agencia

Notícias

Quarta-feira, 10/04/2019 - 09h05

Prefeitura, Ministério Público e UFMA promovem valorização do patrimônio de São Luís entre alunos da rede municipal

Projeto "A Ilha do Amor e Seus Mistérios" vai utilizar a linguagem do cinema para ampliar os conhecimentos de estudantes do 9º ano de escolas da Prefeitura

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Alunos participam de palestra sobre programa "A Ilha do Amor e Seus Mistérios"A Prefeitura Municipal de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), realizou na tarde de terça-feira (9) a primeira etapa do programa "A Ilha do Amor e Seus Mistérios", uma iniciativa do Núcleo de Educação e Cultura (NEC) em parceria com o Centro Cultural do Ministério Público e do Departamento de Assuntos Culturais da Universidade Federal do Maranhão (UFMA). O objetivo é promover a valorização do patrimônio histórico e cultural de São Luís por meio da linguagem do cinema e vai possibilitar que os alunos produzam filmes sobre as lendas e história da capital e do Maranhão.

"A Semed vem desenvolvendo programas que possibilitem aos alunos novas formas de aprendizagem para os conteúdos escolares, mas também para desenvolver outras habilidades como a criatividade, trabalho em equipe, a pesquisa, escrita. Esse programa vai permitir ainda que eles reconheçam a importância da nossa cultura e história e que se expressem por meio do cinema", afirmou o secretário municipal da Educação, Moacir Feitosa.

A primeira etapa foi iniciada com a palestra "As Linguagens do Cinema", ministrada pelo cineasta e coordenador do Centro Cultural do Ministério Público, Francisco Colombo, e pela cineasta Milena Carvalho. Os palestrantes falaram sobre a história, linguagens, aspectos do cinema e dramaturgia. Participaram da atividade alunos do 9º ano das Undades de Educação Básicas (U.E.Bs.) Alberto Pinheiro, Justo Jansen, Gomes de Souza e Amaral Raposo, e também alunos convidados do Centro de Ensino João Francisco Lisboa (Cejor).

Segundo a técnica do NEC/Semed, Giuliana Carvalho, o programa tratará da educação patrimonial nas escolas por meio do cinema, agregando teoria e prática. "Escolhemos o cinema pois acreditamos que os alunos vão aprender de forma mais prazerosa com uma linguagem que é mais próxima da realidade deles. Percebemos que quando levamos ao aluno a possibilidade de vivenciar na prática, ele consegue aprender melhor. Dessa forma, os alunos irão ampliar também outros conhecimentos nas áreas de língua portuguesa, artes e história", afirmou Giuliana Carvalho.

Cada escola irá tratar de um tema específico já selecionado pelo NEC. Os temas são "A Lenda da Serpente", "A Baronesa do Grajaú", "O Palácio das Lágrimas" e "A Lenda da Manguda". Os alunos poderão optar entre produzir um filme de ficção, animação ou documentário. Nas próximas etapas, os alunos irão aprender mais sobre produção em cinema e cada tema será explicado aos estudantes por um especialista convidado.

"Nós vamos fazer a formação sobre cinema com os alunos e nas próximas etapas falar também sobre aspectos de produção por gênero (animação, ficção ou documentário). Os alunos irão produzir seus filmes e, ao final, vamos promover uma mostra para exibir o que eles realizaram", explicou o cineasta Francisco Colombo.

Para o aluno Israel Carlos, da U.E.B. Alberto Pinheiro, a palestra sobre "As Linguagens do Cinema" despertou o interesse sobre a sétima arte e sobre todos os processos que envolvem a produção de um filme, em especial sobre o trabalho de ator. "Eu gostei muito da ideia de nós mesmos fazermos nosso próprio filme e de cada um poder desempenhar uma função, seja como cinegrafista, redator, produtor ou ator. Nunca tinha pensado nisso, é algo muito diferente da minha rotina, mas agora fiquei muito interessado", afirmou.

A segunda etapa que vai tratar sobre produção no cinema e sobre as lendas maranhenses será realizada no período de 23 a 26 de abril. A conclusão do programa com a realização da mostra dos filmes produzidos pelos alunos está prevista para o mês de junho.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem