agencia

Notícias

Quarta-feira, 06/05/2020 - 13h32

Prefeitura de São Luís diz que esforço para reduzir Covid-19 continua em duas frentes: ampliar o isolamento social e o número de leitos

Com equipes nas ruas intensificando a fiscalização das normas do lockdown e garantindo novas vagas na rede de saúde municipal, prefeito Edivaldo tem trabalhado juntamente com o Governo do Estado para minimizar os danos da Covid-19 na capital

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Prefeitura de São Luís diz que esforço para reduzir Covid-19 continua em duas frentes: ampliar o isolamento social e o número de leitos

A Prefeitura de São Luís tem trabalhado em conjunto com o Governo do Maranhão, atua fortemente em duas principais frentes de trabalho neste cenário de pandemia: ampliar o isolamento social e também o número de leitos na rede municipal de saúde exclusivos para atendimento a pacientes vítimas do novo coronavírus (Covid-19). As estratégias integram um pacote de ações executadas pelo prefeito Edivaldo que tem trabalhado para reduzir os impactos da pandemia na capital desde antes da confirmação do primeiro caso, dia 20 de março. Assim, foram intensificadas as ações de fiscalização por toda a cidade em decorrência do estado de bloqueio total (lockdown) iniciado na terça-feira (5), bem como anunciada a ampliação de leitos na rede municipal. 

“Nós temos trabalhado fortemente para ampliar o número de leitos na cidade. Temos o Hospital da Mulher, como referência para este tipo de caso. Há também a rede de unidades hospitalares conveniadas com leitos clínicos e de UTI. A Prefeitura trabalha em conjunto com o Governo do Estado para que possamos em breve abrir a Clínica São José e o Hospital Português para oferecer mais leitos para a população. Com isso devemos somar mais de 300 novos leitos. Além disto, nossas equipes estão nas ruas para fazer cumprir as normas do decreto que estabeleceu o bloqueio total da ilha de São Luís e que já apresenta resultados positivos no que diz respeito à redução da taxa de isolamento”, disse o prefeito Edivaldo.

A estratégia da Prefeitura de São Luís, coordenada pela Secretaria Municipal de Saúde (Semus), prevê a ampliação e adequação de leitos na Maternidade Nazira Assub (Estiva) e na Unidade de Pronto Atendimento 24 horas da zona rural, bem como a parceria com o Governo do Estado para disponibilização de leitos na Clínica São José e no Hospital Português (ambos da rede privada). Por meio de parceria com o Governo também estão sendo implantados novos leitos no Hospital da Criança.

Estas unidades estão sendo adaptadas para o atendimento à pacientes infectados com Covid-19. Outra medida já adotada pela Prefeitura para garantir a ampliação da rede de atendimento durante a pandemia é a implantação de leitos de retaguarda nas Unidades Mistas de Saúde (UMs) dos bairros Bequimão, Coroadinho, Itaqui-Bacanga e São Bernardo, que está sendo reformada com recursos de emenda do senador Weverton Rocha. Com isso, entre leitos próprios e em parceria, a rede municipal deve chegar a mais de 300 leitos para atendimento a pacientes com Covid-19.

A Prefeitura já tem como referência para atendimento aos pacientes com Covid-19 o Hospital da Mulher, com 53 leitos, dos quais 10 são de UTI e 43 são clínicos.  Há também o convênio com o Hospital Universitário para disponibilização de 40 leitos, totalizando 93 leitos já prontos.

Além disso, a Prefeitura disponibilizou 12 unidades básicas de saúde exclusivamente para pacientes que apresentem sintomas leves de síndromes respiratórias e gripais. Nestas unidades serão feitas consultas e, se necessário, o encaminhamento para exames e atendimento de maior complexidade.

ISOLAMENTO

Para garantir o cumprimento do estado de lockdown até o dia 14 deste mês, decretado por ordem da Justiça e acatado pelo Governo do Estado, a Prefeitura de São Luís tem mantido equipes de fiscalização de trânsito, comércio e demais áreas de forma intensiva desde terça-feira (5), quando iniciou o bloqueio total. Um dos resultados foi a redução do tráfego de veículos nas avenidas de São Luís que chegou a 60% no primeiro dia, segundo apontou relatório da Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT). 

Outra medida importante que contribuiu para o menor número de veículos circulando na cidade foi a redução de 50% da frota do transporte coletivo, que também está sendo fiscalizado para assegurar que condutores e passageiros cumpram o que que determina a decisão judicial e os decretos estadual e municipal que disciplinam o lockdown. Todos devem fazer uso de máscaras, tanto passageiros, motoristas e cobradores. Também está proibido o do transporte de pessoas em pé.

O cumprimento do decreto de lockdown em São Luís está sendo fiscalizado por equipes da Prefeitura e do Governo do Maranhão. O decreto restringe a circulação de pessoas e paralisa atividades não essenciais em São Luís e região metropolitana por 10 dias, até o dia 14 deste mês, conforme determinação da Justiça.

Acesse aqui a galeria de imagens desta reportagem