agencia

Notícias

Atualizado em 25/03/2015 às 14h11

Prefeitura inicia nova etapa de reassentamento das famílias inseridas no Programa Bacia do Bacanga

A Prefeitura de São Luís realizou na noite desta terça (24), na sede do Núcleo de Extensão da Vila Embratel (Neve), reunião com os moradores residentes nas áreas de risco de alagamento dos bairros do Sá Viana, Jambeiro e Piancó, para informá-los sobre a segunda fase do reassentamento dessas famílias

A- A+ Tamanho da Letra
Da Redação - Agência São Luís

Secretário Gustavo Marques fala sobre segunda fase do reassentamento das famílias de área de risco A Prefeitura de São Luís realizou na noite desta terça (24), na sede do Núcleo de Extensão da Vila Embratel (Neve), reunião com os moradores residentes nas áreas de risco de alagamento dos bairros do Sá Viana, Jambeiro e Piancó, para informá-los sobre a segunda fase do reassentamento dessas famílias. Cerca de 300 pessoas participaram da reunião. 

"O objetivo do prefeito Edivaldo é proporcionar a população uma melhoria real na qualidade de vida e para os moradores dessa região. Isso já é uma realidade para 108 famílias que aderiram a primeira etapa do reassentamento e hoje já residem em unidade habitacionais do Residencial Piancó", destacou o titular da Secretaria de Projetos Especiais (Sempe), Gustavo Marques, que conduziu a reunião.

"Hoje essas famílias não se preocupam mais com as chuvas, possuem banheiros dentro das suas residências, têm acesso digno e uma moradia legalizada, e tudo isso graças à ação da Prefeitura e da preocupação do nosso gestor, que se empenha para que essas ações se tornem realidade", completou o secretário.

Os interessados em aderir ao programa deverão procurar a sede da Associação dos Moradores do Sá Viana, dos dias 30 de março a 2 de abril, no horário das 08h às 12h das 14h às 17h30. A identificação das famílias que podem aderir ao programa para troca de moradia será feita pela Sempe, a partir de mapas e lista de cadastros que já foram realizados nos anos anteriores.

Após essa etapa, aqueles moradores identificados como das áreas atingidas pelo Programa Bacia do Bacanga deverão se encaminhar a Secretaria Municipal da Criança e Assistência Social (Semcas), no São Francisco, portando a documentação exigida pelo Programa "Minha Casa, Minha Vida". As famílias beneficiadas sairão da situação de risco e irão residir em imóvel legalizado, com urbanização, escola e posto de saúde próximos, com acesso a carro, ambulância e diversos serviços facilitados.

O reassentamento dessas famílias é uma das ações inseridas dentro do Programa Bacia do Bacanga, que ocorre em parceria com o Banco Mundial (Bird), a Prefeitura e também com o governo federal, que é o financiador de muitas das obras inseridas no Programa.

ADESÃO VOLUNTÁRIA

Durante a reunião, Gustavo Marques explicou que essa segunda etapa de reassentamento, assim como foi a primeira, é voluntária.

"Os interessados em trocar suas atuais residências, situadas nas áreas de risco e de vulnerabilidade social dos bairros assistidos pelo Programa Bacia do Bacanga, podem fazer a adesão ao processo de reassentamento e, caso se enquadrem nas exigências do Programa 'Minha Casa, Minha Vida', receberão uma unidade no Residencial Piancó que já está com as suas obras em estágio avançado, com aproximadamente 80% concluído" afirmou o secretário Gustavo Marques.

A especialista socioambiental Eloina Reis disse que o reassentamento não visa apenas à retirada dos moradores das áreas de risco. "Após esse processo, a Prefeitura deverá iniciar as obras de melhorias urbanas na área, que já estão com todos os projetos executivos prontos. Em breve, receberão um parque urbano, praças, equipamentos públicos, área de lazer e esporte, campo de futebol e diversas outras ações que irão requalificar a área, proporcionando segurança e melhor qualidade de vida aos moradores" afirmou Eloina.

  Para acessar a galeria de imagens, clique aqui.