agencia

Notícias

Sábado, 09/03/2019 - 17h20

Criança com síndrome rara recebe suporte da Prefeitura de São Luís para continuar tratamento em casa

Após passar longa temporada no Hospital da Criança, Kalleb Sousa, portador da síndrome Werding-Hoffmann, recebeu todos os equipamentos e apoio da gestão do prefeito Edivaldo para continuar tratamento em casa; o imóvel foi intermediado pela Prefeitura por meio do programa Minha Casa, Minha Vida

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

 

Criança com síndrome rara recebe suporte da Prefeitura de São Luís para continuar tratamento em casaAos quatro anos de idade, finalmente o jovem Kalleb Santos desfrutou da sensação de um ambiente familiar e em sua própria casa. Isso foi possível graças à intervenção da Prefeitura de São Luís, na gestão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior e por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semus) que viabilizou a transferência da criança até a sua residência na quinta-feira (7). Kalleb é portador da síndrome de Werding-Hoffmann, considerada rara e que afeta a sua medula espinhal, impossibilitando funções básicas de forma voluntária, como a respiração por exemplo. Kalleb, antes de ir para casa, viveu no Hospital da Criança, em São Luís. Ele chegou à unidade de saúde com apenas um mês de vida, trazido por sua família da cidade de Bacabeira (MA).

Ao dar entrada, Kalleb recebeu desde sempre os cuidados clínicos necessários, no entanto, por se tratar até o momento de uma síndrome incurável, o jovem recebeu cuidados e usufruiu de estrutura montada durante este período especialmente para ele. Ao apresentar avanços com os cuidados prestados pela equipe do Hospital da Criança, composta por médicos, enfermeiros, fisioterapeutas e nutricionistas, Kalleb recebeu alta e foi transportado em uma unidade de suporte avançado do município até um imóvel no Residencial Piancó, disponibilizado pelo programa Minha Casa, Minha Vida, do Governo Federal e cuja posse pela família foi intermediada pela Semus.

"Durante este período no Hospital da Criança, o município de São Luís, na gestão do prefeito Edivaldo, garantiu a ele toda a assistência necessária para que pudesse ter uma passagem confortável e pudesse avançar em sua luta contra esta síndrome. Isto foi possível, o que possibilitou sua liberação até o seu novo lar", disse o secretário titular de Saúde, Lula Fylho.

No seu apartamento, Kalleb encontrou a mesma estrutura disponível na unidade municipal. A Semus – em parceria com o Governo do Maranhão – ofereceu cama, um aspirador portátil, um monitor de verificação cardiológica, um respirador, além de ar-condicionado. "Em sua casa, o Kalleb contará com toda a assistência multiprofissional necessária, composta por profissionais da rede que vão se revezar em regime de plantão", garantiu Lula Fylho.

A família de Kalleb agradeceu a ajuda recebida pelo município e outros órgãos. "Agora está tudo bem. Meu filho passou a vida inteira no hospital e tê-lo em casa, ao nosso lado, é a melhor coisa que poderia acontecer. O atendimento que ele tem recebido é maravilhoso e toda a equipe de profissionais que o acompanha é sempre muito atenciosa e cuidadosa", relatou a mãe de Kalleb, Ana Rita dos Santos Ferreira.

Pacientes com quadros semelhantes aos de Kalleb são assistidos pela rede municipal. Nestes casos, é viabilizada estrutura (corpo técnico e equipamentos) para a manutenção do  paciente. "Em especial, no Hospital da Criança, unidade acolhedora destes e outros tipos de casos, são assistidos jovens e seus familiares com síndromes consideradas raras", frisou Lula Fylho.

SAIBA MAIS

Os sintomas da síndrome de Werdnig-Hoffmann podem surgir pouco tempo após o nascimento ou ir se instalando gradualmente. A dificuldade para respirar é um dos sintomas mais frequentes da síndome nos bebês.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem