agencia

Notícias

Terça-feira, 28/05/2019 - 15h29

Gestão Edivaldo amplia rede de proteção às vítimas de violências com atendimento humanizado na Casa da Mulher Brasileira

Nesta terça-feira (28), a primeira-dama Camila Holanda visitou os serviços ofertados pela Prefeitura por meio do Centro de Referência de Atendimento à Mulher em Situação de Violência, entre eles a Patrulha Maria da Penha, formada por 20 guardas municipais femininas

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Gestão Edivaldo amplia rede de proteção às vítimas de violências com atendimento humanizado na Casa da Mulher Brasileira

Com a implantação, pela gestão do prefeito Edivaldo Holanda Junior, do Centro de Referência de Atendimento à Mulher em Situação de Violência (CRAMSV), abrigado na Casa da Mulher Brasileira, a Prefeitura de São Luís ampliou de forma significativa os serviços de atenção às mulheres em situação de violência doméstica no município, fechando o ano de 2018 com 1.400 atendimentos realizados. A primeira-dama de São Luís, Camila Holanda e o secretário municipal de Segurança com Cidadania (Semusc), Heryco Coqueiro, visitaram, na manhã desta terça-feira (28), os serviços ofertados pelo órgão, entre eles o destacamento formado por 20 guardas municipais femininas que compõem a Patrulha Maria da Penha.

A Casa da Mulher Brasileira, resultado de parceria entre os governos federal, estadual e municipal, está localizada no bairro Jaracati. O espaço é especializado em atendimento humanizado às mulheres vítimas de violência, previsto na Lei Maria da Penha. Integra no mesmo lugar serviços especializados para os mais diversos tipos de violência contra as mulheres: acolhimento e triagem, apoio psicossocial, delegacia, Juizado e Ministério Público.

"A Prefeitura de São Luís cumpre aqui o seu papel de dar apoio a todos que necessitam do poder público. E a atenção às mulheres em situação de violência tem sido uma das prioridades do prefeito Edivaldo, que não tem medido esforços em ofertar um serviço cada vez mais acolhedor e humanizado para fazer com que todas que vivenciem qualquer situação de violência doméstica encontrem na Casa um lugar onde possam ser ouvidas, acolhidas e tenham todo o apoio necessário para a se libertarem de relacionamentos abusivos, violentos e degradantes. De forma que, ao visitar os serviços que são disponibilizados na Casa, fiquei muito feliz em verificar que, por meio deles, o município tem dado o suporte necessário a essas mulheres e obtido avanços muito positivos no combate à violência contra a mulher na capital", observou Camila Holanda, que na ocasião também visitou os demais serviços ofertados na Casa da Mulher Brasileira.

O Centro de Referência de Atendimento à Mulher em Situação de Violência da Capital tem sua estrutura organizacional vinculada diretamente à Coordenadoria Municipal da Mulher (CMM), que é parte integrante da Secretaria Municipal de Governo (Semgov) da Prefeitura de São Luís. O Centro conta ainda com o apoio da Secretaria Municipal de Segurança com Cidadania (Semusc).

"Com a orientação do prefeito Edivaldo, desenvolvemos aqui um trabalho fundamental em atenção às mulheres em situação de violência doméstica e familiar. Para isso, disponibilizamos na Casa uma diversidade de serviços com apoio multiprofissional para que as vítimas de violência tenham aqui todo o cuidado e o apoio que necessitam para romper com a situação de violência que vivenciem", pontuou o secretário municipal de Segurança com Cidadania, Heryco Coqueiro.

Durante a vista aos serviços da instituição, Camila Holanda e Heryco Coqueiro foram acompanhados pela delegada Kazumi Tanaka, coordenadora das Delegacias das Mulheres no Maranhão; pela juíza da 2ª Vara Especial de Combate à Violência Doméstica e Familiar, Lúcia Helena Heluy; a coordenadora municipal da Mulher, Vânia Albuquerque; a diretora da Casa da Mulher Brasileira, Susan Lucena, o vereador Raimundo Penha, entre outras autoridades. 

PATRULHA

Na ocasião, a primeira-dama viu de perto o trabalho da Patrulha Maria da Penha, destacamento da Semusc formado por 20 guardas municipais femininas que estão sendo capacitadas para atuarem ao lado da patrulha composta por policiais militares femininas do Governo Estado. Atualmente, desenvolvem atividades dentro da Casa da Mulher Brasileira. O destacamento dispõe de veículo que atenderá às chamadas com denúncias de violência doméstica ou qualquer outro tipo de abuso contra esse público. 

O Centro de Referência de Atendimento à Mulher em Situação de Violência da Capital é um espaço de prevenção e atendimento especializado, no qual são oferecidos os serviços de atendimento social, psicológico e jurídico à mulher em situação de violência, seja para orientação, encaminhamento e acompanhamento. Todo o serviço é desempenhado em um espaço amplamente estruturado dentro da Casa da Mulher Brasileira.

"Aqui nós realizamos o primeiro acolhimento, a triagem e a escuta especializada às mulheres que buscam pelo serviço, para, em seguida, serem encaminhadas aos demais órgãos da rede de proteção à mulher, conforme o caso. Nos casos que atendemos, o órgão utiliza de sua expertise, apoiando às mulheres em situação de violência doméstica e familiar. Mas os serviços do Centro vão além do atendimento de escuta e acolhimento, fazemos também rodas de conversas em parcerias com outras instituições para abordarmos os variados aspectos da violência, de forma que elas possam compreender melhor o momento que estão vivendo, desconstruir os padrões que vivenciam e consigam se recompor da situação", observou a coordenadora municipal da Mulher, Vânia Albuquerque. 

Ainda conforme Vânia Albuquerque, o atendimento realizado pela equipe multidisciplinar tem como objetivo fazer intervenção, a ruptura do ciclo da violência vivenciada pela mulher atendida, sem ferir o seu direito à autodeterminação, mas, promovendo meios para que ela fortaleça sua autoestima e resgate sua cidadania e a dignidade. Além do atendimento à mulher, o Centro de Referência tem ainda como uma de suas competências articular os meios que favoreçam a inclusão da mulher em programas e projetos de capacitação e qualificação profissional e inserção no mercado de trabalho, de acordo com as necessidades delas.

A delegada Kazumi Tanaka, coordenadora das Delegacias das Mulheres no Maranhão, que também acompanhou a vista, a parceria com a Prefeitura, por meio do Centro de Referência, é de suma importância para ampliar o acompanhamento e o monitoramento da situação de violência à mulher na capital. "É uma articulação que se fez ainda mais presente, harmônica e humanizada a partir da congregação de serviços especializados em um mesmo espaço, oportunizando a mulher dar o primeiro passo para se libertar de relações violentas que estejam vivenciando", enfatizou a delegada. 

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem