agencia

Notícias

Terça-feira, 21/01/2014 - 18h50

Prefeitura discute planejamento para combate a vulnerabilidade social

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

O combate a vulnerabilidade social foi um dos primeiros temas a serem discutidos no planejamento dos próximos 20 anos para São LuísSeguindo a orientação do prefeito Edivaldo Holanda Júnior para desenvolver uma administração moderna e com base em resultados, técnicos de várias secretarias municipais iniciaram a definição do planejamento estratégico para combate a vulnerabilidade social para os próximos 20 anos. A reunião foi realizada na tarde desta terça-feira (21) na sede da Secretaria Municipal da Criança e Assistência Social (Semcas), no São Francisco.

A assessora técnica da Semcas, Zulene Marques da Silva, lembrou da importância de pensar o projeto São Luís 2033 para que a administração pública tenha ações sistematizadas para garantir melhores condições de vida à população. "Para uma cidade melhor em 2033, precisamos pensar no enfrentamento aos indicadores de pobreza que geram a vulnerabilidade da população de São Luís", destacou.

Além da Semcas, a reunião contou com técnicos das secretarias de Educação (Semed), Segurança Alimentar (Semsa) e da equipe de consultoria da empresa Macroplan, que oferece suporte à Prefeitura de São Luís na elaboração do planejamento estratégico. A assessora técnica da Semed, Leonor Rodrigues, avaliou positivamente a reunião. "Em conjunto, podemos aprimorar as ideias e pensar em novas saídas para a questão da vulnerabilidade social", ponderou.

O combate à vulnerabilidade social é apenas um dos 15 temas, levantados através de diagnóstico feito pela Macroplan, de forte impacto para a discussão de São Luís nos próximos 20 anos. A exemplo da reunião desta terça-feira na Semcas, cada tema será discutido por técnicos das diversas secretarias municipais com atuações afins nas áreas discutidas, alguns deles são: mobilidade urbana, educação, habitação e saúde.

O consultor Marcelo Teixeira, da Macroplan, ressalta que estabelecer metas, prazos e estratégias de longo prazo é imprescindível para estruturar a cidade. "Não podemos sempre agir com intuito de apagar incêndios, com foco na urgência", alertou.