agencia

Notícias

Quinta-feira, 01/08/2019 - 19h05

Novos profissionais da área da assistência social empossados pelo Prefeito Edivaldo já estão reforçando ações do setor

A entrada de 52 novos profissionais no quadro da Semcas tem assegurado uma nova dinâmica no atendimento na rede de proteção social que a gestão do prefeito Edivaldo tem como prioridade

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Política de assistência social da gestão Edivaldo é amplificada com reforço do quadro funcional

A entrada de 52 novos profissionais no quadro da Secretaria Municipal da Criança e Assistência Social (Semcas), empossados há menos de 15 dias pelo prefeito Edivaldo Holanda Junior, tem assegurado uma nova dinâmica no atendimento na rede de proteção social que a gestão vem desenvolvendo como prioridade. Com a inclusão dos profissionais, a Prefeitura de São Luís reforça o trabalho voltado à população em situação de vulnerabilidade social na capital e fortalece as políticas públicas do setor, desenvolvidas pela gestão do prefeito Edivaldo Holanda Junior, que tem registrado grandes avanços nos últimos anos.

"A inclusão dos novos servidores ao quadro de funcionários da Assistência Social integra a política de valorização do servidor e do serviço público municipal, visando garantir maior eficácia no desempenho das ações, sobretudo na garantia da assistência aos que mais precisam. Sem dúvida, esse é um dos legados da nossa gestão", disse o prefeito Edivaldo. 

Assistentes sociais, psicólogos e advogados foram incorporados ao quadro de servidores da Semcas. Com o reforço no quadro funcional, a Semcas passou a contar com equipes de referência recomendada pelo Sistema Único de Assistência Social (Suas). A partir da medida, a secretaria apresenta uma rede com equipes completas.

"Priorizamos todas as áreas que não contavam com a equipe mínima do sistema único, que é formada por um psicólogo e dois assistentes sociais", explica a secretária municipal da Criança e Assistência Social, Andreia Lauande.

Segundo a subdivisão territorial de São Luís, a Semcas conta com 20 Centros de Referência de Assistência Social (Cras), de assistência social básica, com cobertura de 12 a 15 bairros; cinco Centros de Referência Especializados de Assistência Social (Creas), dirigido a uma população específica e pessoas que tiveram direitos violados; dois Centros-Dia; dois Centros Pop, voltados para atendimento da população de rua; e cinco unidades de acolhimento. A partir do preenchimento do quadro, todos os Creas do município passaram a contar com equipes especializadas para desenvolver medidas socioeducativas, um significativo avanço na política de assistência.

"Havia uma defasagem das equipes por conta do grande intervalo entre o recrutamento mais recente e o último por concurso público, em 2008. Nesse período, muita gente se afastou por várias situações ou se aposentou", observa a secretária.

De acordo com a demanda de cada um dos 20 territórios, a Semcas tem dimensionado as equipes. Há situações em que a secretaria apresenta um quadro com formação superior ao recomendado pelo sistema único. Pela política nacional de Assistência Social, cada Cras deve referenciar pelo menos cinco mil famílias. Todo o atendimento realizado pela Semcas é mapeado na área de vigilância socioassistencial da secretaria, responsável também pelo monitoramento. Nesta área estão todos os relatórios de atendimento, que registram a evolução nos territórios.

"Há territórios em que há um volume muito grande de atendimento, como é o caso do Coroadinho, em que temos que reforçar o quadro acrescentando mais um assistente social. Por outro lado, em territórios com pouca procura, como Estiva onde o atendimento é menor, contamos com a equipe mínima, com dois assistente sociais", pontua Andrea Lauande.

Além do crescimento no número de equipamentos sociais, a Semcas tem expandido seu raio de atendimento em várias direções. Nas ações de acolhimento, por exemplo, houve um salto de 90 para 370 no número de vagas nestas instituições.

 

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem