agencia

Notícias

Sexta-feira, 13/02/2015 - 11h38

Prefeitura promove bailes de carnaval para público da Assistência Social

Os bailes de carnaval, realizados pela Secretaria Municipal da Criança e Assistência Social (Semcas) nos equipamentos sociais, integram a programação momesca realizada este ano pela Prefeitura de São Luís. Na última quinta-feira (12), doze eventos da folia carnavalesca foram ofertados ao público em

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Usuários do Cras Sol e Mar aproveitam a folia.

Clique aqui e veja a galeria de fotos desta matéria

Os bailes de carnaval, realizados pela Secretaria Municipal da Criança e Assistência Social (Semcas) nos equipamentos sociais, integram a programação momesca realizada este ano pela Prefeitura de São Luís. Na última quinta-feira (12), doze eventos da folia carnavalesca foram ofertados ao público em situação de risco e vulnerabilidade social em vários territórios. Até o dia 27 deste mês, mais quatro bailes de carnaval serão realizados ao público atendido pelos Centros de Referência em Assistência Social (Cras) e Centros de Referência Especializados em Assistência Social (Creas).

Marchinhas e fantasias de carnaval completam o clima de festa nos bailes que contemplam um público diversificado, formado por adultos, crianças, adolescentes e idosos, inclusive pessoas com deficiência e em situação de rua. No Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua (Centro Pop Rua), por exemplo, os usuários saíram da rotina de palestras e orientações para brincar a festa mais popular do país. "Tudo isso é muito bom porque nos faz esquecer o mundo lá fora. É diferente, sem bebidas e sem drogas", declara Taís de Fátima, usuária do serviço prestado pela Semcas no Centro Pop Rua do Centro.

A cadeirante Antônia de Jesus vibrou ao som das marchinhas executadas pela Banda da Guarda Municipal, que animou o Baile de Carnaval da Residência Inclusiva e Casa da Acolhida. "Festa de carnaval é pra brincar, dançar, se divertir e cantar. Aqui, por algumas horas, os problemas de limitação e rompimento de vínculo familiar são deixados de lado, para dar lugar à alegria do carnaval", afirmou a idosa.

Já no território Sol e Mar, a comunidade e usuários do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV), referendados pelo Centro de Referência em Assistência Social (Cras) e também pelo Centro de Referência Especializado em Assistência Social (Creas), participaram do "Carnaval da Inclusão". Munidos de abadás, adereços e muita disposição, os foliões chamaram a atenção da comunidade para temas sérios como violência, direitos e inclusão, mas usando toda a irreverência que só o carnaval permite.

Para Geovana Garcia, 13 anos, que participa todos os anos da festa, o carnaval também deve ser aproveitado para melhorar a comunidade. "Nosso objetivo é ajudar e incentivar os jovens a não irem para o mundo das drogas e isso é um serviço social que ajuda toda a comunidade. No carnaval é mais fácil chegar aos jovens", destacou a adolescente.

A programação carnavalesca contemplou ainda os Cras dos territórios Vicente Fialho, Coroadinho, Estiva, Vila Nova, Maracanã, São Raimundo e Liberdade.