agencia

Notícias

Sábado, 02/11/2019 - 09h30

Prefeitura estimula sentimento de pertencimento nas comunidades que recebem ações do São Luís em Obras

Em paralelo às obras de requalificação da Praça da Bíblia e do Parque do Bom Menino, gestão do prefeito Edivaldo desenvolve Plano de Trabalho Técnico Social com objetivo de oferecer oficinas de valorização das comunidades vizinhas aos espaços

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Prefeitura estimula sentimento de pertencimento nas comunidades que recebem ações do São Luís em ObrasAs obras de revitalização da Praça da Bíblia e do Parque do Bom Menino seguem em ritmo acelerado. O trabalho integra o programa São Luís em Obras, executado pela gestão do prefeito Edivaldo Holanda Junior, e de forma simultânea às obras de requalificação desses espaços está sendo desenvolvido o Plano de Trabalho Técnico Social (PTTS). O objetivo do trabalho social é oferecer oficinas às comunidades, especialmente às dos bairros vizinhos às obras. Nesta semana foi realizada no Parque do Bom Menino, uma oficina sobre participação e organização comunitária. 

“Temos um plano social intenso que faz parte da revitalização do Parque e que irá marcar com louvor um capítulo de valorização das pessoas e de renovação dos espaços públicos de São Luís”, destaca o titular da Sempe, Gustavo Marques, enfatizando que o trabalho social é parte integrante das obras de revitalização dos espaços, que tem o financiamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e são coordenadas pela Secretaria Municipal de Projetos Especiais (Sempe). .

As oficinas e capacitações oferecidas enquanto as obras estão em andamento, têm como proposta fortalecer, nas comunidades, o sentimento de que os espaços pertencem a elas. A ideia é estimular as lideranças comunitárias, motivando-as a continuar com esse trabalho nas comunidade. O momento é propício para provocar uma reflexão sobre demandas comuns vivenciadas pelas  comunidades e como superar desafios e gerar novas oportunidades para a comunidade; e identificar de forma coletiva os pontos fortes e os pontos fracos das comunidades.

PARTICIPAÇÃO

A capacitação foi ministrada pela palestrante Lúcia Azevedo. “A ideia foi sensibilizar as pessoas para a importância da organização comunitária. Na oficina, a gente percebeu que as pessoas já trazem consigo experiências práticas muito importantes então, este momento é mais para uma troca e também para estimular a reflexão sobre as potencialidades de cada comunidade e incentivá-los a continuar esse trabalho”, disse a palestrante. 

Os participantes da oficina foram mobilizados através da Secretaria Municipal de Assistência Social (Semcas). Foram chamados representantes de entidades da rede parceira da secretaria como o Grupo Comunitário Semente da Esperança, na Vila dos Frades; a Associação Carente São Benedito do Bairro de Fátima; o Centro Beneficente Nossa Senhora da Glória, na Alemanha; entre outros de bairros como Coroadinho, São Francisco, Centro, Coroadinho e Liberdade.

A participante Isa Asceno, do Centro Beneficente Nossa Senhora da Glória, avaliou positivamente a oficina. “Achei excelente. É necessário que esses laços se fortaleçam entre as comunidades e estes espaços. É muito importante que a comunidade se sinta parte deste local. A gente, enquanto representante, tem o papel de levar essa ideia às nossas comunidades”, disse a participante.

Além da oficina sobre participação e organização comunitária para líderes de associações, já foi oferecido um momento de convivência voltado para os idosos com aula de zumba e palestra sobre os benefícios da prática de atividades físicas. As oficinas do Plano de Trabalho Técnico Social são realizadas regularmente e acontecerão até a finalização dos serviços do programa São Luís em Obras que são realizados com financiamento do BID, como a revitalização da Praça da Bíblia e do Parque do Bom Menino, já em andamento, e outras já anunciadas como a reforma da Fonte do Bispo e das praças da Saudade e da Misericórdia.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem