agencia

Notícias

Domingo, 30/06/2019 - 10h08

Gestão do prefeito Edivaldo combate trabalho infantil com ações de abordagem social nos arraiais da capital

Ações foram intensificadas durante o mês de junho nos principais arraiais do município, seguindo orientação do prefeito Edivaldo

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Gestão do prefeito Edivaldo combate trabalho infantil com ações de abordagem social nos arraiais da capitalO Serviço de Abordagem Social, da Prefeitura de São Luís, intensificou suas ações durante o mês de junho nos principais arraiais do município. Os educadores sociais estão realizando o trabalho de identificação e sensibilização nesses espaços relativos à prevenção e combate ao trabalho infantil. O serviço é executado pela Secretaria Municipal da Criança e Assistência Social (Semcas) e segue orientação do prefeito Edivaldo Holanda Junior. Na noite de sexta-feira (28), os educadores estiveram na área da Praia Grande, no Centro e no Arraial do Ipem, bairro Calhau.

"Nossa equipe está diariamente nas ruas realizando esse trabalho, contudo, em datas específicas como São João e Carnaval, nós montamos um calendário especial. A beleza e o colorido das festas juninas não podem ser prejudicados pelo desrespeito aos direitos de crianças e adolescentes. A gestão do prefeito Edivaldo tem clareza seu trabalho para assegurar essas conquistas", justificou a gestora da Semcas, Andréia Lauande.

O Serviço de Abordagem Social ocorre nos espaços públicos, fazendo a identificação das pessoas e o encaminhamento à rede sociaassistencial de acordo com a demanda apresentada. É ofertado de forma contínua, nos três períodos do dia e programada com a finalidade de assegurar trabalho social de abordagem e busca ativa que identifique, nos territórios, a incidência de trabalho infantil, exploração sexual de crianças e adolescentes e pessoas que utilizam espaços públicos como forma de moradia e/ou sobrevivência. Nos quatro primeiros meses de 2019, a Abordagem Social identificou 43 casos de incidência de trabalho infantil.

Jéssica Ramos, estudante do oitavo período de Direito, que estava com um grupo de colegas na Praia Grande, ressaltou a importância dessas ações. "O trabalho infantil fere a dignidade da criança e do adolescente e também e também o Estatuto da Criança e do Adolescente, então é muito importante esse tipo de ação. Eu cheguei a trabalhar, mas como Jovem Aprendiz, que a lei permite. Pais e responsáveis precisam entender que a vinda das crianças a esses espaços precisa ser para brincar e se divertir", pontou Jéssica.

Na noite de sexta-feira (28), a equipe de educadores sociais realizou panfletagem, dialogou com os frequentadores dos arraiais sobre a importância de combater o trabalho infantil e identificou um caso na Praia Grande de três garotas vendendo bonecas com a avó, que não quis conversar com a equipe de reportagem.

Claudiomar Rodrigues, educador social da Semcas explica que nesse período foram intensificadas as ações com o objetivo de mobilizar o maior número de pessoas da comunidade para proteger a criança e adolescente do trabalho infantil. "Nós percebemos que fazendo isso ao longo dos anos, tem diminuído bastante essa ocorrência. Antes era comum encontramos as famílias utilizando os pequenos na venda de fogos de artifício, principalmente, e nesse mês vimos apenas adultos realizando essa atividade, o que já consideramos um grande avanço", ressaltou.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem