conhecido como Campo de Ourique, e a vista privilegiada da Biblioteca Benedito Leite. As praças e alamedas estão agora mais integradas, como se formassem uma grande e única praça, com espaços acessíveis e sem obstáculos, que é um verdadeiro convite ao pedestre. Foi ainda pensando nisso que a obra incluiu também um novo paisagismo, iluminação pública, mobiliário urbano e pavimentação, além da abertura de pequenas praças rebaixadas, que funcionam como recantos para a permanência.

Bustos retornam com suas histórias

Outro grande destaque na nova configuração do Complexo Deodoro foi o retorno dos bustos de grandes personalidades das artes e letras do Maranhão à Praça Panteon. Por 11 anos, eles haviam sido armazenados no Museu Histórico e Artístico do Maranhão e agora foram higienizados e restaurados para retomar seu local de destaque, em frente à Biblioteca Benedito Leite.

Desde 1998, os bustos são uma homenagem póstuma oficial e permanente a Clodoaldo Cardoso, Gomes de Sousa, Henriques Leal, Arthur Azevedo, Urbano Santos, Dunshee de Abranches, Nascimento de Morais, Gomes de Castro, Bandeira Tribuzi, Maria Firmina, Arnaldo de Jesus Ferreira, Ribamar Bogéa, Coelho Neto, Raimundo Corrêa, Raimundo Teixeira, Raimundo Corrêa de Araújo, Silva Maia e Josué Montello, por sua contribuição às artes no Estado. Forjados em bronze, eles são resistentes ao sol e às chuvas e contam com placas que identificam cada um desses intelectuais maranhenses.

A GRANDE RUA DE SÃO LUÍS 

Todas essas intervenções integram a proposta de oferecer uma maior apropriação e valorização da Rua Grande, em uma série de obras por todo o seu percurso. A requalificação urbana completa desta que é a principal via do centro comercial e de serviços da capital maranhense prevê investimentos de mais de R$ 36 milhões, em ações que continuam nos próximos meses. A execução vem sendo realizada em etapas, na medida em que a Prefeitura de São Luís libera as áreas com a retirada do comércio informal e reordenamento do trânsito. Além do que já foi feito, o projeto também prevê o embutimento da fiação, valorização das fachadas, revisão dos sistemas de saneamento e de combate a incêndio, sinalização turística e viária.

A Rua Grande é uma marca no urbanismo e na história de São Luís. Identificada desde os primeiros registros da ocupação da cidade, ela possui grande importância social e econômica, já que é peça fundamental na sustentabilidade das atividades comerciais da capital e na geração de emprego e renda no centro histórico. Integrando esse contexto urbano estão as praças Deodoro e Panteon, as alamedas Silva Maia e Gomes de Castro e os edifícios institucionais de seu entorno, que compõem o desenvolvimento da região.

A requalificação urbana desse espaço essencial para o desenvolvimento de São Luís é a maior entre as obras que vem sendo realizadas pelo Iphan na capital maranhense. Nos últimos cinco anos, foram concluídas oito intervenções pelo PAC Cidades Históricas, somando cerca de R$ 14,2 milhões investidos pelo Governo Federal. Os recursos promoveram a requalificação da Praça da Alegria e restaurações da fachada de azulejo do sobrado da Praça João Lisboa, 37; do sobrado da Faculdade de História; do sobrado da Fapema; do Teatro Artur Azevedo; do antigo Fórum Universitário da UFMA (Curso de Direito); do Palácio Cristo Rei (Reitoria da UFMA); e do Museu de Artes Visuais. Também estão em execução as obras de restauração do Palácio das Lágrimas, da Junta Comercial, do Centro Artístico Operário, do Centro Educacional Guaxenduba, do Teatro João do Vale e do Teatro Tablado, com contratos que somam investimentos de R$ 10,9 milhões.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem