agencia

Notícias

Sábado, 09/03/2019 - 10h10

Mulheres de programas sociais do município são homenageadas pela Prefeitura com ensaio fotográfico

No Dia Internacional da Mulher, gestão do prefeito Edivaldo realiza ensaio fotográfico com mulheres atendidas pelas Semcas; primeira-dama Camila Holanda acompanhou o trabalho e destacou a importância da luta feminina por direitos e reconhecimento

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Mulheres de programas sociais do município são homenageadas pela Prefeitura com ensaio fotográficoA beleza, a força e a coragem de mulheres retratadas através de um ensaio fotográfico em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, comemorado em 8 de março. A proposta é uma iniciativa da Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal da Criança e Assistência Social (Semcas). O ensaio, que foi acompanhado pela primeira-dama Camila Holanda, aconteceu no Palácio dos Leões e incluiu book e maquiagem contemplando 13 mulheres atendidas por programas sociais da gestão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior.

O evento tem como finalidade resgatar a autoestima e mostrar o poder de superação das mulheres frente às condições adversas. O ensaio fotográfico mostra mulheres que carregam consigo histórias de vida marcadas por sacrifícios, lutas, superação, que encontraram forças para enfrentar todos os obstáculos e continuar seguindo em frente. A primeira-dama Camila Holanda pontuou a preocupação da gestão do prefeito Edivaldo em sempre proporcionar uma programação diferenciada às mulheres e classificou como muito valorosa e importante a ação da Semcas.

"O enfoque para este dia foi um alerta à sociedade pelo respeito às mulheres. Quanto mais iniciativas de conscientização, mais válida a data e reforça o seu significado. As mulheres que estão nesse evento foram cuidadas e tiveram um momento para si. O evento vem mostrar que elas têm valor, merecem ser cuidadas, amadas e respeitadas. Parabenizamos todas as mulheres maranhenses e que não percam a esperança de dias melhores", disse a primeira-dama.

A titular da Semcas, Andréia Lauande pontuou que este é um momento de resgate da autoestima das mulheres participantes, que elas querem flores, mas também respeito. "São mulheres que um dia tiveram sua dignidade ferida, que enfrentaram muitas barreiras e estão dando a volta por cima. Essa proposta do book fotográfico foi justamente para que possam se ver belas e fortes como elas são e levar essa lembrança para casa. Entendemos que elas precisavam de uma atividade diferenciada, de um momento para elas, de cuidado e de carinho", enfatiza.

PROGRAMAS

As fotografadas são mulheres atendidas e acompanhadas pelo Serviço de Proteção e Atendimento Especializado a Famílias e Indivíduos (PAEFI), oferecido nos Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas); pelo Serviço Especializado para População em Situação de Rua (Centro Pop); e dos Centros-Dia de Referência para Pessoa com Deficiência Adulta e o Infantil.

Dilma Diniz

Uma dessas histórias é da autônoma Dilma Diniz Reis, que não mediu esforços ou limites para resgatar o filho do mundo das drogas. Hoje, apesar de todo o sofrimento, rompimento de relações familiares e ameaças que sofreu, ela se sente vitoriosa. Ela conta que começou a desconfiar do envolvimento do filho com as drogas quando ele tinha 14 anos. Ano passado o jovem se envolveu com uma traficante e ali começou sua batalha. Atuando como pastora em uma igreja, ela precisou deixar a função para salvar o filho.

Dilma buscou todos os meios para continuar lutando pelo filho. E foi justamente em uma unidade do Creas que recebeu orientações jurídico-sociais, auxílio psicológico, encaminhamento para o Sistema de Garantia de Direitos e acesso a outros serviços socioassistenciais. "Fui muito bem atendida nas unidades que busquei. Dois lugares maravilhosos, onde recebi todo auxílio das equipes. Se hoje consegui vencer essa batalha e livrar meu filho das drogas e de envolvimento com traficantes, também é graças a todo apoio que recebi", avaliou.

Edilene Soares

Edilene Soares, 45 anos, deixou tudo para cuidar do filho Felipe Gabriel, de dois anos, que tem microcefalia. O alento dela é a evolução positiva do filho, que agora, após os atendimentos no Centro-Dia Infantil, já demonstra estímulos que antes não possuía. "Hoje ele reconhece a nossa voz, sorri com nossas interações e está um menino forte, firme, resistente. Minha alegria é saber que ele, a cada dia, melhora e peço a Deus que me dê todas as forças para acompanhá-lo sempre. Meu filho é a minha benção, minha vida", diz ela. Edilene tem o apoio e companheirismo do marido, o vigilante Valdino Dutra, 51 anos, e do filho Lucas Vinícius, de sete anos.

Ana Paula Pinheiro

A jovem Ana Paula Pinheiro, 23 anos, que possui deficiência intelectual, é atendida no Centro-Dia para Pessoa com Deficiência, o Centro-Dia Adulto, há três anos e estava feliz com o ensaio fotográfico. "Gostei muito. Me senti bonita. Foi um dia diferente para nós", disse. Ela é acompanhada pela mãe, a dona de casa Lucileide Costa, 45 anos, que avalia a evolução da filha como uma esperança. "Desde o início do tratamento ela está mais animada socialmente, melhorou o convívio familiar e está mais independente. Hoje vai sozinha ao centro, sendo que acompanho, mas ela já está mais independente de mim. Fique feliz com esse avanço. Hoje o dia é para ela", pontuou.

Após o ensaio, elas recebem um visual renovado, book eletrônico e registro impresso do ensaio fotográfico. O trabalho foi realizado pelo fotógrafo Evandro Filho e tem apoio da Secretaria Municipal de Segurança com Cidadania (Semusc) e a empresa Mary Kay.

APOIO E ASSISTÊNCIA

O Serviço de Proteção e Atendimento Especializado a Famílias e Indivíduos (PAEFI), oferecido nos Creas, promovem o atendimento e acompanhamento para famílias e pessoas que estão em situação de risco social ou tiveram seus direitos violados, dentre as quais as mulheres vítimas de violência.

Em 2018, os Creas das áreas Centro, Cidade Operária, Coroadinho, Sol e Mar e Itaqui-Bacanga realizaram o acompanhamento de mais de 228 casos de mulheres em situação de violação de direitos. A maioria dos casos envolvendo violência sexual, física, moral, doméstica, psicológica, patrimonial e negligência.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem