agencia

Notícias

Domingo, 26/05/2019 - 08h25

Projeto de melhoria do atendimento implantado pelo prefeito Edivaldo no Socorrão II é destaque nacional

Com assessoria do Hospital Sírio-Libanês e por meio do projeto Lean nas Emergências, unidade de saúde reduziu lotação e tempo de atimento aos pacientes, além de outras conquistas nesta primeira fase da ação ficando em primeiro lugar entre os 20 hospitais brasileiros participantes

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Projeto de melhoria do atendimento implantado pelo prefeito Edivaldo no Socorrão II é destaque nacional

O Hospital Municipal Dr. Clementino Moura, o Socorrão II, equipamento de saúde da Prefeitura de São Luís, reduziu a superlotação no primeiro semestre deste ano e, ainda, o tempo de atendimento a pacientes. A unidade de saúde em São Luís foi a instituição que apresentou o melhor resultado nesta etapa do projeto, ficando em primeiro lugar entre os 20 hospitais brasileiros participantes. A informação foi apresentada esta semana como resultado da primeira etapa de implantação do projeto Lean nas Emergências, do Ministério da Saúde executado em parceria com o Hospital Sírio-Libanês. O projeto soma esforços às iniciativas da gestão do prefeito Edivaldo Holanda Junior para promover melhorias na rede municipal de saúde.

"Temo empenhado todos os esforços para melhoria do sistema de saúde da capital, com o intuito de garantir a população atendimento de qualidade. A parceria com o hospital Sírio-Libanês se insere nesse contexto do esforço pela melhoria continua dos serviços da rede municipal de Saúde, e os resultados são os melhores possíveis. Com o comprometimento da equipe envolvida e dos profissionais o hospital Socorrão II se destacou entre todos os participantes do programa como o de melhor resultado. O nosso agradecimento a todos que contribuem para que possamos oferecer o melhor à população", destacou o prefeito Edivaldo.

Com o desenvolvimento do projeto, o layout do pronto-socorro foi modificado dando valor a assistência de qualidade e segura ao paciente, melhorando a comunicação entre as equipes assistenciais e diminuindo o desperdício de insumos. Para isso, foram criados novos espaços como a Sala de Curta Permanência, a Sala de Decisão Médica, Sala Vermelha e Laranja, UTI A (com nove leitos) e um consultório específico para atendimento no fluxo de pacientes não graves. Como resultado dessa primeira etapa do projeto, foi apresentada a redução de 70% nos indicadores de superlotação no primeiro semestre deste ano e queda de 27% no tempo de atendimento a pacientes que não precisaram ser internados na unidade.

O secretário municipal de Saúde, Lula Fylho, destacou a importância dos resultados positivos. "Um trabalho como esse, realizado com a assessoria do Hospital Sírio-Libanês, reflete diretamente no atendimento que é ofertado na rede pública de saúde. Estamos muito felizes com o resultado positivo, que demonstra o empenho da equipe e o esforço da gestão do prefeito Edivaldo em promover serviços de saúde que atendam de forma digna às necessidades da população", destacou o titular da Secretaria Municipal de Saúde (Semus).

O projeto Lean nas Emergências é desenvolvido em duas etapas. A primeira, finalizada no dia 23 de maio, consiste na realização de melhorias ao longo de seis meses, com intervenções que utilizaram a Metodologia Lean, uma filosofia de gestão para melhoria dos processos baseada em tempo e valor, desenhada para assegurar fluxos contínuos e eliminar desperdícios e atividades de baixo valor agregado para o paciente. A segunda etapa do projeto é de monitoramento, com acompanhamento da sustentabilidade das ações por mais seis meses pela equipe de assessoria do Sírio-Libanês e diretamente pela sala de comando do Ministério da Saúde.

Durante a execução da primeira etapa do projeto, a equipe de assessoria do Hospital Sírio Libanês realizou o diagnóstico operacional do Hospital Socorrão II e apontou algumas oportunidades de melhorias que incluíam o fluxo intra hospitalar, a gestão de alta, o tempo de permanência, os processos assistenciais e o tempo de passagem do paciente pelo pronto-socorro. A partir do levantamento dos problemas a equipe do projeto que era composta por enfermeiros, médicos, fisioterapeuta e a direção do hospital começou a colocar em prática as ações para diminuição da superlotação da unidade de saúde.

RESULTADOS

Para mensuração dos resultados foram utilizados alguns indicadores tais como NEDOCS (sigla em inglês para Escala de Superlotação do Departamento Nacional de Emergência), que mensura quesitos como tempo de passagem de pacientes pelas urgências, permanência no hospital, tempo de alta, entre outros.

A líder do projeto e integrante do Núcleo de Acesso a Qualidade Hospitalar, Enfermeira Fabrícia Cavalcante, destacou a importância do envolvimento de todos os setores e categorias profissionais na implementação e sustentabilidade das ações de melhoria propostas pelo projeto. "O foco de todas as intervenções no Socorrão II foi a melhoria nos processos de trabalho com a participação e envolvimento da média liderança e a equipe da linha de frente. Contamos muito com a participação dos colaboradores em todas as etapas do projeto", disse.

Após a implantação consolidada na primeira etapa do projeto, o Socorrão II permanecerá sob a assessoria do Sírio-Libanês. Na próxima etapa do projeto, será realizado o monitoramento das ações que foram implementadas para melhorar os processos assistenciais do pronto-socorro no hospital.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem